Caso Sáttia: polícia mantém indiciamento por tentativa de feminicídio de ex contra médica

salvador
25.11.2020, 17:34:00
Atualizado: 25.11.2020, 17:44:35
(Foto: Reprodução/Google Maps e redes sociais)

Caso Sáttia: polícia mantém indiciamento por tentativa de feminicídio de ex contra médica

Novos documentos foram anexados ao inquérito policial, que foi reenviado ao MP-BA na sexta-feira (20)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A polícia reencaminhou ao Ministério Público da Bahia o inquérito que investigou o caso da médica Sáttia Lorena Aleixo, de 27 anos, que caiu de um prédio no bairro de Armação, em Salvador, no mês de julho. O documento foi enviado ao órgão na última sexta-feira (30), e nele foi anexado o laudo da reconstituição simulada do dia da queda.

De acordo com a Polícia Civil, o laudo concluiu que houve ameaças e agressões físicas do ex-companheiro da médica, Rodolfo Cordeiro Lucas, contra ela, mas foi inconclusivo sobre como teria acontecido a queda.

Apesar disso, o inquérito manteve o indiciamento do suspeito por tentativa de feminicídio com base em outras provas que compõem a investigação, como o próprio depoimento da vítima, que negou ter pulado e declarou que Rodolfo tinha intenção de "acabar com a vida dela". O Ministério Público da Bahia (MP-BA) confirmou que já recebeu a documentação, mas não informou qual o status da análise. 

O inquérito policial já havia sido enviado ao MP-BA em setembro, no entanto, o órgão solicitou novas diligências, como a reconstituição, escuta de mais testemunhas e novo depoimento da médica. Na época, o advogado de defesa do acusado, Gamil Föppel, criticou o primeiro relatório produzido pela Delegacia da Mulher de Brotas (Deam), responsável pela investigação. Segundo ele, estava com "erros de língua portuguesa", teria confusões sobre termos do direito penal, e deixava de mencionar que havia quatro substâncias de uso controlado na amostra de sangue de Sáttia Aleixo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas