Bahia não consegue fazer gol e título do Nordestão é do Sampaio

ba-vi
07.07.2018, 19:40:30
Atualizado: 08.07.2018, 11:45:16
Zé Rafael foi quem mais criou chances, mas não fez gol (Betto Jr. / CORREIO)

Bahia não consegue fazer gol e título do Nordestão é do Sampaio

Time maranhense segurou pressão e arrancou empate em 0x0 em Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O tetracampeonato do Bahia na Copa do Nordeste não veio em 2018. O título é merecidamente do Sampaio Corrêa, que segurou o empate em 0x0 em plena Fonte Nova neste sábado (7). Com o triunfo por 1x0 no jogo de ida, em São Luís, o troféu ficará de maneira inédita no Maranhão.

A máxima que se tem visto na Copa do Mundo valeu também para a do Nordeste. Venceu o time da proposta mais defensiva, mais organizado taticamente, ainda que seja o menor deles. A equipe gigante, dona de vários troféus, perdeu para a própria desorganização e desespero.

O desmérito é todo do Bahia. No duelo deste sábado, o Esquadrão foi dono da bola e encarou um adversário que em momento algum conseguiu ameaçar no contra-ataque. A zaga do Sampaio também não aparentou ser impenetrável. O problema foi que o tricolor errou demais.

Jogo teve maior público da história da Arena Fonte Nova (Foto: Betto Jr. / CORREIO)

A torcida fez a sua parte: foram 45.378 pessoas na Fonte Nova, o maior público da história da arena – fora a Copa do Mundo. Do lado de fora, os tricolores fizeram a já tradicional recepção ao ônibus da equipe na Ladeira da Fonte com fogos e sinalizadores.

Ainda no primeiro tempo, o tricolor teve alguma calma e por isso conseguiu produzir. Elber e Léo Pelé chegavam com frequência à linha de fundo, mas faltava um passe mais qualificado. Zé Rafael e Régis, mais centralizados, também erravam muito, seja no passe final ou chutando de maneira precipitada para o gol.

Edigar Junio, que não jogava há quase dois meses por conta de uma lesão, foi direto para a vaga de titular. O resultado foi um atacante sem ritmo, que não conseguiu antecipar os marcadores. A melhor chance veio aos 38 minutos da etapa inicial. Zé Rafael recebeu lançamento na área e ficou cara a cara com Andrey. O goleiro honrou o status de melhor jogador do Nordestão e fez uma belíssima defesa.

Confira as fotos da partida na Fonte Nova:

(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)
(Betto Jr. / CORREIO)

Na etapa final, o desespero claramente tomou conta da equipe tricolor. O time passou a praticar o famigerado ‘chuveirinho’ na área, sem nenhuma efetividade. As trocas de Enderson Moreira também mostraram o nervosismo. Júnior Brumado entrou na vaga de Élber para aumentar a estatura da área e Vinícius para melhorar o chute de fora. Sem resultado.

Acabou que a chance mais clara veio aos 50 minutos da etapa final. Depois de cruzamento na área, a bola sobrou para Júnior Brumado. Ele chutou prensado pelo goleiro Andrey e a bola saiu raspando lentamente o travessão.

Agora, o Esquadrão volta suas atenções para a Copa do Brasil. Na segunda-feira (16) enfrenta o Vasco, no Rio de Janeiro, às 20h, pelo duelo de volta das oitavas de final. No jogo de ida, o Bahia venceu por 3x0.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas