Cenas de Carnaval: Doces Bárbaros

salvador
08.02.2019, 05:00:00
Atualizado: 08.02.2019, 16:54:18
(Marcio Costa e Silva/26.02.01/Arquivo CORREIO)

Cenas de Carnaval: Doces Bárbaros

Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia se reuniram após 25 anos exatamente no Carnaval de Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Bahia possui diversos mestres na música, mas uma peculiaridade é que quatro dos maiores começaram e cresceram juntos na arte: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Gal Costa. Amigos e parceiros de genialidade.

Lá em 1976, resolveram se juntar e comemorar juntos os dez anos de carreira de cada um. Nascia assim os Doces Bárbaros. A celebração virou turnê, disco e documentário. Também virou saudade, já que, depois dali, os quatro mestres baianos resolveram novamente seguir suas carreiras.

Gil e Caetano sempre fizeram questão de participar do Carnaval. O primeiro é membro frequentador dos Filhos de Gandhy, montou camarote para receber amigos e, mesmo na época em que foi Ministro da Cultura, entre 2003 e 2008, fazia participações em trios de outros artistas e saía com seu Expresso 2222.

Caetano também não fica atrás. Saía no Gandhy e sempre que podia, estava lá em cima de um trio dando uma palhinha com artistas como Daniela Mercury e Margareth Menezes, entre outros.

Gal e Ricardo Chaves em 2000
Gal e Ricardo Chaves em 2000 (Haroldo Abrantes/Arquivo CORREIO)
Lázaro Ramos e Caetano em 2007
Lázaro Ramos e Caetano em 2007 (Evandro Veiga/Arquivo CORREIO)
Gil nos Filhos de Gandhy em 2008
Gil nos Filhos de Gandhy em 2008 (Paulo M. Azevedo/Arquivo CORREIO)

Gal pouco participou da folia e Bethânia estreou somente em 2001. Foi nesse ano que o Carnaval homenageou um dos mestres deles quatro, Dorival Caymmi. E o trio do Bloco da Cidade foi responsável por reunir os Doces Bárbaros pela primeira vez em 25 anos, ao menos num ‘palco’.

O quarteto relembrou canções de Caymmi, como O Que é Que a Baiana Tem?, Tarde em Itapuã, Marina e Maracangalha, entre outras músicas, e ainda contou com canjas de Alice e Danilo Caymmi.

A festa foi tão boa que, no ano seguinte, os Doces Bárbaros fizeram mais duas apresentações, uma no Rio e outra em São Paulo. Afinal, o resto do país precisava ver mais uma vez os mestres baianos juntos. 
Caetano e Gil seguem participando do Carnaval, mas Gal e Bethânia se afastaram. Quem sabe um dia...

*Cenas de Carnaval é um oferecimento do Bradesco, com patrocínio do Hapvida e apoio da Claro, Fieb, Salvador Shopping, Vinci Airports e Unijorge

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas