Campanha quer mudar nome da Avenida Adhemar de Barros para Milton Santos

salvador
21.09.2021, 12:00:00
Atualizado: 21.09.2021, 12:02:27
Milton Santos é baiano e um dos maiores intelectuais do século XX (Divulgação)

Campanha quer mudar nome da Avenida Adhemar de Barros para Milton Santos

Localizada em Ondina, avenida é conhecida por ter o acesso principal da Ufba, onde o geógrafo Milton Santos estudou

Um grupo de soteropolitanos resolveu agir para realizar o que eles consideram uma reparação histórica: a mudança do nome da Av. Adhemar de Barros, localizada em Ondina, para Av. Milton Santos. Trata-se de uma homenagem ao geógrafo baiano formado em direito pela Ufba em 1948. Para isso, o grupo criu uma petição on-line e uma campanha nas redes sociais em apoio ao Projeto de Lei (PL) 97/2021, que propõe a mudança, atualmente em tramitação na Câmara de Vereadores de Salvador.  

A PL é de autoria do vereador Augusto Vasconcelos (PCdoB). No texto da petição, ele escreveu que Adhemar de Barros foi um político paulista sem nenhuma ligação especial com Salvador e que teve ainda a carreira marcada por escândalos de corrupção. Para se ter ideia, a expressão “rouba, mas faz”, um dos mais conhecidos bordões da política brasileira, foi inspirada nele.  

Por outro lado, Milton Santos é um homem negro, baiano de Brotas de Macaúbas, localizada no Centro-Sul baiano. Logo cedo, ele foi morar em Salvador e se tornou um dos principais intelectuais brasileiros do século XX, ganhador do Prêmio Vautrin Lud, em 1994, considerado “o Nobel da Geografia”. Apesar disso, Milton Santos ainda não recebeu até hoje da cidade uma homenagem à sua altura, alega a PL. 

Milton Santos já foi homeageado pelo Google (Foto: Reprodução)

A campanha destaca ainda que Salvador, apesar de ser uma cidade majoritariamente negra, tem pouquíssimas vias relevantes em honra a personalidades dessa raça. Os participantes também destacam que a renomeação da avenida é um importante passo também para divulgar a vida e obra de Milton Santos e inspirar as novas gerações a repetirem sua trajetória de estudos em benefício da coletividade. 

Uma petição online foi criada pelo grupo e já consta com mais de 3 mil assinaturas. Você pode assinar clicando aqui

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas