Bahia dá pontapé inicial para retomada das atividades turísticas

bahia
30.06.2021, 18:11:00
Atualizado: 30.06.2021, 18:55:40
(Foto: Tatiana Azeviche/Setur-Ba)

Bahia dá pontapé inicial para retomada das atividades turísticas

Setor quer que medidas sejam implementadas já em julho; expectativa para o Verão 2022 é de taxa de ocupação hoteleira 10% maior que em 2021

A partir do avanço da vacinação e do indicativo de queda do número de casos de covid-19 na Bahia, a Secretaria de Turismo do Estado (Setur) deu início, nesta quarta-feira (30), a um grupo de trabalho para discutir propostas e elaborar um cronograma de retomada do turismo. A expectativa do setor é de que, a partir dos próximos 15 dias, medidas já possam ser implementadas para incentivar a vinda de visitantes para a Bahia. O grupo também tem foco no próximo Verão, quando é esperado pelo Conselho Baiano de Turismo (CBTur) um aumento de ao menos 10% na taxa de ocupação hoteleira em relação a 2021, quando atingiu 50% em janeiro e 40% em fevereiro. 

Compõem o grupo de trabalho, além da Setur, representantes das secretarias estaduais de Saúde e Cultura, da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, da Assembleia Legislativa, da União de Prefeitos da Bahia – UPB, do trade turístico e dos blocos afro. De acordo com o secretário de turismo da Bahia, Maurício Bacellar, o objetivo maior é poder explorar a totalidade do potencial turístico baiano sem abrir mão dos protocolos de segurança. Vale ressaltar que o setor turístico representa 4% do PIB baiano e o estado possui 133 municípios no Mapa do Turismo Brasileiro, totalizando 13 zonas turísticas.

“Neste momento, a atividade turística foi fortemente atingida e tem sofrido muito com a pandemia. As pessoas ficam receosas para viajar e a movimentação caiu. Mas não podemos ficar de braços cruzados, precisamos agir. Queremos alinhar a atividade turística com o combate à pandemia, ou seja, permitir que as pessoas venham à Bahia sem comprometer as ações que o governo do estado vem desenvolvendo. A prioridade é garantir a saúde porque sem vidas não há mais nada”, colocou o secretário.  

Bacellar destacou que as propostas implementadas acompanharão os números e indicadores da pandemia na Bahia. “As pessoas vão querer viajar para locais seguros em relação a deslocamento, hospedagem e alimentação, e é isso que a gente quer proporcionar na Bahia para os turistas, priorizando as atividades em locais abertos, por exemplo”, acrescentou. 

Segundo o secretário, duas das principais queixas do setor são em relação ao toque de recolher e à proibição da venda de bebidas alcoólicas, o que desanimaria os visitantes. “A demanda é que o funcionamento dos restaurantes nos hotéis, para os hóspedes, seja ampliado e não siga o toque de recolher. Outra sugestão que recebi foi a liberação de bebida alcoólica em restaurantes aliada à uma fiscalização mais rigorosa das blitzes. Isso tudo será discutido e analisado”, finalizou Bacellar.

Para Sílvio Pessoa, representante do Conselho Baiano de Turismo (CBTur), a reunião foi tardia, mas se mostra extremamente necessária, já que o turismo demanda planejamento. Segundo Pessoa, a expectativa é de mudanças a curto prazo e flexibilização de medidas restritivas para que o turista possa desfrutar dos destinos escolhidos. “A gente espera que, nos próximos 15 dias, existam mudanças nos protocolos de segurança para mostrar para o turista que, além de bonita, a Bahia está aberta e receptiva”, defendeu. 

Há a intenção de concentrar o foco na atração de turistas do Sul e Sudeste do país, mas, principalmente, de incentivar a circulação de baianos pelas cidades do estado. “O foco agora é o mercado nacional e local do próprio estado, já que o turista internacional ainda deve demorar para vir por conta dos altos números e da imagem negativa do Brasil em si”, argumentou Pessoa.

“É interessante pensar no Sul e Sudeste do país por agora, porque lá o inverno é mais rigoroso e você tem aqui no Nordeste calor o ano inteiro. Isso pode ser um atrativo. E existe a ideia de criar um turismo interno, na Bahia, para onde as pessoas possam viajar de carro, já que tem muita gente com medo de pegar avião e de ir para outros estados”, ressaltou. 

O diretor de turismo da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), Antônio Barretto, pontuou que 57% dos turistas que chegam a Salvador vêm do interior do estado e defendeu que é preciso pensar em ações voltadas para esse público. “Temos um trabalho voltado para os municípios vizinhos, mas também para o interior do estado, que é o principal emissor de turistas para a capital”. 

Também houve destaque para a importância do investimento em marketing e equipamentos turísticos. “A prefeitura tem feito ações e utilizado muito os canais digitais para manter Salvador no imaginário das pessoas e manter a intenção de viagem para cá. Estamos com o financiamento do Prodetur Salvador [programa do Ministério do Turismo] e um investimento para o segundo semestre no marketing e nos equipamentos turísticos da cidade”. 

Barreto acrescentou que a expectativa é de que, a partir do final de julho, já seja possível implementar propostas e investir ainda mais nas atividades de retomada. “Vamos criar um cronograma para a retomada efetiva do turismo e isso será discutido a partir da próxima reunião, que vai acontecer no dia 7 de julho”, explicou o diretor. 

Foto: Tatiana Azeviche/Setur-Ba

O que os números mostram?

Presente na reunião representando a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), a médica sanitarista e coordenadora do Centro de Operações de Emergência em Saúde, Izabel Oliva, apresentou um panorama da covid-19 no estado. Segundo ela, os números ainda são preocupantes, mas há um indicativo de queda e de eficiência do processo de vacinação, o que pode ser lido como esperança para o setor de turismo. Os próximos 15 dias serão definitivos para apontar os impactos dos festejos juninos.  

Segundo Izabel, apesar de termos tido um crescimento de casos bastante significativo em fevereiro deste ano como reflexo das festas de final de ano e do período de férias, a Bahia é hoje o terceiro estado do Brasil com o menor índice de mortes por 100 mil habitantes. O país tem uma taxa de 244,6 e a Bahia fica com 160,1, perdendo somente para Alagoas e Maranhão. 

De acordo com a médica sanitarista, as medidas restritivas implementadas pelo governo do estado têm surtido efeito. “Podemos notar que, a cada feriado, os números crescem, mas a partir de cada medida restritiva ou decreto, há também uma queda significativa dos casos, mostrando o quanto isso é eficaz”, pontuou.

Além das medidas, o processo de vacinação também vem mostrando bons resultados. “Já é possível observar a queda da mortalidade nas faixas etárias mais elevadas como consequência da vacinação e isso traz um alento para esse final de 2021. Em março deste ano, foram cerca de 750 óbitos entre 80 anos ou mais na Bahia. Em junho, foram cerca de 300”, acrescentou Izabel. 

A médica destaca também que a Bahia tem hoje cerca de 30% da população vacinada com ao menos uma dose. “Enquanto isso, países como Itália, Israel e Canadá, estão com cerca de 60% e já retomando diversas atividades e, inclusive, retirando a obrigatoriedade do uso de máscara. Nós não estamos tão distantes disso. O nosso foco agora é chegar em torno de 50 e 60%, o que pode acontecer em cerca de 60 dias”, afirmou. 

Por fim, a representante da Sesab pontuou que, desde o dia 27 de junho, a Bahia vem observando uma queda do número de casos ativos e de internações, com uma taxa em torno de 73% de ocupação de leitos de UTI. “Já estivemos por muito tempo acima de 80% sem conseguir reduzir. Esse é um sinal muito positivo. Há uma queda nas taxas de ocupação dos hospitais públicos e privados e uma queda nos números de casos ativos. Mas é importante dizer que só podemos analisar os reflexos do São João após 15 dias dos festejos”, finalizou. 

A Bahia no mapa do turismo

A recuperação do tráfego aéreo da Bahia, reduzido com a pandemia, ganha impulso em junho e julho para atender a demanda de turistas em temporada de férias. Várias frequências operadas pelas grandes companhias estão sendo reativadas, tanto para o aeroporto de Salvador quanto para os de cidades do interior. Além disso, novas rotas foram inauguradas em junho, tendo como destino as cidades de Mucugê, na Chapada Diamantina, e a Ilha de Comandatuba, no município de Una (sul do Estado).

Foto: Reprodução

Depois de reativar seu hub em maio no aeroporto de Salvador com o retorno de voos para seis destinos, a GOL Linhas Aéreas voltou a operar mais seis frequências para a capital a partir de 18 de junho. A meta da GOL é retomar todos os 25 destinos operados a partir de Salvador até meados de julho.

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras também contribui para a retomada de voos na temporada de férias. No comparativo entre junho e julho, Salvador passará de 19 para 24 voos diários. Ilhéus passa de um para quatro e Porto Seguro de quatro para 10. A Bahia contará com quase 40 voos por dia da Azul, de e para o estado. 

A partir de 1º de agosto é a vez da Latam Airlines Brasil operar também, com aeronaves Airbus A 320, a rota entre Congonhas e Comandatuba (o destino do sul da Bahia já era atendido pela companhia com voos charters, mas não regularmente). 

Salvador e Porto Seguro foram escolhidos como destinos na semana de estreia da ITA Transportes Aéreos, companhia do Grupo Itapemirim que nesta quarta (30) lança um voo interligando a capital e as cidades de Porto Seguro e São Paulo (Guarulhos). 
 
Na esfera internacional, está prevista a volta dos voos da Air Europa de Madri para a capital baiana, no dia 20 de julho. A principal novidade no setor aéreo baiano, no entanto, é a entrada em operação da empresa ITA, do Grupo Itapemirim, que no dia 30 estreia um voo ligando o aeroporto de Guarulhos (SP) a Salvador, com escala em Porto Seguro.

Depois da volta, em abril, das operações da TAP entre Lisboa e Salvador, outro voo internacional, suspenso com a segunda onda da pandemia, vai retornar. No dia 20 de julho, a Air Europa reativa a rota entre Madri e Salvador. Será, a princípio, uma frequência semanal, às terças-feiras, com chegada a Salvador às 19h50 e partidas para Madri na quarta-feira, às 15h30. A partir de setembro, segundo o diretor-geral da companhia, Romero Gonzalo, será reativada a segunda frequência, aos domingos. 

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas