Bombeiros encontram corpos de criança e adolescente no Rio Paraguaçu

bahia
04.07.2020, 10:20:02
Atualizado: 05.07.2020, 21:34:31
(Divulgação/Corpo de Bombeiros )

Bombeiros encontram corpos de criança e adolescente no Rio Paraguaçu

Corpos encontrados podem ser de vítimas de naufrágio na última quarta-feira (1)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os corpos de um adolescente e uma criança foram encontrados por equipes do Corpo de Bombeiros na manhã deste sábado (4), Rio Paraguaçu, na altura de Cabaceiras do Paraguaçu, no recôncavo da Bahia. Segundo a corporação, os corpos podem ser das vítimas do naufrágio ocorrido na quarta-feira (1).

As vítimas ainda não foram identificados. Ao todo, seis pessoas estavam no barco na hora do acidente e apenas uma foi resgatada com vida até agora, o pescador Paulo Roberto, que é avô de três crianças e pai de outra vítima. 

As crianças desaparecidas têm idade de 3 a 11 anos. O adulto é um amigo da família de cerca de 50 anos, segundo relatos de familiares. 

Crianças desaparecidas após acidente com embarcação 
(Foto: Reprodução)

Em nota, a  Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) informou que os corpos foram encontrados boiando às margens do rio, nas proximidades da Fazenda Haras do Belo Vale. As buscas continuam e estão sendo realizadas pelas equipes da Marinha do Brasil, das equipes do 13º Grupamento Marítimo de Bombeiros Militar (GMAR) e de familiares e pescadores locais voluntários.

Segundo a Marinha, um inquérito será instaurado para investigar as causas, circunstâncias e responsabilidades pelo nuafrágio.

(Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

'Castigo grande'
A matriarca passou a noite em claro. Na quarta-feira (1), uma canoa virou e parte de sua família – uma neta e três bisnetos –, e um pescador desapareceram nas águas do Rio Paraguaçu, na altura de Cabaceiras do Paraguaçu, cidade do recôncavo da Bahia.

Anatália Mota Santos, 71 anos, ficou a madrugada desta sexta-feira (3) inteira de joelhos dobrados, em oração, pedindo o fim da angústia. Apesar de tanta experiência e fé, ela já não tem mais esperança de encontrar alguém vivo.

“Foi um castigo grande morrerem quatro crianças de uma vez”, desabafou a idosa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas