Bares de Salvador ampliam estoque para fim de semana com venda de bebidas liberada

salvador
08.05.2021, 07:00:00
(Foto: Tiago Caldas/Arquivo CORREIO)

Bares de Salvador ampliam estoque para fim de semana com venda de bebidas liberada

Governo autorizou comercialização no fim de semana na capital e regiões com ocupação de UTIs em menos de 75%

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A cervejinha de fim de semana em bares e restaurantes está garantida. Decreto publicado na última quarta-feira (5) pelo governo da Bahia liberou retorno da comercialização de bebidas alcoólicas em Salvador e nas regiões do estado com ocupação de menos de 75% nas UTIs de covid-19, o que fez os bares da capital baiana arregaçarem as mangas para voltar a vender o item mais procurado desses estabelecimentos.

No Pelourinho, no Bar Malembe, por exemplo, o estoque foi reforçado para receber os clientes nos dias em que eles mais costumam aparecer por lá. Isso é o que garante Daiane Menezes, que é sócia-proprietária do local. "A gente já aumentou o pedido das bebidas, nos preparamos bem porque é algo que a gente já esperava e, aqui, o ponto forte do estabelecimento são os coquetéis, que são muito procurados. Inclusive, até promoção vai rolar", conta ela, que vê com otimismo a possibilidade de aumentar o faturamento com a flexibilização. 

Bares estão preparados para voltar a vender bebidas alcoólicas no fim de semana (Foto: Tiago Caldas/Arquivo CORREIO)

Volta aguardada
No Malembe, 70% da bebida alcoólica comercializada saem justamente no fim de semana. Número que se aproxima da realidade do bar Guapo, na Barra, que perdeu 85% do faturamento enquanto a proibição esteve em vigor, de acordo com Leandro Menezes, proprietário do local. "Apesar da bebida representar algo em torno de 30% das nossas vendas, ela impacta diretamente na ausência do público e na venda de refeições. Afinal, o consumidor quer almoçar ou jantar acompanhado de uma cerveja, vinho ou drink, sempre com responsabilidade e ambiente seguro. A proibição da bebida então não impacta apenas na venda direta", diz.

"Estamos confiantes para melhoria do movimento aos finais de semana e até reforçamos nosso estoque de cervejas. No feriado de Tiradentes, que a venda de bebidas estava permitida, ficou claro que o consumidor está em busca de ambiente seguro para realizar seu lazer", afirma.

Sérgio de Morais, sócio-fundador do Blue Praia Bar, declara que por lá também está tudo preparado para a volta das bebidas alcoólicas no fim de semana. "Poder vender no fim de semana dá um oxigênio pra operação financeira que vem sendo negativa há mais de um ano. Aqui, 50% do faturamento vem da bebida alcoólica e que também, por estar ausente no cardápio, reduz o consumo dos itens não alcoólicos", relata.

Impacto geral
Luiz Henrique do Amaral, presidente executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), vê a liberação como um passo importante para equilibrar contas dos estabelecimentos que, segundo ele, quando são de convivência - onde as pessoas vão para beber e permanecer no local - perdem muito sem a possibilidade de vender as bebidas alcoólicas no fim de semana. "De 60 a 80%, essa é a porcentagem do faturamento  que é afetada por conta da restrição de venda. Isso nos estabelecimentos de convivência, que são ligados ao entretenimento e lazer, onde as pessoas vão para socializar. A bebida alavanca diversos movimentos de consumo dos bares e restaurantes", explica.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas