'Baixinha', baiana quebra tabu e faz sucesso como modelo internacional

bahia
20.10.2019, 07:00:00
Atualizado: 21.10.2019, 10:09:01

'Baixinha', baiana quebra tabu e faz sucesso como modelo internacional

Jainy foi rejeitada por agências de Salvador

Jainy brilha como  modelo na Índia (Fotos: Divulgação)

Se você planeja viajar à Índia, com certeza vai se deparar com uma baiana por lá. Se no roteiro tiver uma ida a um shopping center, por exemplo, é certo ver o rosto da  jovem Jainy Machado Gomes, de 18 anos, por todos os cantos. Nascida em Itaberaba, na região da  Chapada Diamantina, ela tem se destacado em terras indianas.

A baiana, que é conhecida no mundo da moda como Jainy Maggo, já chegou no país quebrando um tabu. É que ela tem “apenas” 1,68 m e é considerada baixa para o padrão das modelos internacionais. E, mesmo depois de colecionar alguns nãos nas agências baianas, decidiu voar e brilhar diante das lentes e passarelas.

Há oito meses, ela mora na cidade indiana de Bangalore, mas já passou por outras localidades do país, como Nova Deli e Mumbai, além de Jidá (Arábia Saudita). Hoje, divide uma casa de três andares junto com nove modelos internacionais, de vários países. 

Jovem sonha também com outras carreiras (Foto: Divulgação)

Jainy foi descoberta e contratada pela agência MB Models, de Guarapari (ES), que atua há sete anos no ramo internacional da moda e já “exportou” 65 talentos, entre homens e mulheres. Além de estrelar comerciais da operadora de telefone celular Vivo, na Índia, a baiana tem realizado trabalhos para diversas empresas por meio de uma outra agência de modelos, que contratou seu trabalho junto à MB Models por uma temporada. E os planos não param por aí, ela quer crescer mais. 

A garota deve ficar no país asiático até o final do ano e, depois, vai trabalhar em outros países, mas ela prefere, por enquanto, não revelar quais. “Estou vivendo um sonho e fazendo com que essa realidade possa ser cada vez melhor. Estou focada em desenvolver o meu trabalho e conquistar cada vez mais espaços, seja como modelo comercial, que é o meu forte, ou nas passarelas, onde também atuo”, disse.

“Inclusive, já fiz desfiles de lingerie aqui também, e quero fazer trabalhos em vários países”, completou empolgada.

Persistência

Chegar à Índia foi um caminho longo para Jainy. Uma dass filhas do meio do casal José Cupertino Oliveira Gomes, 74, e Vera Lúcia Silva Machado, 51, ela tem outros sete irmãos - três do primeiro casamento do pai; três da relação entre seus pais; e uma de um outro casamento da mãe.

De origem humilde, ela levava uma vida simples na Chapada. Sua primeira experiência como modelo foi com 15 anos, quando foi convidada para posar para uma loja de Itaberaba, no bairro Caititu, onde morava.

“A loja me ofereceu o trabalho, mas sem pagamento. Em troca, eu teria uma divulgação. Foi muito bom, eu estava começando. Lembro que tive que pintar o meu cabelo de vermelho pra fazer as fotos”, lembrou a modelo.

Baiana pintou cabelo de vermelho para campanha (Foto: Acervo pessoal)

Animada com o convite, Jainy tentou mostrar seu talento para agências de Salvador, fez cursos e dividiu uma casa com outras garotas em busca de realizar seu sonho. Na capital baiana, no entanto, viu as portas se fecharem, porque tinha sua beleza avaliada como "incompleta", pois a altura mínima exigida era de 1,72 m. “Recebi muitos nãos e acabei buscando agências de fora mesmo”, disse.

Quando criou uma conta no Instagram (@jainymaggo), a carreira deu passos maiores. A jovem foi procurada pela sua atual agência, da empresária Márcia Barros, que se interessou pelas imagens. As duas mantiveram contato, até que a mulher pediu um álbum mais detalhado, mas Jainy não tinha dinheiro para pagar por um book. Foi aí que ela conseguiu convencer um amigo fotógrafo a fazer o trabalho, em troca de divulgar o nome dele junto à empresa.

Jainy nasceu em Itaberaba (Foto: Florian Boccia/Divulgação)

Deu certo. A dona da MB Models adorou as fotos e apresentou a garota à agência da Índia, que propôs o contrato. A alegria da notícia da contratação veio junto com preocupação, já que Jainy não tinha grana para tirar o passaporte. O jeito foi desapegar.

“Vendi meu guarda-roupa por uns R$ 250, a conta certa pra tirar o passaporte”, brincou.

O perrengue é passado. Já consolidada na carreira, Jainy está radiante e adora sua nova vida. Já melhorou o inglês, idioma usado para se comunicar com os colegas de apartamento, e se adaptou bem a Bangalore. “Eu até já saio sozinha”, revela. 

Ela mora na índia há oito meses (Foto: Florian Boccia/Divulgação)


Apesar das boas experiências em outros países, a garota tem como meta voltar a fincar os pés em terras brasileiras, mas não em Itaberaba. Quer morar em São Paulo e, quem sabe, realizar outros sonhos mais ousados, como seguir também a carreira de atriz e fazer curso para estrelar em filmes ou novelas.

“Continuo indo em busca dos meus sonhos, sempre vou ter um. Não podemos parar”, avisa.

Mas, entre tantos sonhos, tem um que toca o coração da modelo: ajudar a família. “Já passamos muita dificuldade, penso muito em dar melhores condições a todos”, admite ela que, com o que ganha como modelo, já consegue enviar uma parte para a família.

Jainy tem 1,68m e quebrou tabu (Foto: Acervo pessoal)

Relação curiosa
Mas lembra de Márcia, que contratou Jainy? Tudo aconteceu de forma virtual e as duas nunca se viram pessoalmente. “Só a vi em fotos e vídeos. Temos todas as medidas dela, que é linda e muito determinada no que quer. Gostamos muito da garra dela em querer trabalhar e buscar realizar seu sonho. Ela tem um talento muito grande para modelo comercial. Espero encontrá-la em novembro, quando vou à Índia”, disse a empresária, direto de Guarapari.

Sobre a altura de Jainy, Márcia disse que não é uma exceção no mundo da moda. “Tem outras meninas que são igualmente brilhantes, que nem ela. Uma, inclusive, já fez até filme. O que falta para essas meninas é oportunidade de mostrar o talento delas. Veja eu, por exemplo. Estou aqui em Guarapari, bem longe da Bahia, e vieram me procurar porque ninguém acreditou nela”.  

Hoje em Itaberaba, a menina virou exemplo e inspira outras pessoas. Quem revela é a própria mãe, Dona Vera, fã número 1 e grande apoiadora de Jainy. 

Jainy recebeu  muito paio da mãe, Vera (Foto: Acervo pessoal)

“Sempre demos apoio, dentro das nossas possibilidades financeiras. Era o sonho dela ser modelo e ela conseguiu, está em outro país, bem longe de casa, mas quando nos falamos ao celular parece que estamos bem perto. Todo mundo aqui sente saudade e alegria por ela, pelo que ela se tornou e que tenho fé em Deus que ainda vai se tornar”.

Veja campanhas de Jainy como modelo:


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/linn-da-quebrada-estrela-bixa-travesty/
Documentário debate sobre o corpo, gênero e identidades
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/policia-civil-analisa-imagens-de-acao-da-prf-que-deixou-adolescente-morto/
Pai foi ouvido no DHPP; familiares homenagearam garoto de 17 anos nesta quinta-feira (21)
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/operario-fica-pendurado-em-predio-durante-pintura-e-e-socorrido-veja-video/
Ele foi retirado de edifício em Fortaleza e conduzido a unidade médica pelo Samu
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/apos-passar-mal-e-ser-socorrido-no-senado-kajuru-segue-internado-na-uti/
Colega baiano Otto Alencar ajudou a socorrê-lo em plenário: ‘não vai ficar sequela’
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/matou-como-se-ela-fosse-bicho-diz-testemunha-de-crime-contra-moradora-de-rua/
Defesa de comerciante alega que ele reagiu a uma tentativa de assalto
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bombeiros-controlam-incendio-em-academia-na-graca/
Fogo começou por volta das 22h40 e foi contido rapidamente
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/vai-para-um-programa-que-te-mereca-diz-fontenelle-a-lacombe-ao-vivo/
Jornalista ficou sem graça com o comentário e afirmou estar feliz no Aqui na Band
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/audiencia-do-caso-davi-fiuza-e-marcada-para-abril-de-2020/