Bolsonaro sobre recorde de mortes por covid-19: 'E daí? Quer que eu faça o quê?'

coronavírus
28.04.2020, 20:57:00
Atualizado: 28.04.2020, 20:57:16

Bolsonaro sobre recorde de mortes por covid-19: 'E daí? Quer que eu faça o quê?'

Com 474 novos óbitos nesta terça, Brasil superou a China em total de vítimas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) respondeu de forma polêmica à pergunta de uma repórter na portaria do Palácio da Alvorada, que nesta terça-feira (29), dia em que o país superou o número de mortes total da China.

No tradicional bate-papo com os jornalistas, uma das repórteres informou ao presidente que o Brasil tinha superado em número de vítimas ao país de origem da pandemia, ao que Bolsonaro respondeu:

"E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre", afirmou, em referência ao seu nome do meio.

Nesta terça, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o número de mortes confirmadas por covid-19, a doença provocada pelo coronavírus, ultrapassou a marca dos 5 mil, chegando a 5.017. Na China, são 4.643.
Momentos depois, na mesma entrevista, Bolsonaro disse se solidarizar com as famílias das vítimas.

“Mas é a vida. Amanhã vou eu. Logicamente, a gente quer ter uma morte digna e deixar uma boa história para trás”, continou Bolsonaro.

Questionado se conversaria com o ministro da Saúde, Nelson Teich, sobre a flexibilização do distanciamento social, ele afirmou que não dá parecer e não obriga ministro a fazer nada.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas