Casal que morreu atropelado por táxi fazia churrasco no momento do acidente

salvador
06.09.2021, 12:36:00
(Reprodução)

Casal que morreu atropelado por táxi fazia churrasco no momento do acidente

Veículo perdeu controle, bateu em outro carro e invadiu calçada na Liberdade

O casal que morreu atropelado por um táxi sem controle na Liberdade na madrugada de domingo (5) costumava aproveitar os finais de semana para curtir um churrasco na calçada com vizinhos. Era isso que acontecia no momento que o veículo perdeu controle e atingiu as vítimas na calçada ontem. Segundo moradores, o carro vinha acima da velocidade, entrou na contramão e se chocou com outros veículos antes de atropelar as pessoas.

Shylane Guimarães e Adriandson de Souza morreram no local. Outras duas pessoas atingidas sobreviveram e não há detalhes sobre o estado de saúde delas. O motorista do táxi está internado em estado grave no Hospital Geral do Estado (HGE). 

"Finalizando o churrasco, quando o cidadão veio com o carro desgovernado. Atingiu o carro que estava na frente, subiu no passeio, bateu no poste e atingiu o casal que estava no passeio bebendo", disse à TV Bahia José Silva, que é dono do bar onde o pessoal estava sentado, na frente do estabelecimento.

Ele diz que por pouco a situação não foi ainda pior. "Quando eu saí desesperado, ele (Adriandson) já estava todo ensanguentado. Eu saí correndo, empurrando o pessoal para não ser uma tragédia maior. Outro rapaz pulou por cima do capô do carro do taxista e só teve um corte na perna", diz.

O tio de Adriandson, Joilson Carvalho, lamentou a morte. “Eu sinto muita tristeza porque eu criei ele desde pequeno e tive essa perda lastimável num trágico acidente. Aí só tristeza mesmo", afirmou. Os corpos serão sepultados nesta segunda no Cemitério Bosque da Paz.

O taxista, identificado como Erivaldo da Souza Cruz, foi encaminhado ao Hospital Geral do Estado (HGE). Segundo Denis Paim, presidente da Associação Geral de Taxistas (AGT), ele ficou em estado delicado e foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). De acordo com Paim, o taxista ficou preso às ferragens até por volta das 4h da manhã. O taxista trabalhava no momento do acidente - ele costumava rodar à noite. Familiares contaram a Paim que ele toma remédios controlados e passou mal ao volante. Erivaldo, que é morador da Liberdade, trabalha como taxista há 30 anos.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas