Casal acusa cigana de receber R$ 60 mil e não resolver problema espiritual

em alta
21.03.2022, 12:55:51

Casal acusa cigana de receber R$ 60 mil e não resolver problema espiritual

Mulher afirmava que devolveria dinheiro, mas sumiu com a quantia

Um casal afirma que foi vítima de um golpe aplicado por uma cigana de Goiânia, em Goiás. Os dois contrataram a mística para resolverem problemas espirituais no casamento. Para isso, investiram R$ 60 mil, mas não tiveram os problemas resolvidos e, muito menos, o dinheiro de volta.

De acordo com a cigana, o dinheiro seria usado para que o casamento "recebesse a benção" ” por meio do valor para desfazer “trabalhos” realizados contra a vida deles. 

“Nesse momento, eu peço a permissão dos meus anjos, meus guias, para cruzar todo mal e inveja”, disse a mulher, em mensagem enviada ao casal e encaminhada à Polícia Civil.

O casal mora no Tocantins e conheceu a cigana pelas redes sociais. A esposa chegou a ir para Goiânia em busca de investigação espiritual e contou à TV Anhanguera ter pagado R$ 100 pela primeira consulta.

Depois de combinar o trabalho espiritual, a cigana começou a pedir mais dinheiro para o casal. O marido enviou um áudio para a esposa contando que a cigana pediu mais R$ 50 mil para quebrar maldições que iriam acontecer com ele.

Depois, a cigana recebeu mais R$ 10 mil do casal, que, conforme acrescentou, sempre prometeu que iria devolver o dinheiro posteriormente. O casal chegou a vender o carro para pagar a dívida.

Na última tentativa de aumentar o valor do golpe, a cigana pediu mais R$ 150 mil ao casal. Sem dinheiro, esposa e marido pediram a ela que o trabalho fosse encerrado, mas a mulher reagiu e disse que colocou fogo no dinheiro.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas