Carro que atropelou agente da Transalvador ficava com amigo, diz dono do veículo

salvador
29.04.2022, 15:20:00
Dono de carro disse que não ficava com o veículo (Reprodução/TV Bahia)

Carro que atropelou agente da Transalvador ficava com amigo, diz dono do veículo

Proprietário diz que usava garagem emprestada e não sabia que carro estava rodando

O proprietário do carro usado no atropelamento que matou um agente da Transalvador na última quarta-feira (27) afirmou, nesta sexta-feira (29), que não estava no carro no momento da colisão e que o veículo ficava guardado na garagem da casa de um amigo.

No dia do acidente, o agente Jailton Pereira do Nascimento, 53 anos, trabalhava na organização do trânsito da Avenida Paralela. O carro bateu na traseira da viatura da Transalvador e o impacto arremessou o agente para o canteiro da pista. Ele morreu no local.

Nesta sexta (29), Jonas Benício, advogado do dono do automóvel, o empresário Luís Fabiano Gomes, afirmou que o veículo estava com Humberto Mascarenhas. O bem havia sido confiado a ele há quase dois anos. De acordo com Fabiano, a decisão foi tomada desde que o carro virou alvo de uma penhora judicial durante seu processo de divórcio. 

"Uma coisa eu tenho certeza: o carro é meu, sou proprietário e ele está em meu nome. Estava guardado com uma pessoa que eu confiava e que traiu a minha confiança. Agora não sei o que vai acontecer, só sei que sou inocente", disse Fabiano, em entrevista à TV Bahia

Durante o sepultamento do agente de trânsito, o superintendente da Transalvador, Marcus Passos, afirmou ao CORREIO que as últimas cinco notificações incluídas no documento do veículo são por excesso de velocidade.

Quanto ao fato, o advogado informou ter sido uma surpresa para Fabiano, já que ele não recebeu nenhuma das notificações. Como o veículo é registrado em Alagoinhas, antigo endereço residencial do proprietário, a suspeita de Jonas é que as multas tenham chegado lá.  

“Foi uma surpresa, porque o endereço está registrado como Alagoinhas, na antiga residência em que ele morava com a ex-mulher. Se chegava multa, chegava lá. Como ele está em Salvador, na região de Tancredo Neves, ninguém remeteu as multas a ele”, explica o advogado. 

Jonas Benício contou ter sido informado que Humberto também alega inocência e que, segundo o amigo de Fabiano,o carro havia sido repassado a um homem identificado como Franklin Nascimento, que teria causado o acidente. Ainda conforme o advogado, o carro foi parar nas mãos de Franklin como uma penhora de Humberto, por dificuldades financeiras. “Ele diz que passou por um momento financeiro ruim e deu o carro como garantia de um empréstimo, sem permissão para que a pessoa usasse, apenas para garantir o pagamento do valor”, explica o advogado.

O suspeito deve se apresentar à polícia na tarde desta sexta-feira (29).

Atropelamento e morte
De acordo com a Transalvador, Jailton e outro colega de profissão estavam ordenando o fluxo de veículos na primeira faixa da direita da avenida quando foi atingido. Ainda segundo o órgão de trânsito, o veículo estava em alta velocidade. Com o impacto da batida, Jailton acabou sendo arremessado para o canteiro.

O motorista fugiu do local do acidente. O agente da Transalvador foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ainda no local, mas não resistiu aos graves ferimentos. Um outro agente que testemunhou o acidente ficou em estado de choque e foi levado a uma unidade de saúde.

Segundo a Transalvador, o automóvel que atropelou o agente foi levado para o pátio da autarquia de trânsito, onde passará por perícia técnica. 

Agente de trânsito morreu no local (Foto: reprodução)

Em nota, a Transalvador lamentou a morte do agente e informou que "não vai medir esforços para que o condutor seja localizado e que as medidas cabíveis sejam tomadas."

Jailton trabalhava como agente de trânsito há mais de vinte anos. Ele deixa uma esposa e filhos. O caso foi registrado na Central de Flagrantes. Em nota, a Polícia Civil informou que trabalha para identificar o condutor do veículo que atropelou Jailton. O caso é investigado pela 9ª Delegacia.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas