Boato no WhatsApp leva multidão à porta do Simm, no Comércio

salvador
02.05.2018, 20:46:00
Atualizado: 02.05.2018, 20:55:23

Boato no WhatsApp leva multidão à porta do Simm, no Comércio

Grupo chegou a fechar avenida após descobrir que anúncio de vaga no BRT era falso

Movimento no SIMM foi acima do normal nesta quarta (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Se você estivesse desempregado e recebesse uma mensagem no WhatsApp sobre uma vaga de emprego, o que faria? Com o currículo na mão, dezenas de pessoas compareceram na manhã desta quarta-feira (2) à sede do Serviço Municipal de Intermediação de Mão de Obra (SIMM), no Comércio, em busca de duas supostas vagas de emprego no BRT, obra de mobilidade que vai ligar a Lapa à região do Iguatemi.

Ao descobrirem que a informação era falsa, a esperança das pessoas virou revolta e um protesto foi iniciado. A Transalvador informou que a manifestação teve início por volta das 8h30 e terminou por volta das 10h30. De acordo com o Centro Integrado de Comunicações (Cicom), os manifestantes chegaram a bloquear a Avenida Miguel Calmon.

O Cicom informou que os policiais militares da 16ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Comércio) tiveram que "usar agente químico devido aos ânimos exaltados dos manifestantes". "Ninguém ficou ferido e não foram efetuadas prisões", continuou o Cicom.

O congestionamento resultante do bloqueio atingiu, além da Avenida Miguel Calmon, a Avenida Contorno, o Campo Grande e o Politeama. De acordo com a Transalvador, ao final da manifestação, o congestionamento já estava próximo do Teatro Castro Alves. 

A Secretaria Municipal de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel), órgão que administra o Simm, afirmou que a informação sobre as vagas na área da construção civil não procede. "Estas vagas não foram divulgadas por parte do SIMM. Foi uma Fake News [notícia falsa] que está circulando em grupos de WhatsApp” afirmou, por meio de nota, o secretário da Semtel, Geraldo Júnior. 

O secretário afirmou ainda que será programada uma reunião entre a Secretaria de Mobilidade (Semob) com a empresa vencedora da licitação das obras do BRT, e que a prefeitura solicitou que as intermediações das contratações sejam feitas pelo Simm, “mas ainda sem data prevista para o chamamento", comentou o secretário.

Veja como não cair em boatos no WhatsApp
(Dicas elaboradas pela Agência Lupa e pelo Canal Futura)

  • Busque a informação em outros sites

Dificilmente um site de notícias ou um blog é dono de um “furo” por muito tempo. Se, após uma busca, você encontrar a notícia apenas uma vez, é bem possível que seja falsa. Muitos portais são criados pelos propagadores de boatos apenas para multiplicar a notícia.

Assim, se ela estiver disponível em outro site, ainda será preciso analisar sua credibilidade. Também preste atenção e tenha cuidado com informações que estejam em vários sites, mas citem uma única fonte.

  • Busque os autores da informação 

Quando pessoas públicas ou instituições forem citadas como autoras, verifique se ela foi divulgada em seus sites e perfis oficiais nas redes sociais.

Busque também por pesquisas ou especialistas que sustentam a informação e descubra se eles realmente existem ou foram inventados. Por fim, consulte outros sites para confirmar se a informação é nova ou foi requentada, o que é muito comum acontecer nas redes sociais.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas