Chuva intensa atinge Salvador nesta quarta-feira (22); previsão de trovoada

salvador
22.01.2020, 11:50:19
Atualizado: 22.01.2020, 15:52:48
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Chuva intensa atinge Salvador nesta quarta-feira (22); previsão de trovoada

Defesa Civil recebeu 31 pedidos de ajuda

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Defesa Civil do Salvador (Codesal) alertou a população para a chegada de chuvas intensas nas próximas 24 horas, por conta do sistema de baixa pressão que atuou sobre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo na última semana e ocasionou chuvas intensas nos dois estados, gerando alagamentos e vários deslizamentos de terra. Por volta das 10h desta quarta-feira (22)  a frente fria chegou a Salvador, com chuvas fracas a moderadas, acompanhadas de trovoadas e rajadas de vento. 31 ocorrências foram registradas dentre elas o isolamento de um prédio na Rua Conselheiro Dantas, no bairro do Comércio, que está isolado com risco de desabamento.

Foto: Marina Silva/CORREIO

A Defesa Civil de Salvador informou que realizou, na manhã desta quarta-feira (22) vistoria em imóvel de construção antiga (descupado) localizado entre as ruas Conselheiro Dantas, Ourives e Miguel Calmon, constatando a ocorrência de desabamentos internos que tiveram como causa provável um incêndio que aconteceu no local há algum tempo. A área foi isolada e o Ihpan acionado para a identificação do imóvel já que é tombado. Além da Codesal, estão no local a Sedur, a Guarda Municipal e a Transalvador.

A prefeitura, através da Codesal informou que está atenta as ocorrências por meio do Centro de Monitoramento e Alerta de Defesa Civil (Cemadec). Segundo o diretor geral da Codesal, Sosthenes Macedo, a prefeitura já havia notado a mudança de tempo e se antecipado nas ações de campo das equipes. 

"O prefeito já havia notado a mudança de tempo e estava desde ontem fazendo contato com a Defesa Civil. A nossa equipe do Cemadec está sempre atenta, com engenheiros de campo fazendo as vistorias. Assim, a Defesa Civil de Salvador está atenta a chuva que está por vir", explicou.

O prefeito ACM Neto relatou, durante entrega de geomanta no Pau Miúdo, que está  preocupado com a chegada das chuvas na cidade. "Desde a segunda-feira que estou tenso, confesso. Porque quando a gente liga a televisão e vê o que está acontecendo no Espírito Santo, dói na minha alma. Como prefeito, eu não me canso de repetir que o que tira o meu sono, realmente é a  chuva. Não há nada que possa preocupar mais o prefeito de uma cidade como Salvador, que tem uma topografia que não ajuda, uma cidade constituída ao longo dos anos em encostas, vales e baixadas, quando começa a chover, mesmo que um pouquinho só, a gente começa a ficar preocupado", diz.

"Quando acontece um episódio como esse do Espírito Santo, a gente bota a mão na cena e realmente perde a noite de sono. Ontem conversei até tarde da noite com Sosthenes para ficar atualizado das informações de como essa chuva que está chegando em Salvador pode incidir e quais as consequências que ela pode trazer. No começo da manhã de hoje eu já recebia o primeiro relatório da Defesa Civil no Whatsapp, informando qual era a perspectiva para está quarta feira. Se Deus quiser, não vai chover tanto. Mas, no entanto, Salvador, hoje, tem outro nível de preparação para esse episódio das chuvas. A gente não trata de chuvas de abril a junho, que é período de maior incidência. A gente se preocupava com as chuvas e prepara a cidade nos 365 dias do ano", completou o prefeito. 

A ventania forte na região de Patamares acabou arracando parte do telhado do Centro Universitário Unirb. A faculdade está em período de férias e não houve feridos.

(Foto: Reprodução)

Em aviso publicado às 11h da manhã, o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), informou que a previsão para esta quarta-feira (22) em Salvador é de máxima de 28º e mínima de 24º, com chuvas entre 20 e 30mm/h ou até 50 mm/dia. O tempo é nublado, com ventos de 10km/h e o órgão está em alerta amarelo, para chuvas intensas.

Transtornos
O Salvador Bahia Airport informou que que houve uma falha da alimentação da concessionária de energia na manhã desta quarta-feira (22). Os geradores foram acionados e a eletricidade foi restabelecida em menos de um minuto. Não houve impacto em pousos e decolagens. 

Em Patamares, por volta das 12h, os telhados de imóveis perto do teatro Diplomata foram levados pelo vento. 

Mário Sergio Andrade, 48, é gerente comercial numa loja de roupas e afirmou que o mau tempo atrapalhou as vendas da loja em que de trabalha no Comércio, pois as pessoas transitam com mais pressa pelas ruas e não param para verificar as ofertas. No entanto, embora ele estivesse ciente da chegada da chuva, porque acompanhou o noticiário, afirmou que não se preveniu para a hora da votla para casa. mas já imaginava a queda no fluxo de pessoas.
 

Foto: Eduardo Dias/CORREIO

"Esse horário de meio dia é o de maior fluxo de gente nas lojas. Mas, juntou essa chuva e esse desabamento aqui do lado e impossibilitou a chegada das pessoas. Infelizmente eu não vim preparado, não troixe guarda-chuva nem capa, porque na hora de ir embora, daqui para o IAPI na chuva é dose", contou.

O auxiliar administrativo Jailson Pereirea, 39, disse que apesar de trabalhar internamente numa faculdade, já veio de casa preparado com seu guarda-chuva pois estava ciente da chegada do mau tempo.

Foto: Eduardo Dias/CORREIO

"Graças a Deus a chuva não me atrapalha porque trabalho internamente, só saio para o almoço e na hora de ir para casa. Mas, já prevendo que iria chover, pois vi na previsão do tempo, trouxe meu guarda-chuva comigo para o trabalho. Mesmo assim, já imagino o retorno para casa, não só meu, mas de todas as pessoas que trabalham por aqui que vão enfrentar alagamentos e engarrafamentos. Me preocpudo com os casarões que têm por aqui, que correm risco de desabarem", disse Jailson, antes de saber que parte de um casarão próximo de onde trabalha havia desabado horas antes.

Dono de restaurante no Comércio, Carlos Alberto, 32, fala que com a chuva o movimento reduz, mas não muito. "Com essa chuva, o movimento diminue um pouco, mas não tanto. Porque as pessoas procuram abrigo.Essa chuva não atrapalha tanto o comércio, mas essa ocorrência de desabamento sim, assista as pessoas a passarem por aqui. muitas têm medo de outros prédios estarem na mesma situação", contou.

 Dona de casa Lindalva Farias, 29, disse que não esperava a chegada da chuva. Ela, que mora no Cabula e estava de passagem no Comércio, foi pega de surpresa quando viu tudo escurecer e o mau tempo se instaurar.

"Vi o tempo fechado, mas não imaginava que iria chover por agora, tão cedo. Achei que fosse so mais tarde. Ficou tudo escuro do nada, parecendo fim de tarde. Mas é a chuva, né? Tem já chover. Vou voltar para casa, não dá para ficar muito tempo na rua", contou.

*com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas