Chás podem ser aliados para emagrecimento, mas não fazem milagre

saúde
22.10.2017, 07:00:00

Chás podem ser aliados para emagrecimento, mas não fazem milagre

Em excesso, eles podem levar a problemas cardíacos, no fígado,nos rins e até à óbito; saiba como usar da forma correta

Gelado, quente, com limão ou com leite, feito a partir de infusão, de cápsulas para máquina ou misturas prontas industrializadas. Não importa o sabor ou como foi o preparo: o fato é que o cházinho caiu no gosto dos baianos. Com a moda fitness, muitos têm buscado na bebida uma aliada para a perda de peso. E os chás podem, sim, ajudar na redução de medidas, mas é preciso ficar atento: dependendo da quantidade e das condições de saúde de quem bebe, podem até levar à morte.

“Os chás podem ser utilizados como auxiliares em muitas terapias, dentre elas a perda de peso, desde que dentro de um plano terapêutico de um médico ou nutricionista”, explica o endocrinologista Fábio Trujilho, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Segundo ele, os chás que têm propriedades diuréticas (que estimulam a produção de urina) ou termogênicas (aceleram o metabolismo) e são os mais indicados para quem quer reduzir as medidas. 

“Eu gosto mesmo, tomo quase todo dia”, diz o administrador Adriano Amaral Tavares Filho, 24 anos. Para emagrecer, ele começou a tomar chás regularmente há cerca de dois meses, quatro vezes por semana. “Eu acabei indo mais ao banheiro, então senti meu corpo desinchar”, conta. Mas Adriano sabe que o chá, sozinho, não faz milagre. “Não é a única coisa que resolve. Eu tô fazendo também dieta e academia”, afirma. 

“Eu gosto mesmo, tomo quase todo dia”, diz o administrador Adriano Amaral, que toma chá para emagrecer
(Foto: Almiro Lopes/CORREIO)

“Não é o chá que vai fazer a pessoa emagrecer. Infelizmente, porque seria ótimo tomar um chá e ficar com o corpo legal”, brinca a nutricionista Janaína Queiróz, especialista em fitoterapia e vice-presidente do Conselho Regional de Nutricionistas da 5ª Região (CRN-5)

Mesmo assim, os chás estão em alta. Os “da moda” são sugeridos por blogueiros, personalidades e influenciadores digitais, conforme explica André Silva Pinto, farmacêutico especialista em fitoterapia da Clínica Pétala Estética e Fitoterapia Emagrecer. Segundo ele, a perda de peso é um dos fatores mais cobiçados da vaidade humana, por isso é tema de modismo: “Já houve o tempo do chá verde, da alcachofra, do goji berry, chá seca barriga e sempre surgem novos chás para o tão desejado emagrecimento”.

Cuidados 
Os profissionais da área de saúde concordam que não adianta beber xícaras de chá para diminuir as medidas. O endocrinologista Fábio Trujilho explica que o uso isolado de chás não é indicado pela SBEM para emagrecimento. 

Adriano começou tomando chá de hibisco orientado por um nutricionista, mas hoje faz uma mistura que contém também cavalinha, chá verde, gengibre, canela e hortelã. “Eu que dei uma potencializada procurando na internet”, admite. MNas o farmacêutico André Silva Pinto explica que o ideal é usar, no máximo, três tipos de plantas por chá, para evitar o risco de interação entre seus componentes. 

“Mas só uso dois ou três mesmo. Canela e gengibre não contam”, brinca Adriano ao saber da informação. Ele diz que acrescenta os dois componentes à mistura para melhorar o gosto amargo do chá. “Não é a melhor coisa do mundo, mas me acostumei. O gengibre e a canela dão uma quebrada no sabor do hibisco e da cavalinha”, justifica.
 
A diferença é a dose 
Para a nutriocista Janaína Queiróz, é preciso saber que chás não são inofensivos. “Só porque chá é natural, não quer dizer que ele é inócuo”, enfatiza. “O uso com essa finalidade não pode ser indiscriminado, tem que ter orientação”.

A crença de que a bebida não faz mal por ser proveniente da natureza é muito comum. “Já tomei o chá de 30 ervas e o de sete ervas. Ouvi falar que é menos prejudicial que misturar por conta própria, porque acho que os especialistas fazem de modo que não faça mal pra gente”, conta a aposentada Ourisvalda Gomes. 

No entanto, os chás podem causar sérios problemas de saúde, além de interferir na absorção e ação de medicamentos de uso contínuo. “Atualmente é frequente ver pessoas utilizando squeezes com preparados de plantas termogênicas em academias ou carregando para onde vão”, diz o farmacêutico André Silva Pinto.

Mas não adianta insistir: beber bules de chá de uma só vez, além de não aumentar a perda de peso, pode causar sérios problemas de saúde. 

Não só o excesso, mas o uso contínuo de um chá muito concentrado também pode ser prejudicial. “A maior preocupação é a hepática. O fígado vai depurar tudo e o uso indiscriminado do chá pode levar a algum problema hepático, além de problema nos rins, porque eles filtram tudo”, explica Janaína Queiróz. “Se a pessoa tiver alergia a um composto do chá, isso pode levar até a óbito. É raro, mas pode acontecer”, alerta.

Os chás termogênicos, como o de hibisco e o chá verde, podem agravar problemas de ansiedade, insônia e gástricos. Além disso, o endocrinologista Fábio Trujilho afirma que eles podem levar a problemas cardíacos e até a “descontrolar uma doença cardíaca que estava controlada”. 

Preparo correto 
Existem três formas de se preparar chá: decocção, infusão e maceração. O chá por infusão é um preparado feito pelo usuário no qual se derrama água fervente sobre a planta medicinal e em seguida se abafa a misturapor pelo menos 15 minutos. Esse método é mais indicado para chás que utilizem partes menos rígidas dos vegetais, como folhas, flores e frutos.

Para as partes mais rígidas, como raízes, rizomas, caules e sementes, o método indicado é a decocção, que consiste em ferver a água com a planta por um período de tempo. 

O método de maceração, por sua vez, consiste em esmagar a parte da planta em água em temperatura ambiente ou morna. Ele é recomendado para plantas que possuam substâncias chamadas termossensíveis, que se degradem com aquecimento, como o alho e a berinjela.

Para extrair ao máximo as propriedades terapêuticas da bebida, o chá deve ser ingerido o mais rápido possível a partir do momento do preparo, pois alterações químicas podem ocorrer com o passar do tempo, reduzindo seus efeitos.

Segundo Dr. Fábio Trujilho, os chás mais usados para o emagrecimento são chá verde, de hibiscos, cavalinha, laranja amarga e gengibre.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/minuto-de-carnaval-e-preciso-se-cuidar-para-aguentar-todos-os-dias-de-folia/
Chefe de reportagem Jorge Gauthier dá dicas para ficar atento à saúde
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/rui-costa-se-nao-vai-ajudar-pelo-menos-me-deixe-trabalhar-em-paz/
Governador falou em "perseguição" do governo federal
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/minuto-de-carnaval-hoje-tem-o-ultimo-ensaio-do-cortejo-afro-no-pelourinho/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/confira-os-melhores-momentos-de-vitoria-0x0-freipaulistano/
Leão segue invicto em 2020 e na zona de classificação
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/minuto-de-carnaval-hoje-tem-furdunco-e-banho-de-mar-a-fantasia/
O chefe de reportagem Jorge Gauthier apresenta quadro
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/minuto-de-carnaval-hoje-tem-fuzue-e-festa-no-mar/
O chefe de reportagem Jorge Gauthier apresenta quadro
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/diretora-baiana-fala-sobre-nu-artistico-de-mulheres-com-mais-de-60-muito-amor/
No documentário Nuas e Cruas, Mariana Ayumi, 21, reflete sobre corpo, nudez e feminismo
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/rica-em-historia-igreja-de-sao-domingos-e-pouco-explorada-no-turismo-religioso/
Local é ofuscado pela fama do Convento de São Francisco, a Igreja do Ouro
Ler Mais