Campanha distribui mais de 5 toneladas de alimentos e 1 milhão de máscaras

coronavírus
03.07.2020, 11:25:00
Atualizado: 03.07.2020, 11:25:44
Doação de máscaras ao Abrigo São Francisco de Assis, em Itabuna (Divulgação)

Campanha distribui mais de 5 toneladas de alimentos e 1 milhão de máscaras

Ação acontece em Itabuna, Ilhéus e outros municípios da região

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A campanha Litoral Sul Solidário já arrecadou em dois meses mais de 5 toneladas em cestas básicas que foram montadas e distribuídas a empreendedores econômicos solidários de quilombos, aldeias, terreiros de candomblé e outras comunidades tradicionais em Itabuna, Ilhéus e outros municípios do Litoral Sul da Bahia. A campanha é organizada pelo Centro Público de Economia Solidária (Cesol) seccional Litoral Sul.

Para ajudar na arrecadação, cantores locais e grupos artístico-culturais fizeram lives na internet divulgando a iniciativa - foi o caso dos grupos Gongombira, Alô Comunidade, e as duplas Lílian Casas e Alex Félix, e Silvano e Carla.

Somando a esta ação, a campanha abraçou também a distribuição 1 milhão de máscaras produzidas por 600 costureiras do território que receberam uma bolsa auxílio para a confecção dos EPIs destinados a munícipes de cidades das regiões Sul, Extremo Sul e do Sisal no estado. A produção teve a chancela do governo do estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) e da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). As máscaras estão sendo enviadas a prefeituras, instituições de caridade e movimentos sociais de todos os municípios das regiões destacadas.

Para o coordenador no Cesol Litoral Sul, Thiago Fernandes, o momento é de solidariedade e reafirmação da economia solidária como vetor de transformação social. “Temos executado um importante trabalho com atuação dos Centros Públicos de Economia Solidária já presentes em 15 territórios de identidade da Bahia e com formação e qualificação de empreendedores da economia solidária para atuação em rede, mantemos de pé esta importante política pública em nosso estado. Num momento desse, de pandemia, que exige de nós mais empatia e amor ao próximo, mostramos a necessidade da presença da economia solidária cada vez mais forte e atuante na sociedade.”, diz.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas