Cientista diz que 'calendário Maia' foi lido errado e prevê fim do mundo neste domingo

em alta
16.06.2020, 09:34:19
Atualizado: 16.06.2020, 09:42:29
(Foto: Reprodução)

Cientista diz que 'calendário Maia' foi lido errado e prevê fim do mundo neste domingo

Suposto pesquisador identificou erro de cálculo na conversão do calendário Maia para o nosso

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

2020 não está sendo um grande ano. Além do famigerado coronavírus, nesses primeiros seis meses já experimentamos de tudo, desde vulcão em erupção até uma vespa assassina invadindo os Estados Unidos. Para alguns, esses acontecimentos na verdade são sinais de que o fim está próximo. E não é que eles podem estar certo?

Acontece que um suposto pesquisador chamado Paolo Tagaloguin encontrou um possível erro no calendário Maia que pode mudar toda a nossa visão do apocalipse. Para ele, esperamos em vão o fim dos tempos no dia 21 de dezembro de 2012 já que a data final é, na verdade, 21 de junho de 2020 - também conhecido como o próximo domingo.

A informação começou a circular na internet e foi publicada pelos jornais ingleses Mirror e The Sun. Entretanto, a credibilidade do suposto pesquisador foi colocada em cheque após a conta do Twitter dele ter sido excluída, e também não há nenhuma menção a Paolo em nenhum outro site. 

"Após o calendário juliano, estamos tecnicamente em 2012… O número de dias perdidos em um ano devido à mudança para o calendário gregoriano é de 11 dias. Durante 268 anos, usando o calendário gregoriano (1752-2020) vezes 11 dias = 2.948 dias. 2.948 dias / 365 dias (por ano) = 8 anos", dizia o post original na semana passada, que embora tenha sido deletado, seu assunto ainda movimenta as redes sociais. 

Banho de água fria
Para tentar jogar a última pá de cal na previsão, a revista americana "Forbes" ressaltou em uma publicação desta segunda-feira (15) que na realidade a própria interpretação de que os maias previram o fim do mundo está equivocada.

"Há muitas razões para acreditar que os maias nunca estavam realmente prevendo o fim do mundo, mas sim que o ponto de corte no calendário deles era exatamente isso - o fim de um ciclo. Assim como nossos pais jogavam fora o calendário antigo todo mês de dezembro. Este não foi um sinal de nada mais do que o início de um novo ano e uma reciclagem do nosso sistema de cronometragem", escreveu Eric Mack, contribuidor para o site em assuntos de ciência, tecnologia e meio ambiente.

Ele ainda chamou atenção para o fato de que o cálculo do suposto cientista Paolo não chegou ao resultado correto, ao atribuir que 21 de dezembro de 2012 poderia ser equivalente a 21 de junho de 2021, com base na recontagem feita por um especialista.

"A matemática da conversão que aparentemente levou à noção de que 21 de dezembro de 2012 é realmente neste domingo no calendário juliano também está errada, de acordo com o astrônomo Phil Plait, que verificou a afirmação".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas