Cantor Mr. Catra morre vítima de câncer aos 49 anos

brasil
09.09.2018, 17:40:11
Atualizado: 09.09.2018, 22:30:20

Cantor Mr. Catra morre vítima de câncer aos 49 anos

Funkeiro deixa três esposas e 32 filhos; ele fazia tratamento em São Paulo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Cantor Mr. Catra lutava contra um câncer no estômago (Foto: Reprodução)

O cantor de funk Wagner Domingues Costa, conhecido como Mr. Catra, 49 anos, morreu na tarde deste domingo (9), em São Paulo. Ele estava internado no Hospital do Coração (HCor), na capital paulista, onde se tratava contra um câncer no estômago, diagnosticado no início do ano passado.

Quando descobriu a doença, Catra disse que tinha parado de beber e que reduziu o número de cigarros que fumava para realizar as sessões de quimioterapia. Nos últimos meses, havia mudado seus hábitos alimentares e emagrecido mais de 30 quilos. Ele divulgou que estava com o tumor apenas no final de 2017.

A informação da morte foi confirmada pela assessoria de imprensa do funkeiro e por familiares. Catra deixa três mulheres, 32 filhos e quatro netos.

Catra e família durante tratamento (Foto: Reprodução)

"É com enorme pesar que comunicamos o falecimento do amigo e cliente, Wagner Domingues Costa o Mr Catra, que nos deixou na tarde deste domingo, 9, em decorrência de um câncer gástrico. O cantor e compositor estava internado no hospital do Coração (HCor), em São Paulo, e já vinha lutando contra a doença. A informação foi dada a família pelo cirurgião oncológico, Dr. Ricardo Motta, por volta das 15h20 da tarde. Catra deixou três esposas e 32 filhos. Neste momento de sofrimento, agradecemos o carinho, cuidado e compreensão dos amigos da imprensa, e pedimos, gentilmente, para que respeitem o momento de tristeza da família", diz o comunicado divulgado pela assessoria do artista.

Em dezembro, após ser internado às pressas, o cantor havia dito que não sentia muitos efeitos colaterais do tratamento. “Deus foi tão bom comigo que a única vez que eu me senti mal foi nessa internação. Se eu falar que eu senti dor em algum momento, é mentira”, disse na ocasião.

Pouco antes da confirmação do falecimento, às 15h20, uma das filhas, Thamara Oliveira Domingues, fez uma postagem em homenagem ao pai no Facebook. Leia abaixo.

Origem e sucessos
Filho de um frentista e de uma doméstica, Wagner cresceu no Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte do Rio, mas virou Catra por ter sido adotado pela família do patrão de sua mãe, o magnata Edgar Marcos Molina, passando a morar no Alto da Boa Vista, área nobre da capital fluminense.

Segundo o jornal O Globo, a adoção lhe trouxe regalias como a educação em colégios tradicionais, como o Pedro II, onde chegou a ser líder estudantil, e tornou-se poliglota - Catra dizia que falava inglês, francês, alemão, hebraico e grego. Além disso, chegou a cursar Direito na Universidade Gama Filho. 

Entre os principais hits, quase sempre com temas despudorados, estão Adultério (versão de Tédio, da banda Biquíni Cavadão), Vem Todo Mundo, Mama e Uh Papai Chegou. O cantor também foi um dos responsáveis por alavancar a carreira de outros funkeiros e funkeiras famosos, como Tati Quebra-Barraco e Valesca Popozuda.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas