BDM comanda o tráfico em sete bairros de Salvador

salvador
22.01.2017, 13:30:00
Atualizado: 22.01.2017, 14:19:46

BDM comanda o tráfico em sete bairros de Salvador

Facção está presente nos bairros de Brotas, Campinas de Brotas, Federação, Engenho Velho da Federação, Garcia, Suburbana e Cajazeiras

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em algumas das pichações da facção Bonde do Maluco espalhadas pela cidade, a sigla BDM vem acompanhada de ‘Tudo 3’ – um código que surgiu no sistema prisional e que faz referência à facção Caveira. No entanto, há quase um ano, o BDM segue sem Genilson Lino da Silva, o Perna, líder da Caveira, deixando a briga pelo controle do tráfico na Bahia mais acirrada.

Além das cidades de Catu, Madre de Deus e Pojuca, o domínio da BDM é forte em Salvador nos bairros de Brotas, Campinas de Brotas, Federação, Engenho Velho da Federação, Garcia, Suburbana e Cajazeiras. Em Cosme de Farias, a  Baixa do Tubo está sob o domínio dos rivais do Comando da Paz. Recentemente, a facção chegou a Piatã.

Cajazeiras está entre os bairros dominados pela facção Bonde do Maluco
(Foto: Evandro Veiga)

Em abril do ano passado, o alvo principal da Operação Sapucaia, da Polícia Federal, era o líder da quadrilha, José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, apontado como um dos chefes do BDM. Ele é o Três de Ouros do Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), um arquivo que reúne os principais criminosos do estado. Ele continua foragido.

José Francisco começou no crime assaltando bancos. Foi preso algumas vezes e, na última vez que saiu da prisão, foi terminar de cumprir a pena no regime domiciliar. Desde então, foi morar em Coronel Sapucaia (MS), de onde começou a enviar drogas para abastecer a quadrilha na Bahia. A organização criminosa, que começou como filiada à facção Caveira, surgiu no Presídio Salvador.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas