Carnaval da Bahia em Salvador: Fuzuê traz grupos culturais do interior para a capital

salvador
23.02.2019, 21:14:00
(Foto: Marina Silva)

Carnaval da Bahia em Salvador: Fuzuê traz grupos culturais do interior para a capital

Neste sábado 39 atrações desfilaram no circuito Orlando Tapajós

Para dar o pontapé inicial na folia em grande estilo, diversos grupos culturais da Bahia trouxeram um pouquinho do Carnaval de cada região para Salvador. Grupos de Maragojipe, Saubara, Cairu, Cachoeira e de outros municípios desfilaram no Circuito Tapajós (Ondina-Barra) neste sábado (23), durante o Fuzuê. Neste sábado (23), 39 atrações deixaram a orla de Salvador, entre o Clube Espanhol e o Farol da Barra, ainda mais bonita, com muita música, cores, fantasias e serpentinas.  E a festa só começou: domigo (24) é dia de Furdunço (confira a programação abaixo).

“O Fuzuê é um espaço que não se restringe apenas às manifestações da cidade, mas também traz o pessoal do Recôncavo e do interior da Bahia para se juntar em Salvador, fazendo um cortejo cultural com pequenos grupos que têm a oportunidade de se expressar durante essa época tão rica e cheia de turistas”, destacou o secretário municipal de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco.

(Foto: Marina Silva)
(Foto: Marina Silva)
(Foto: Marina Silva)
(Foto: Marina Silva)
(Foto: Marina Silva)

Dentre as manifestações, marcaram presença as Caretas de Cairu, os Mascarados de Maragojipe, o Grupo Cultural Mandu e a Barquinha de Bom Jesus dos Pobres.

O primeiro dia de folia do Pré-Carnaval foi perfeito para quem quis curtir com a família, revivendo os tempos antigos e curtindo sem preocupação. No circuito, deu gente de todas as idades e tribos, mas que estava reunida com o mesmo propósito: a diversão.

E o Carnaval não começou com fanfarra, com grupo do interior e nem com música: o grupo Amigos de Bike abriu o Fuzuê, assim como fazem há quatro anos: de cima das bicicletas. “A gente busca passar que a bicicleta está integrada na mobilidade da cidade”, disse Lúcia Saraiva, 58, aposentada e representante do grupo.

Além daqueles que vão para a folia há anos, o Carnaval também contou com a alegria da primeira vez dos irmãos Nicolas e Wesley e da pequena Laura, que estrearam na folia bem decididos: foram eles que escolheram as fantasias - os meninos estavam de super homem e Laura de unicórnio. Com muito confete e alegria, eles ficaram deslumbrados com o desfile das fanfarras e grupos culturais. Assim como eles, o índio João Guilherme Oliveira, de 1 ano e 8 meses, estava tão animado em seu primeiro Carnaval que saiu andando no circuito encantado com as cores da festa.

Mas não foram só os mais novinhos que curtiram o Carnaval, não. A dona Joana Pereira estava pleníssima no alto de seus 77 anos desfilando e dançando muito do início do circuito até o final. “Eu gosto muito, minha filha. Sempre venho pra dançar!”, disse sem interromper a dança. A animação é uma marca registrada da festa que foi um produto “customizado” para ser da forma que é: divertido e para todas as idades.

“É um dia emblemático, mais intimista, tranquilo, dia de fanfarras, com fantasias e ornamentações. O sucesso é tanto que até grupos que não estão inscritos oficialmente acabam incorporando no meio do desfile”, comemorou o presidente da Empresa Salvador Turismo, Isaac Edington.

O Fuzuê também é importante para formar foliões do futuro. “Nós pensamos muito no folião do futuro, como o Carnaval será eternizado e esse processo perpassa por isso, as pessoas mais velhas trazendo os jovens, as crianças vindo, a curtição sem o medo de ir para a rua”, destacou Edington.

E é de um jeito mais calmo que o Carnaval de Salvador começa, mas promete esquentar muito mais nos próximos dias. “Ele começa nessa temperatura, amanhã (com o Furdunço) esquenta, terça tem o Pipoco e aí só paramos na quarta-feira de cinzas”, disse.

Para o secretário municipal de Cultura e Turismo Cláudio Tinoco, o chamado “pré-Carnaval”, na verdade já é o próprio Carnaval.

“Além do próprio pré-Carnaval da prefeitura, estão se espalhando para a cidade movimentos que começaram há anos ou estão iniciando agora e estão atraindo o público. Por isso mesmo que a gente tem que repensar o conceito do que é o Carnaval da Bahia, de Salvador”, ressaltou.

O prefeito destacou que a festa é feita tanto para soteropolitanos como para turistas que estejam na capital.

“Salvador já está tomada pelo clima de Carnaval. Mais uma vez a cidade está fazendo essa grande festa, não só pra trazer alegria para quem mora aqui, mas também para milhares de turistas que vêm aqui sentir um pouquinho o gosto da folia. A gente vê muita gente na rua, nesse pré-Carnaval o Fuzuê e o Furdunço já estão consolidados, aqui na Barra já há um clima total de festa desde ontem. Além disso, já há um movimento dos bloquinhos, que estão se espalhando em diversos bairros. Esse é o clima de Salvador e é o que a gente sabe de fazer de melhor. Com isso, a gente tem tudo para fazer o melhor Carnaval de todos os tempos”, afirmou ACM Neto.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas