Bahia tem 27 mortes por H1N1 no ano; há doses extras de vacina

saúde
28.06.2018, 17:33:00
Atualizado: 28.06.2018, 18:51:20
Vacinação segue para grupos preferenciais e duas faixas etárias (Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)

Bahia tem 27 mortes por H1N1 no ano; há doses extras de vacina

Vacinação segue para grupos prioritários e mais duas faixas etárias

A Bahia registrou 207 casos e 27 mortes causados pela gripe H1N1 neste ano, segundo dados divulgados na quarta-feira (27) pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab). Os números foram registrados até o dia 23 de junho, de acordo com a pasta. Ao todo, são 1.326 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no ano, com 107 mortes. Destes, 277 foram por conta da influenza - a H1N1 é um subtipo da doença. 

Foram confirmados casos de gripe H1N1 em 51 municípios do estado - 15 deles registraram mortes. Em Salvador, foram 13 óbitos em decorrência do vírus. Os outros municípios que registraram mortes foram Apuarema, Camaçari, Feira de Santana, Irará, Juazeiro, Lauro de Freitas, Monte Santo, Morro do Chapéu, Retirolândia, Saúde, Sapeaçu, Serrinha, Uruçuca e Vitória da Conquista, cada um com uma morte.

A faixa etária de maior ocorrência de SRAG são os maiores de 60 anos e os menores de cinco anos, sendo que 59,25% dos óbitos ocorreram nesses grupos.

Vacinação
Mais de 541 mil pessoas do público alvo foram vacinadas em Salvador durante a campanha nacional de vacinação contra gripe iniciada em 23 de abril. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o município atingiu a meta de imunizar pelo menos 90% do público alvo até o término da campanha, no último dia 22.

O grupo prioritário da campanha são pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses aos menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas - e os funcionários do sistema prisional. Desde segunda-feira (25), além dos grupos prioritários, as 130 mil ampolas excedentes do imunobiológico na capital do estado estão disponíveis para adultos entre 50 e 59 anos e crianças com idade entre 5 e 9 anos. 

A decisão pioneira de incluir crianças com mais de cinco anos e adultos com mais de 50 anos foi tomada pelo Ministério da Saúde para aproveitar as doses que sobraram da estratégia. 

Em Salvador, as vacinas seguem disponíveis das 8h às 17h, nas 126 salas de vacina das unidades básicas de saúde da rede municipal. 

Gripe
Existem três tipos de vírus influenza/gripe que circulam no Brasil: A, B e C. O tipo C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública, e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável por grandes pandemias como a da H1N1. A vacina contra gripe ofertada no Sistema Único de Saúde (SUS) protege contra estes tipos de três vírus.

* Sob supervisão da subeditora Carol Neves

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas