Bahia precisa de polos regionais mais fortes, diz ACM Neto em Luís Eduardo Magalhães

bahia
19.01.2021, 14:55:00
(Reprodução)

Bahia precisa de polos regionais mais fortes, diz ACM Neto em Luís Eduardo Magalhães

Ele diz que não está viajando pelo interior como pré-candidato ao governo da Bahia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto disse nesta terça-feira (19) que a Bahia precisa de polos regionais mais fortes, sem concentrar riqueza em só uma região. A declaração foi dada em visita a Luís Eduardo Magalhães, no Oeste do estado. Neto teve um encontro na cidade com a equipe do prefeito Junior Marabá (democratas) para debater gestão municipal.

“Quando a gente compara com outros estados mais desenvolvidos, a gente vê que são mais equilibrados no seu desenvolvimento regional, têm polos regionais muito mais fortes, não tem a concentração da riqueza apenas em um polo ou uma região. Esse é o grande desafio da Bahia”, diz.

Neto avaliou que o grande desafio dos prefeitos nesse início de mandato é equilibrar as contas dos municípios. Também destacou que a região Oeste tem uma grande fronteira de crescimento para a Bahia. Ele estava acompanhado do deputado federal João Roma (Republicanos) e do deputado estadual Paulo Câmara (PSDB). 

Na reunião com a equipe do prefeito, ACM Neto falou dos pontos que considera fundamentais para iniciar uma boa gestão. “O ponto de partida que fiz em Salvador e sei que é o grande desafio do prefeito é equilibrar as contas da prefeitura. Esse é o primeiro desafio. Depois, fazer um trabalho de planejamento da gestão. Luís Eduardo Magalhães tem estrutura que possa trabalhar com planejamento estratégico, metas, iniciativas vinculadas a essas metas, acompanhamento dos marcos de entregas”, disse..

Destaque para o Agro
Neto lembrou que o Brasil vive uma grave recessão econômica desde 2015, mas citou também que a na Bahia o agronegócio foi na contramão dessa tendência, com números positivos. “Temos aqui uma fronteira de crescimento e desenvolvimento para o estado da Bahia que, se for olhada com mais atenção, se houver presença mais intensa por parte dos governantes em geral, a gente passa a ter perspectiva futura de maior desenvolvimento econômico, geração de emprego, dinamização da renda, ter cada vez mais municípios fortes, que ofereçam à Bahia no futuro uma perspectiva de desenvolvimento regional muito mais equilibrada”, destacou. 

ACM Neto também se colocou à disposição para facilitar o diálogo com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. “A ministra Tereza Cristina é do nosso partido, é uma pessoa muito qualificada, com quem eu tenho já uma relação antiga. Tenho certeza de que ela vai ter sensibilidade naquilo que couber ao ministério para ajudar a região”, assegurou.

Questionado sobre os desafios para o Oeste, ele disse que a infraestrutura e a energia são fatores importantes para o desenvolvimento da região. No primeiro item, citou a necessidade de atenção às estradas para o escoamento da produção. “Precisa de matriz energética consistente para pensar na ampliação da produção, no fortalecimento sobretudo do parque industrial, que é algo que vem crescendo de maneira consistente, e mais uma vez é fundamental a articulação estadual e federal”, complementou.

Futuro na política
Neto voltou a destacar que não tem visitado cidades do interior como pré-candidato ao governo do estado. Na semana passada, ele visitou Teixeira de Freitas e Eunápolis. “Não estou rodando o estado como pré-candidato. Neste momento, o foco é dividir experiência com os prefeitos. Mas, ao trazer o meu conhecimento, experiência, também levo na minha bagagem a atualização de informações”, afirmou.

Caso seja candidato ao governo, disse, “a Bahia verá o mais completo plano de governo que um candidato já apresentou”. “Mais do que isso: minha ideia é poder reunir cabeças, não só da Bahia, mas de fora, para a gente pensar fora da caixa, para trazer soluções inovadoras. A principal base é a necessidade de termos um plano de desenvolvimento econômico, que não pode olhar apenas uma região”, reafirmou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas