Baleado durante assalto, suspeito pede oração minutos antes de morrer

brasil
17.01.2018, 21:57:07
(Foto: Rosivaldo Almeida/Reprodução)

Baleado durante assalto, suspeito pede oração minutos antes de morrer

Ele e outros três comparsas foram flagrados na ação e trocaram tiros com a polícia

Minutos antes de morrer, um dos suspeitos de um assalto em Belém, que foi ferido pela polícia, pediu uma oração de misericórdia. O rapaz foi baleado, na noite de terça-feira (16), durante uma tentativa de roubo a um caixa eletrônico da agência da Previdência Social (INSS). Ele e outros três comparsas foram flagrados na ação e trocaram tiros com a polícia.

"Eu estava indo para a igreja quando me falaram o que estava acontecendo. Quando cheguei tinha muita gente, mas alguém me chamou e disse que um deles queria falar comigo", disse o pastor Zildomar Campelo ao G1. Segundo o portal, o religioso foi até o rapaz que estava no chão ensanguentado e conversou com ele durante 20 minutos.

"Ele ainda estava muito lúcido, disse que queria conversar. Me disse que queria pedir perdão para a mãe dele. Que queria pedir perdão para Deus. Falou que já tinha ido à nossa igreja com a mãe dele. Naquele momento, fiz uma oração, e ele quis se reconciliar com Deus, uma expressão que a gente usa quando alguém se arrepende", contou o partos, que coordena há 15 anos uma igreja da Assembleia de Deus na região.

O suspeito foi socorrido, mas não resistiu. "Todo cristão tem como objetivo principal morar com Deus no céu. É bíblico. A polícia fez o que tinha que fazer, mas é o nosso papel, como cristão, ajudar os outros nas aflições. Tem gente que não entende, mas temos que amar ao próximo. Diante de Deus, tanto um policial quanto um criminoso são pessoas que devemos amar", concluiu Zildomar, explicando que não se intimidou ao se aproximar da cena do crime.

O crime
Os bandidos tentaram render o vigilante do prédio, mas ele acabou correndo para o meio da rua. Policiais que passavam pela Avenida Nazaré perceberam o assalto e agiram. Houve uma intessa troca de tiros entre os suspeitos e a polícia. Três criminosos morreram e um foi baleado.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas