Cerimonial da Igreja da Conceição é inaugurado no Centro Histórico

salvador
19.06.2019, 15:26:00
Atualizado: 19.06.2019, 15:28:05
(Almiro Lopes/CORREIO)

Cerimonial da Igreja da Conceição é inaugurado no Centro Histórico

Eventos poderão começar a ser agendados em um período de dois a três meses

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quem estava acostumado a passar pela região do Comércio, próximo à Basílica da Conceição da Praia, e encontrar casarões vizinhos à igreja, destroçados e em estado de má conservação, já pode ir se acostumando. A partir desta quarta-feira (19), o local conta com um novo espaço receptivo, vinculado à basílica e administrado pela Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia.

Ligados a um dos principais templos religiosos da capital baiana, os dois prédios são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e foram unificados, dando lugar ao espaço Cerimonial da Conceição da Praia. A previsão é que a agenda de eventos seja aberta daqui a dois ou três meses – tempo suficiente para obter os alvarás de funcionamento, pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sucom) e pelo Corpo de Bombeiros. 

Os dois andares têm abertura para um e outro (Foto: Mário Vitor Bastos/ Divulgação Iphan)

Participaram da cerimônia o prefeito ACM Neto, a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, o secretário adjunto de Cultura do Ministério da Cidadania, José Paulo Martins, o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, demais autoridades municipais e estaduais, além de representantes da Irmandade Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia.

Neto destacou a importância da diversidade cultural e religiosa do povo baiano, além da valorização do patrimônio histórico e religioso da Bahia. Para ele, o bom momento que Salvador vive é propício para gerar futuras intervenções em outros pontos da cidade, que serão executadas em parceria com o Iphan.

“Salvador vive um momento muito especial no que se refere a valorização do seu patrimônio histórico e cultural. Há também um componente importante da fé, que é uma característica extraordinária do nosso povo. Nós somos a terra da diversidade, um povo marcado pela tolerância, pela capacidade de viver com as diferenças, mas, independentemente da religião que as pessoas sigam, uma das marcas incontestáveis do povo baiano é a sua fé. A soma de tudo isso vai dar uma perspectiva de efetiva sustentabilidade para esta área fundamental da cidade”, afirmou o prefeito. 

Neto revelou ainda que a prefeitura trabalha com o objetivo de estimular a ocupação do centro histórico. “É o maior volume de investimento da história da prefeitura em requalificação do patrimônio histórico da nossa cidade. São cerca de R$ 300 milhões de investimento. Essa é a grande vantagem estratégica que está sendo trabalhada por nós. E ela não tem apenas um viés, ela tem diversos, como o de estimular a atividade econômica, a ocupação do Centro Histórico, que é um dos locais mais importantes de Salvador. Nos próximos anos, Salvador estará cada vez mais consolidada como um dos principais destinos turísticos do país”, garantiu.

Segundo Kátia Bogéa, a gestão municipal entregou três projetos de revitalização para a cidade. A restauração e construção do Cerimonial Conceição da Praia já é a sétima intervenção do Iphan através do PAC Cidades Históricas em Salvador. Além da Basílica, também foram contratadas as restaurações dos Arcos da Ladeira da Montanha e a revitalização do elevador do Taboão.

“Esses projetos tratam de imóveis numa das partes mais importantes da cidade e que já havia desabado. A gente conseguiu recuperar a volumetria e a significância dele. Sem contar que, ao lado, fica uma das igrejas mais importantes desde o início da colonização, que é a Conceição da Praia. Ao fazer isso, estamos possibilitando que o patrimônio seja utilizado de forma sustentável, para que a recuperação desse patrimônio possa gerar recursos para a preservação do outro. Esse espaço vai fazer isso e gerar recursos para a preservação da igreja também”, disse a presidente.

Já o secretário de cultura do governo, ressaltou o papel da pasta de cultura em defesa do patrimônio histórico nacional. “A gente espera, além dessa obra, entregar várias outras no decorrer dos anos. Acredito que a cultura pode mudar essa nação no ponto de vista de cidadania. Toda vez que for associado o turismo com a cultura, a cidade será potencializada e terá uma condição de desenvolvimento social única”, contou José Paulo Martins.

Cerimônia aconteceu nesta quarta (19) (Foto: Almiro Lopes/CORREIO)

Devota da Nossa Senhora da Conceição da Praia, a aposentada Marinalva Muller, 68 anos, mora no Largo do Dois de Julho e fez questão de comparecer à celebração em ação de graças e homenagem à inauguração do novo patrimônio da basílica. 

“Acredito que nem todo mundo sabe que dentro dessa igreja existe a basílica menor, que foi onde tudo começou, e que tem 473 anos, construída por Thomé de Souza. Essa é a nossa casa, a casa da nossa mãe. Uma casa para acolher todos os baianos. Por tudo que foi construído e recuperado, o sentimento que temos hoje é de gratidão. Isso aumenta mais a nossa fé”, revelou Marinalva.  

Responsável por encerrar a solenidade, Dom Murilo benzeu o espaço e fez uma oração. “É uma riqueza para a nossa cidade. É muito importante essa compreensão que a gente tem tido dos diversos órgãos municipais, estaduais e federais para a restauração desse patrimônio. É um desafio ser um arcebispo numa cidade onde se tem o maior patrimônio religioso, artístico da América Latina, um dos maiores do mundo. O peso tem diminuído com todo esse apoio", admitiu.

Recuperação do patrimônio
O patrimônio histórico em Salvador, através do PAC Cidades Históricas, está recebendo diversas ações de recuperação. Dentre as intervenções se destacam a entrega da Casa do Carnaval, ocorrida no ano passado, no Pelourinho, e das obras para instalação da futura sede da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e da área técnica do Espaço Cultural da Barroquinha, em frente à Praça Castro Alves.

Com projeto do Iphan e recursos municipais, estão em obra dois importantes pontos históricos da cidade: o Elevador do Taboão, inativo há mais de cinco décadas e que fazia a ligação das cidades Alta e Baixa, no Comércio, e os Arcos da Ladeira da Montanha, no Centro, com investimento total de cerca de R$ 7,5 milhões. Em breve, deverá ser iniciada a obra de recuperação da muralha do frontispício, entre a Praça Castro Alves e a Ladeira da Misericórdia.

O espaço é composto por dois imóveis, que foram completamente restaurados e modernizados pelo Iphan, com investimento de mais de R$ 14 milhões, através do PAC Cidades Históricas. 

* Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas