Chuva, protocolos e reencontros: veja como foi o evento-teste de Salvador

salvador
27.08.2021, 22:29:29
(Nara Gentil/Correio)

Chuva, protocolos e reencontros: veja como foi o evento-teste de Salvador

Público foi menor do que o esperado; começo do evento foi marcado por uma forte chuva. Shows marcaram reencontro entre artistas e plateia na capital
Grades separavam lounges númerados de onde os convidados curtiram os shows da noite (foto: Divulgação)

Nem a chuva tirava Carolina Parada da frente do palco para ver Gerônimo cantar que ‘nesta cidade todo mundo é d'Oxum’. Cantora, produtora musical, jornalista e filha de Oxum, ela sonhava com este dia desde março de 2020, quando tudo parou por conta da pandemia, incluindo eventos na cidade do Carnaval.  

Cantora e jornalista, Carolina Parada se emocionou no reencontro com a música (foto: Nara Gentil)

"A chuva não veio para atrapalhar a festa. Veio para abençoar", disse ela, no evento-teste realizado ontem, no Centro de Convenções de Salvador, na Boca do Rio.

Tudo começou tímido, como um renascimento. O público ficou abaixo do esperado e a chuva caiu no início, espantando as pessoas que estavam prontas para ver Gerônimo. A produção distribuiu capas de chuva e a turma escutava a voz do artista, enquanto se protegia do toró.

(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)
(Nara Gentil/Correio)

"A chuva molha, mas não mata ninguém. Vem para cá que a chuva não volta mais. Vamos cantar um recomeço", profetizou Gerônimo, enquanto metia ‘Jubiabá’. 

Mesmo de máscara, era possível sentir Luciene Maia cantar as músicas de Gerônimo enquanto dançava sem medo da covid-19. "No início tive receio, mas depois que vi todos os protocolos, queria participar desse evento histórico. Precisamos dar este passo inicial”, garantiu ela, que estava no seu cercadinho com três amigas, enquanto ouvia Gerônimo cantar "já é Carnaval, cidade. Acorda pra ver. A chuva passou, cidade. O sol vem aê".
Público ficou divido em lounges numerados, como nos assentos do cinema (foto: Nara Gentil/Correio)

No evento, o público ficou dividido em lounges numerados, como nos assentos do cinema. Para ir ao banheiro ou comprar bebida, era preciso utilizar QR Code para ter autorização de sair do cercadinho. Não houve aglomeração, mas teve gente que deu um ‘ninja’. 

"Baiano é f… Tô aqui já procurando ousadia. Para turma lá de casa, estou no trabalho fazendo hora extra. Cara, peguei covid que lascou meu pulmão todo, agora vou usar ele para cantar com força. Chega dessa zorra de covid, velho" disse um jovem baiano, que pediu anonimato para não apanhar em casa.

Depois da chuva, Gerônimo emocionou os presentes com músicas que fazem parte da vida dos baianos (Foto: Nara Gentil/Correio)

Antes do evento começar, o prefeito de Salvador, Bruno Reis, adiantou novidades na vacinação -  a prefeitura vai começar a vacinar idosos a partir dos 90 anos com a terceira dose - e disse que a prefeitura vai controlar o acesso à praia do Porto da Barra no fim de semana. 

Sobre o evento-teste, Bruno assegurou que foi um ponto de partida, mas prefere não falar ainda sobre Carnaval e outros eventos, principalmente com a vinda da variante Delta. "Queremos validar protocolos para, quando for possível, retomar os eventos e shows. Nossa expectativa era ter realizado o evento no final de julho. Nós aguardamos o mês de agosto por conta da variante Delta", completou.

Leia mais: Bahia autoriza vacinação de adolescentes e aplicação de 3ª dose

Leia também: 3ª dose: Salvador começa a vacinar idosos a partir de 90 anos nesta segunda (30)

Prefeito Bruno Reis disse que a ideia é validar os protocolos para em seguida decidir de que forma os eventos podem ser retomados (foto: Nara Gentil)

Presidente da Saltur, Isaac Edington viu com bons olhos o evento-teste. "Até a chuva veio para abençoar e fazer parte deste teste. Um evento como este é importante para avaliarmos os próximos passos. Este evento provou que é possível darmos os próximos passos com cautela".

Quem também aprovou foi Carolina Parada. "Não parei de chorar no show de Gerônimo. É muito emocionante, todo baiano que está aqui se emocionou. É um recomeço, mas ainda precisamos seguir os protocolos. A covid ainda não acabou", disse a cantora. 

No final, com todos os protocolos seguidos à risca, o único medo das pessoas que estavam no evento-teste foi tomar chuva. Cada pessoa que participou do evento fará um novo teste na próxima semana e serão monitorados. Mas, pelo menos desta vez, o que ficou mesmo foi a emoção de poder dançar novamente uma música baiana. Além de Gerônimo, se apresentaram Telefunksoul, Afoxé Darajú de Odé e Márcia Castro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas