Bahia fica no 0x0 com Doce Mel e adia classificação no Baianão

e.c. bahia
07.03.2020, 21:00:00
Atualizado: 07.03.2020, 22:03:43
Saldanha, do Bahia, em disputa de bola com Joadson, do Doce Mel: times ficaram no 0x0 (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Bahia fica no 0x0 com Doce Mel e adia classificação no Baianão

Resultado deixa Esquadrão sem vaga antecipada para semifinal

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Pouco tempo depois do time principal do Bahia vencer o Confiança por 1x0 pela Copa do Nordeste, foi a vez da equipe de aspirantes entrar na Fonte Nova, para encarar o Doce Mel, pelo Campeonato Baiano, na noite deste sábado (7). E, no segundo duelo da rodada dupla, o Esquadrão até pontuou - mas foi com um empate. Nenhum dos times conseguiu balançar a rede e o confronto terminou no 0x0.

O primeiro tempo foi morno e teve suas melhores chances só no fim. A partir dos 43 minutos, o Bahia mostrou mais intensidade e começou a assustar, mas viu o goleiro do Doce Mel e a trave impedirem o placar de ser aberto. No segundo, o anfitrião começou pressionando, mas foi esfriando ao longo da partida. Assim como na etapa inicial, criou oportunidades nos minutos finais, mas, jogando abaixo do esperado, não conseguiu alterar o placar.

Com o resultado, o Esquadrão perdeu a chance de já antecipar a vaga na semifinal neste fim de semana. Precisava ganhar do Doce Mel e torcer por tropeços de Fluminense de Feira, Bahia de Feira e Atlético de Alagoinhas no domingo (8). Como empatou, segue na liderança isolada do Baianão, mas deixou a possibilidade de avançar para depois.

Na próxima rodada do Baianão, o Esquadrão visita o Atlético de Alagoinhas, no dia 22 (um domingo), às 16h. No mesmo dia, o Doce Mel encara o Jacobina, também fora, às 20h30.

Primeiro tempo
O jogo botava, frente a frente, duas defesas em situações bem opostas. De um lado, o Bahia, time que tinha sofrido menos gols no Baianão. Do outro, o Doce Mel, clube que mais havia sido vazado. E, aos 10 minutos, o Esquadrão já tentava ampliar o número de gols sofridos do visitante. Gustavo foi lançado, driblou o marcador e tentou cruzar para Saldanha. Só que Thales estava atento e salvou o Doce Mel.

Daí em diante, o jogo passou a ficar sem grandes emoções. Só voltou a animar aos 26, quando Henrique Santos cobrou falta, obrigando Claus a fazer a defesa para o Bahia. O juíz, porém, não tinha autorizado e mandou refazer o lance. Na segunda tentativa, o lateral cruzou e o Esquadrão tirou para escanteio.

Só aos 31 minutos, veio o primeiro verdadeiro lance de perigo. Edson enviou a bola para Gustavo, que se livrou da marcação e bateu - mas foi por cima do gol. De troco, o Doce Mel balançou as redes aos 36, após uma cobrança de escanteio de Alef. Só que Carnaíba tocou com o braço na bola antes de mandar a bola no fundo do gol e o árbitro anulou.

No fim do primeiro tempo, o Bahia começou a pressionar mais. Começou aos 43 minutos, com uma grande jogada de Saldanha, que passou pela marcação e bateu cruzado - só que não tinha ninguém para chutar ao gol. Em seguida, Gustavo achou Alesson, que bateu em direção à meta de Nilton, mas acertou a trave. A redonda, no rebote, ficou com Lepo, que chutou. O goleiro rival, porém, fez grande defesa.

Saldanha fez uma bela jogada no fim do primeiro tempo
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Segundo tempo
A etapa final começou como terminou a primeira: com o Bahia com vontade de marcar gol. Aos 2 minutos, Arthur Rezende cobrou escanteio para Fábio Alemão e a bola passou bem perto da meta de Nilton. Aos 5, foi a vez de Régis Tosatti tentar o seu, mas o goleiro rival ficou com a redonda.

Fábio Alemão lamentou o gol perdido
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Aos 14, o Esquadrão saiu em contra-ataque e Gustavo bateu para o gol, mas a defesa do Doce Mel afastou. O anfitrião pediu toque de mão dentro da área, mas o árbitro viu impedimento no início do lance.

Só aos 20, o visitante assustou, quando Carnaíba chutou com efeito - mas mandou para a linha de fundo.

Depois de muitos minutos sem boas chances, o Bahia só voltou a tentar sufocar o Doce Mel aos 30. Veio com uma blitz, que começou com Lepo mandando na área (mas Manoel cortou); teve Arthur Rezende cobrando escanteio e mandando na cabeça de Anderson (porém, a bola foi por cima do gol); e terminou com o camisa 2 criando grande jogada e rolando para Gabriel Esteves, em boa condição. Só que o atacante perdeu a oportunidade.

Gabriel Esteves levou a mão ao rosto após desperdiçar uma boa oportunidade
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Após mais algumas tentativas frustradas do Bahia, o placar terminou, mesmo, como começou: 0x0.

Ficha técnica: Bahia 0x0 Doce Mel

Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador.

Bahia: Mateus Claus, Lepo, Fábio Alemão, Anderson e Mayk; Edson, Arthur Rezende e Régis Tosatti (Gabriel Esteves); Gustavo (Fessin), Alesson e Saldanha (Caíque). Técnico: Dado Cavalcanti.

Doce Mel: Nilton, Pinheiro (Andreson), Helbert, Thales e Henrique Santos; Cal, Tiago Carnaíba e Joadson Bola (Mychel); Adnael (Marcelo Pano), Aleff e Maurício. Técnico: Índio Ferreira.

Cartão amarelo: Gustavo (Bahia); Pinheiro, Cal, Mychel e Nilton (Doce Mel).

Público: 29.304 pagantes.

Renda: R$ 544.720,00.

Arbitragem: Moisés Ferreira Simão, auxiliado por Luanderson Lima dos Santos e Ledes José Coutinho Neto.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas