Cenas de Carnaval: BaianaSystem

salvador
03.03.2019, 05:00:00
(Evandro Veiga/13.2.2018/Arquivo CORREIO)

Cenas de Carnaval: BaianaSystem

A folia do presente quem faz é o folião

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quem é que faz o Carnaval? No início da década de 90, a axé music começou seu reinado na Bahia e no país. Seu predomínio, de cerca de 20 anos, foi marcado por indústria musical e comercial ampla que, se por um lado, fortaleceu o Carnaval baiano, por outro foi o principal responsável por uma segregação social que transformou a festa.

Mas ‘o Carnaval ainda quem faz é o folião’. A frase é um verso de uma das músicas do fenômeno mais ‘imprevisto’ do Carnaval nos últimos anos, a BaianaSystem. Se a axe music é marcada pela boa relação com autoridades políticas, por exemplo, a banda, que surgiu como um projeto de revitalização da guitarra baiana, enche as ruas de protesto.

Transparente, mais real e com uma batida multicultural, a Baiana já chegou de voadora na festa, em que fez sua estreia em trio em 2013. De máscaras da banda (ou não), os foliões mostram que o Carnaval pipoca é fundamental para que a festa continue sendo para todos.

*Cenas de Carnaval é um oferecimento do Bradesco, com patrocínio do Hapvida e apoio da Vinci Airports, Fieb, Salvador Shopping, Unijorge, Claro, Itaipava Arena Fonte Nova e Sebrae

Carnaval 2013
Carnaval 2013 (Roberto Abreu/Arquivo CORREIO)
Carnaval 2015
Carnaval 2015 (Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO)
Carnaval 2018
Carnaval 2018 (Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas