Cadê o fôlego? Afundado no Z4, Vitória vê risco de rebaixamento aumentar

e.c. vitória
27.09.2021, 14:05:00
Atualizado: 27.09.2021, 15:34:45
O volante Pablo Siles é um dos titulares do Vitória na Série B do Brasileiro (PIETRO CARPI / ECVITÓRIA)

Cadê o fôlego? Afundado no Z4, Vitória vê risco de rebaixamento aumentar

Grupo de degola é realidade rubro-negra em 16 das 26 rodadas da Série B

O Vitória teve a chance de respirar na Série B do Brasileiro, mas acabou com a corda ainda mais apertada no pescoço após a 26ª rodada da competição. O rubro-negro poderia ter saído da zona de rebaixamento, mas acabou se afundando nela após novo tropeço, dessa vez diante do Londrina, adversário direto na luta contra a queda à terceira divisão nacional. O risco do Leão amargar esse insucesso aumentou e agora está em 69%.

O número é apontado pelo departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que estuda as probabilidades do futebol brasileiro. Com 25 pontos, o Vitória é o 18º colocado da Série B e o terceiro time com maior chance de rebaixamento. Apenas Brasil de Pelotas, com 99.31%, e Confiança, com 90.6%, lanterna e vice-lanterna do torneio, respectivamente, correm mais perigo. 

Se tivesse vencido o Londrina, o time comandado por Wagner Lopes estaria fora da zona de rebaixamento, na 16ª posição, ocupada atualmente pela equipe paranaense, que ganhou o duelo do último sábado, por 1x0, no estádio do Café, somou 27 pontos e ultrapassou o rubro-negro. 

A zona de rebaixamento é a realidade do Vitória em quase toda essa edição da Série B. O rubro-negro esteve nela em 16 das 26 rodadas disputadas. A primeira vez que o Leão entrou nela foi na 4ª rodada. Depois, reapareceu na 7ª e 8ª. Figurou outra vez na 11ª e 12ª até entrar de uma vez na 16ª e não conseguir sair mais. Já são 11 rodadas seguidas no Z4. A melhor posição alcançada pelo time baiano no campeonato foi a 10ª, logo após o jogo de estreia. 

"A cada rodada que passa fica mais difícil porque vão diminuindo os jogos. Nossa equipe não está conseguindo vencer os jogos e sair da zona de rebaixamento que é tão incômoda para nós. A gente precisa reagir o quanto antes para sair dessa situação", afirmou o lateral direito Raul Prata. 

A dois meses do fim, a Série B entrou no último terço da disputa e já permite distinguir quem vai de fato lutar para não cair para a terceira divisão nacional e quem está conseguindo amenizar de verdade esse risco. A tabela de classificação mostra que essa disputa ingrata tende a ser problema de oito times, apesar de três deles terem chances menores de lamentarem no encerramento da temporada. 

Estamos nos referindo a Ponte Preta, Cruzeiro e Vila Nova, que, de acordo com a UFMG, têm 5.5%, 10.5% e 17.5% de risco de descenso. A Macaca está na 13ª colocação, com 32 pontos. O time mineiro aparece na 14ª, com 31. A equipe goiana ocupa a 15ª posição, com 30 pontos. 

Primeiro time fora do Z4, o Londrina está a apenas um ponto do grupo de degola e tem 41.3% de chance de ser rebaixado. O Brusque é o 17º colocado, com 26 pontos, e 56.3% de risco. Com porcentagens já citadas anteriormente, o Confiança tem 21 pontos e está em 19º lugar, e o Brasil de Pelotas é o lanterna. Dona de apenas 16 pontos, a equipe gaúcha ainda tem oportunidade matemática de escapar, mas na prática já caiu. Ou seja, somente três vagas da zona ainda estão indefinidas.  

Reagir no campeonato é condição necessária para se salvar. O Vitória volta a campo na quarta-feira (29), às 21h30, quando recebe o Botafogo, no Barradão. Para sair da zona nesta rodada, precisa vencer a equipe carioca e torcer por tropeços de Brusque e Londrina. Um empate do time catarinense, que visita o Brasil de Pelotas, é suficiente. Já o Londrina precisa perder do Avaí. 


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas