Carro alegórico vai levar réplica da imagem do Bonfim em cortejo

salvador
15.01.2020, 05:30:00

Carro alegórico vai levar réplica da imagem do Bonfim em cortejo

Produção está sendo feita pelo artista plástico Zaca Oliveira

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Zaca Oliveira é o responsável pelo carro alegórico que vai levar a imagem do Senhor do Bonfim
(Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

Há 275 anos, pelo mar, a imagem do Senhor do Bonfim chegava em Salvador vinda de Setúbal, Portugal. O fato deu origem a uma das principais devoções católicas do país. Este ano, para simbolizar esse momento, um carro alegórico transformado em caravela vai transportar a chamada imagem peregrina, uma réplica idêntica à original, ao longo dos oito quilômetros que separam as Basílicas de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, e do Senhor do Bonfim.

Entre 2010 e 2019, uma réplica em tamanho reduzido fez o mesmo percurso. Após 266 anos de devoção, Senhor do Bonfim finalmente participava diretamente da festa. Agora, a participação dele é, literalmente, maior. A imagem tem 1,6 metro. E a embarcação que a trouxe na época também será representada.

Convidado pelo reitor da Basílica do Bonfim, padre Edson Menezes, o artista plástico Zaca Oliveira construiu a estrutura no fundo de uma pick-up. Usou madeira, tecido, arame, cabo de aço e papel crepom.

“Usei muito papel crepom  para lembrar os trabalhos artísticos e manuais dos relicários de Santo Antônio e afins. A ideia é dar um ar mais popular e não industrializado. Como se tivesse sido feito por velhinhas”, explica Zaca, que nasceu e se criou na Peníssula Itapagipana.   

O dono da ideia, padre Edson Menezes, diz que o objetivo é, pouco a pouco, fazer a igreja se aproximar do povo. “Perceba que estamos fazendo de forma gradual. Primeiro foi uma aparição do alto da igreja, em 2009. No ano seguinte, participávamos do cortejo pela primeira vez depois de 266 anos. Agora, vamos de carro alegórico e uma imagem maior. Vai chegar o dia que vamos abrir a igreja no dia da Lavagem”, acredita padre Edson.  

A imagem original, feita de uma madeira rara chamada pinho de riga, é tombada pelo patrimônio histórico e não pode sair da Basílica. Foi feita, então, uma imagem peregrina, idêntica à original, para ser levada a diversos locais.

“Nós somos a igreja que abriga todas as religiões. Acredito que somos responsáveis por conduzir a igreja à modernidade. Antes se isolava os romeiros e peregrinos, hoje temos que incentivar a religiosidade popular. Temos que estar no meio do povo para acompanhar e acolher essas pessoas. É o que diz o próprio Papa Francisco”, diz Francisco José Pitanga Bastos, 75 anos, que é integrante da Devoção do Senhor do Bonfim há mais de duas décadas.

Nesta quarta-feira (15), a imagem peregrina será levada no Catamarã Senhor do Bonfim até o Comércio, o ponto de partida do cortejo. Não será uma procissão marítima. O objetivo é que, na véspera da festa, Senhor do Bonfim “durma” na Conceição da Praia, para que nesta quinta (16), logo cedo, volte para seu templo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas