'Cidadão não, engenheiro': mulher que humilhou fiscal no Rio é demitida

em alta
06.07.2020, 14:09:00
Atualizado: 06.07.2020, 20:04:54
(Reprodução)

'Cidadão não, engenheiro': mulher que humilhou fiscal no Rio é demitida

Trecho que mostra fala viralizou; empresa diz que ação vai contra valores

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A mulher que apareceu em uma matéria da Fantástico neste domingo (5) ofendendo um fiscal da Prefeitura do Rio de Janeiro foi demitida da empresa em que trabalhava nesta segunda, por conta da repercussão do episódio. A operação acontecia na Barra da Tijuca por conta da aglomeração de pessoas em bares e casas noturnas.

As imagens mostram o casal, que não teve nomes divulgados, se recusando a atender solicitação de Flávio Graça, superintendete de Inovação, Pesquisa e Educação em Vigilância Sanitária, Fiscalização e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio de Janeiro. “Cidadão não, engenheiro civil, formado, melhor do que você”, diz a mulher, em determinado momento.

Leia mais: Marido da engenheira que atacou fiscal no Rio recebe auxílio emergencial

O trecho viralizou. O casal estava em um restaurante na região, sem cumprir as medidas sanitárias determinadas pela reabertura autorizada no Rio.

De acordo com a Taesa, empresa privada do setor de energia, onde ela trabalhava, o comportamento da funcionária não condiz com as normas da empresa. “A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo”, diz nota da empresa.

Leia completa:

NOTA DE POSICIONAMENTO OFICIAL

A TAESA é uma companhia comprometida com a segurança e a saúde não apenas de seus empregados, mas também com o bem-estar de toda a sociedade. Desde o início da pandemia da Covid-19, a Taesa implementou inúmeras iniciativas para proteger a saúde de seus profissionais e seus familiares, como o home-office para 100% do seu quadro administrativo, e a adoção de diversas outras medidas de proteção para as equipes que operam em campo.

A companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia.

A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo.

A TAESA ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a TAESA decidiu por sua imediata demissão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas