Bolsonaro diz estar 'analisando a lista de convidados' para posse na Argentina

brasil
09.12.2019, 09:57:26
Atualizado: 09.12.2019, 10:41:36

Bolsonaro diz estar 'analisando a lista de convidados' para posse na Argentina


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (9) que está analisando a "lista de convidados" para a cerimônia de posse do novo presidente argentino Alberto Fernández. Ele fez a afirmação para justificar a desistência de enviar nome do primeiro escalão do governo brasileiro à cerimônia no país vizinho e parceiro comercial.

"Primeiro, quando eu assumi aqui, não convidei algumas autoridades também", disse Bolsonaro na manhã desta segunda. Entre os convidados para a posse de Fernández como presidente da Argentina, marcada para terça-feira, 10, está o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel. O Brasil não envia um representante à posse argentina desde 2003.

"O nosso comércio com a Argentina continua sendo da mesma forma. Sem problema nenhum. Não vai interferir em nada", disse Bolsonaro.

Para a posse de Bolsonaro, em 1º de janeiro de 2019, não foram convidados os presidentes de Cuba e da Venezuela, Nicolás Maduro.

As declarações do presidente foram feitas em frente ao Palácio da Alvorada. Questionado se poderia recuar e enviar um representante do primeiro escalão, Bolsonaro se irritou e deixou a conversa com os jornalistas.

Segundo o Palácio do Planalto, representará o Brasil na posse, por enquanto, apenas o embaixador em Buenos Aires, Sérgio Danese No começo de novembro, o Palácio do Planalto informou que o ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB), representaria o Brasil na posse de Fernández.

A Argentina elegeu em 27 de outubro para a Casa Rosada o peronista Fernández. A vice-presidente será Cristina Kirchner. Aliado de Bolsonaro, Macri foi derrotado no primeiro turno.

O presidente brasileiro já havia lamentado o resultado e dito que não cumprimentaria a chapa vencedora. Bolsonaro também ficou incomodado com uma imagem publicada por Fernández, horas antes do resultado, em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde o ano passado, no âmbito da Operação Lava Jato.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas