Bolsonaro: ‘Não é mais barato investir na cura do que na vacina?’

brasil
26.10.2020, 12:19:15
Atualizado: 26.10.2020, 12:27:22
(AFP)

Bolsonaro: ‘Não é mais barato investir na cura do que na vacina?’

Bolsonaro retomou a conversa sobre a aplicação da hidroxicloroquina no tratamento contra a doença

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (26) que seria mais importante investir na cura da covid-19 do que na vacina contra a doença.  Bolsonaro argumentou que a produção de uma vacina poderia levar até quatro anos.

“O que a gente tem que fazer é não tentar correr, atropelar, comprar desta ou daquela sem nenhuma comprovação ainda", disse Bolsonaro, que chamou de traição a negociação do Ministério da Saúde para compra de 46 milhões de doses da vacina produzida pelo Instituto Butantan e uma farmacêutica chinesa.

"Todo mundo diz que a vacina que menos demorou até hoje foram 4 anos [de produção], eu não sei por que correr agora. Eu dou minha opinião pessoal, não é mais fácil e até mais barato investir na cura do que na vacina? Ou jogar nas duas, mas também não esquecer da cura”, disse a apoiadores.

Bolsonaro retomou a conversa sobre a aplicação da hidroxicloroquina no tratamento contra a doença, mesmo sem comprovação científica. Ele disse que é testemunha de que o remédio é eficaz por ter usado quando estava infectado.

“A cura, eu por exemplo, sou testemunha. Eu tomei a hidroxicloroquina, outros tomaram ivermectina, outros tomaram annita e deu certo. Pelo que tudo indica, todo mundo que tratou precocemente com uma dessas três opções foi curado”, disse em Brasília.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas