Chuva causa alagamento em avenida, desabamento em casarão e queda de árvore

salvador
25.03.2019, 07:22:20
Atualizado: 25.03.2019, 15:24:43

Chuva causa alagamento em avenida, desabamento em casarão e queda de árvore

Avenida ACM ficou alagada e passageiros de ônibus foram resgatados

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O início da manhã desta segunda-feira (25) não foi fácil para os soteropolitanos, após o temporal que caiu na madrugada e provocou, entre outros danos, quedas de árvores e desabamentos. Na Avenida ACM, um ponto de alagamento, próximo à loja Comercial Ramos e ao Hospital Tereza de Lisieux, deixou motoristas ilhados e congestionou o trânsito na região, pouco antes das 7h, quando o movimento de veículos começava a aumentar. 

A água começou a baixar, por volta de 7h15, e alguns motoristas começaram a se arriscar avançando sobre a área com água acumulada. Os passageiros de um ônibus, que ficou parado na área alagada, foram resgatados por homens do Corpo de Bombeiros Militar.

Foto: Leitor CORREIO

Na Pituba, duas árvores caíram, uma delas sobre um carro nas imediações da Rua Ceará.

Foto: Fernanda Varela/CORREIO

Também no bairro da Pituba, nas proximidades do Colégio São Paulo, outra árvores também caiu sobre veículos. Prepostos da prefeitura já foram enviados ao local para fazer a remoção do arbusto. Não há registro de feridos.

(Foto: Leitor CORREIO)
(Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

No bairro do Santo Antônio Além do Carmo, um casarão desabou parcialmente e o Corpo de Bombeiros Militar (CBM) também precisou agir. As sete pessoas (duas crianças, um idoso e quatro adultos) que estavam presas no local foram resgatadas e o estado de saúde das vitimas é considerado bom.

Foto: CBM/Divulgação

Segundo a assessoria do CBM, outras cinco pessoas que também estavam na edificação, numa área que não foi atingida, foram orientadas pelos bombeiros militares a deixarem a estrutura.

A Defesa Civil de Salvador (Codesal) informou que foram feitas 12 vistorias no imóvel - a primeira delas em 2005. A edificação, segundo a Codesal, é antiga e ocupada irregularmente, em estado precário de conservação, tombado e que não pode ser demolido - razão pela qual foi escorado em sua fachada.

São três pavimentos em condições instáveis - sendo o térreo ocupado. Os demais apresentam desabamento parcial da estrutura com risco iminente de colapso de partes das estrutura sobre o pavimento térreo. "Os ocupantes foram instados a deixarem o imóvel e encaminhados ao auxílio social. Mesmo recebendo auxilio moradia da Prefeitura, retornaram irregularmente ao local", informou o órgão em nota.

Paralela
Já a Avenida Paralela registrou trânsito intenso nessa manhã, com os motoristas transitando com cautela.

Segundo a Superintendência de Trânsito (Transalvador), o efetivo do órgão permanece em estado de atenção para diminuir transtornos causados pela chuva na cidade desde as primeiras horas da madrugada. "Em caso de emergência no trânsito, ligue para o Fala Salvador, número 156, ou entre em contato pelo app Noa Cidadão", orienta o órgão.

A Codesal divulgou também nesta segunda um novo alerta, informando que ainda há risco para alagamentos e deslizamentos de terra, apesar da previsão de chuvas fracas a moderadas para as próximas 24h. 

Ocorrências
Até as 11h10 desta segunda (25), a Codesal registrou 98 ocorrências em decorrência das chuvas.

Foram oito alagamentos de imóveis, um alagamento de área, 12 ameaças de desabamento, duas ameaças de desabamento de muro, 20 ameaças de deslizamento, oito árvores ameaçando cair, duas árvores caídas, sete avaliações de imóveis alagados, dois desabamentos de imóvel, quatro desabamentos de muro, três dasabamentos parcias, 20 deslizamentos de terra, um destelhamento e uma pista rompida. Não houve registro de feridos. 

Os maiores totais acumulados de chuvas em 24 horas foram registrados em São Critovão (66,8 mm), Mont Serrat (61 mm), Cosme de Farias (57,3 mm), Ilha dos Frades (44,4 mm) e Pernambués/Ondina  (39,8 mm). A Codesal permanece de plantão 24 horas, atendendo às solicitações pelo telefone gratuito 199.

Ciclone rebaixado a tempestade tropical 
Já a tempestade tropical “Iba” permanece em alto-mar, na altura da costa referente à cidade de Linhares (ES), estendendo-se entre o litoral sul do estado da Bahia e norte do Espírito Santo e apresentando intensidade máxima dos ventos de 83 km/h (45 nós) às 9h do dia 25, informou a Marinha do Brasil.

Há previsão de mar grosso a muito grosso, com alturas de ondas entre 3 e 5 metros em alto-mar e possibilidade de ocorrência de ressaca atingindo a costa entre Vitória (ES) e Caravelas (BA), com ondas de até 2,5 metros, até a noite desta segunda (25). A condição de tempo severo provocada por esse sistema ocorrerá principalmente em alto-mar, associada à chuva intensa.

O deslocamento da tempestade tropical é previsto predominantemente para Sul, com leve componente para Oeste nas próximas 12 horas, sem previsão de atingir a costa nesse período. Seus efeitos poderão ser sentidos no litoral sul do estado da Bahia e do Espírito Santo, até quarta-feira (27). 

São esperados ventos fortes nas proximidades do litoral sul do estado da Bahia e do Espírito Santo, podendo atingir 87 km/h (47 nós) em alto-mar, no setor Leste do ciclone, e 61 km/h (33 nós) junto à costa, durante todo o período de atuação do ciclone.

Confira nota oficial enviada pela Marinha:
"A Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) e em colaboração com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe), participa que a Tempestade Tropical “Iba” se localiza em alto-mar, com centro na posição geográfica 19,0ºS 037,0ºW, na altura da costa referente à cidade de Linhares (ES), estendendo-se entre o litoral sul do estado da Bahia e norte do Espírito Santo e apresentando intensidade máxima dos ventos de 83 km/h (45 nós) às 9h do dia 25. Seu deslocamento é previsto predominantemente para Sul, com leve
componente para Oeste nas próximas 12 horas, sem previsão de atingir a costa nesse período. Seus efeitos poderão ser sentidos no litoral sul do estado da Bahia e do Espírito Santo, até o dia 27. Será emitida nova atualização até o final do dia 25.

São esperados ventos fortes nas proximidades do litoral sul do estado da Bahia e do Espírito Santo, podendo atingir 87 km/h (47 nós) em alto-mar, no setor Leste do ciclone, e 61 km/h (33 nós) junto à costa, durante todo o período de atuação do ciclone. Há previsão de mar grosso a muito grosso, com alturas de
ondas entre 3,0 e 5,0 metros em alto-mar e possibilidade de ocorrência de ressaca atingindo a costa entre Vitória (ES) e Caravelas (BA), com ondas de até 2,5 metros, até a noite do dia 25. A condição de tempo severo provocada por esse sistema ocorrerá principalmente em alto-mar, associada à chuva intensa.
A Marinha do Brasil mantém todos os avisos de mau tempo em vigor no endereço eletrônico https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-avisos-de-mau-tempo/avisos-de-mau-tempo

A Marinha do Brasil, o Inmet e o CPTEC/Inpe acompanharão a formação e a atuação desse sistema nos próximos dias e as atualizações serão divulgadas nos sites: https://www.marinha.mil.br/chm/http://www.inmet.gov.br/portal/ e https://www.cptec.inpe.br/ e pelo Facebook, em @servicometeorologicomb e @inpe.cptec. As informações também poderão ser acessadas por meio do aplicativo Boletim ao Mar, disponível para download na internet, tanto para o sistema Android quanto para o iOS, desenvolvido em parceria entre a Marinha do Brasil e o Instituto Rumo ao Mar (RUMAR). Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas