Clientes corporativos da Coelba participam de workshop sobre eficiência energética em Barreiras

especiais patrocinados
26.07.2019, 17:08:00
Atualizado: 26.07.2019, 17:08:48
Um público atento compareceu ao Workshop Eficiência Energética em Barreiras (Fotos deLúcio Adeodato)
Estúdio Correio -

Clientes corporativos da Coelba participam de workshop sobre eficiência energética em Barreiras

Público foi orientado como participar das Chamadas Públicas da distribuidora

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Representantes de instituições públicas, condomínios e empresários de Barreiras, no Oeste baiano, e região participaram, na última quinta-feira (25), do Workshop Eficiência Energética, realizado no Hotel Morubixaba, no bairro Novo Horizonte. É o terceiro evento este ano realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Coelba para o público baiano. O primeiro foi realizado em Salvador, no mês de maio, e o segundo em Petrolina, município pernambucano vizinho à cidade baiana de Juazeiro, em realização juntamente com a Celpe, distribuidora do estado de Pernambuco que também pertence ao Grupo Neoenergia.

Com organização do Jornal Correio, o Workshop Eficiência Energética tem o objetivo de compartilhar o conhecimento de especialistas para auxiliar os clientes corporativos da Coelba sobre como submeter projeto no Programa de Eficiência Energética (PEE) da distribuidora. Uma das cidades mais importantes da Bahia, Barreiras tem forte vocação agropecuária, além de possuir pequenas indústrias, universidade, grandes mercados e aeroporto. Tudo isso fez do município um local importante para a realização do Workshop Eficiência Energética.

Clientes corporativos de Barreiras participaram do Workshop Eficiência Energética

Entre os temas abordados ao longo das cinco palestras estão a oportunidade de economia para as empresas que adotarem uma gestão energética, incluindo aquelas da área de irrigação e do agronegócio, setor forte na economia de Barreiras. Foram explicados ainda os procedimentos do PEE e os mecanismos de Chamada Pública da Coelba, que, este ano, foi realizada entre março a maio. A depender do resultado divulgado ainda este mês, a distribuidora baiana irá analisar a realização de mais uma edição para 2019.

“Buscamos trazer aqui para região de Barreiras todas as informações e conhecimento em um ambiente com especialistas para que os clientes possam perceber a oportunidade deles em desenvolver eficiência energética dentro da própria empresa”, ressalta Daniel Sarmento, supervisor de Engenharia e Projetos de Eficiência Energética da Neoenergia.

Os intervalos eram momentos de interação entre público e palestrantes

No fim do evento, a servidora pública da Universidade Federal do Oeste Baiano (UFOB), Jaqueline Fritch, 32 anos, primeira a chegar ao evento, saiu animada para praticar o que aprendeu. “O meu interesse era de descobrir como posso promover a eficiência energética na universidade. Agora, irei incentivar um planejamento, junto com um grupo de trabalho, para apresentar um projeto nas próximas Chamadas Públicas da Coelba”, contou.

Segurança
A abertura do evento foi realizada pela presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) da Coelba, em Barreiras, Francelle Moreira,  que apresentou informações sobre as ações de segurança desenvolvidas pela Coelba. “Falar se segurança é colocar a vida das pessoas em primeiro lugar”, destacou. Durante a palestra, Francelle ressaltou os diálogos diários que a distribuidora têm com os funcionários, com objetivo de alertar para o comportamento seguro durante o trabalho, além de uma reciclagem de treinamento.

Francelle Moreira, presidente da CIPA da Coelba em Barreiras, fez a abertura do Workshop

Atendimento especializado
Em seguida foi a vez de Leonardo Oliveira Matos, supervisor de Atendimento da Coelba em Barreiras, subir ao palco. Dentre os assuntos abordados em sua palestra sobre os canais de atendimento da distribuidora, ele falou sobre o Projeto Semear, voltado para os clientes atendidos em Alta Tensão, também chamados de consumidores do Grupo A.

A iniciativa, implantada este ano, apresenta o atendimento personalizado por meio do Departamento de Clientes Corporativos, com analistas especializados no negócio de energia elétrica, que buscam soluções adequadas para cada necessidade e orientam como otimizar as faturas de consumo.

Leonardo Oliveira Matos, supervisor de Atendimento da Coelba em Barreiras, durante a palestra

“O Projeto Semear é o primeiro contato da Coelba com o cliente Grupo A. É uma ação proativa da empresa. Assim que este cliente é ativado, a gente dispara e-mail de contato explicando como é o relacionamento com a distribuidora, quais são as obrigações e direitos deles como clientes, como funciona sua fatura de energia para não precisar de uma consultoria externa, que gera custos para o cliente. É obrigação da concessionária fazer este trabalho de consultoria com seus clientes”, ressalta Leonardo Matos.

Programa de Eficiência Energética (PEE)
Segundo regulamentação da Aneel, as distribuidoras de energia de todo país devem aplicar um percentual mínimo de 0,4% da Receita Operacional Líquida (ROL) no PEE. O Programa tem o objetivo de promover o uso eficiente e racional da energia elétrica em todos os setores da economia, por meio de projetos com ações que combatam o desperdício.

Daniel Sarmento, supervisor de Engenharia e Projetos de Eficiência Energética da Neoenergia, durante primeira palestra do dia

Além dos projetos apresentados nas Chamadas Públicas da Coelba, o PEE também contempla os clientes corporativos que apresentem propostas que demostrem a importância e a viabilidade econômica de melhoria da eficiência energética de equipamentos, processos e usos finais de energia.

“Quando o recurso não é utilizado 100% nas propostas das chamadas públicas, aplicamos em parcerias. São projetos realizados no âmbito do Programa de Eficiência Energética, mas que não necessariamente são das chamadas públicas”, explica Daniel Sarmento, supervisor de Engenharia e Projetos de Eficiência Energética da Neoenergia, que, durante palestra sobre os procedimentos do PEE, apresentou exemplos, como o Complexo Sauípe, no Litoral Norte baiano, e as Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador.

Público durante a palestra sobre os procedimentos do PEE 

Chamadas Públicas
Esse ano, a Chamada Pública da Coelba aconteceu entre março a maio – e os resultados serão apresentados entre hoje (26) e segunda-feira (29), no site da Coelba. Porém, Daniel Sarmento deixou no ar a possibilidade de que uma edição acontecerá até o final do ano e aproveitou para fazer um convite aos clientes corporativos de Barreiras. “Posso afirmar que não temos recebido demandas de forma intensiva daqui da região. Esperamos que estes sistemas de irrigação e todos os clientes passem a ter uma gestão energética a partir do programa”, confessou durante sua segunda palestra intitulada como Mecanismo de Chamada Pública da Coelba.

Com critérios estabelecidos em edital, a Chamada Pública da distribuidora baiana permite ações como a substituição ou melhoramento do desempenho energético de equipamentos de energia elétrica, mini ou micro geração com fonte incentivada solar fotovoltaica e de aquecimento solar. São avaliadas questões como qualidade do projeto, contrapartida e ações educacionais.

Daniel Sarmento também explicou sobre os mecanismo de Chamada Pública da Coelba

O edital publicado em março deste ano divide R$ 17 milhões nos seguintes setores: industrial (R$ 8 milhões), comércio e serviços e serviços públicos (R$ 4 milhões), poder público (R$ 4 milhões) e residencial - condomínios - (R$ 1 milhão). Cada projeto deve custar entre R$ 200 mil e R$ 1,5 milhão.

“O edital da Chamada Pública fica sempre disponível no site da Coelba. Então, mesmo que o período já tenha terminado, mantemos o edital lá como uma fonte de informação, que provavelmente será utilizada futuramente em novas oportunidades”, informa Sarmento.

Mercado Livre
Ainda durante a programação da manhã, Bruno Spínola, analista do Departamento de Negócios Liberalizados da Neoenergia, apresentou dados de comercialização da Neoenergia, que é a segunda maior distribuidora de energia em número de clientes do país, com 13,9 milhões de consumidores. Um dos pontos abordados foi sobre o mercado livre de energia, que representa uma economia de 29% na conta dos clientes do Grupo A (conectados em alta tensão), se comparado com o mercado cativo.

Bruno Spínola, da Neoenergia, apresentou dados de comercialização do grupo

O mercado livre de energia elétrica é um ambiente competitivo, em que se negocia com as distribuidoras de energia condições comerciais como fornecedor, preço, quantidade de energia contratada, período de suprimento e pagamento. “Entre as vantagens destes clientes estão os preços previamente acordados, possibilitando uma melhor previsão orçamentária, e a possibilidade de alocação de energia entre unidades consumidoras”, destacou Bruno Spínola.

Oportunidade de economia
Após uma pausa para almoço, a programação retornou à tarde com a palestra sobre como a gestão energética representa uma oportunidade de economia para as instituições e empresas, comandada por Alberto Fossa, diretor executivo da ABRINSTAL e especialista em energia pela ONU. E ele logo disparou: “as pessoas não enxergam que mexer com eficiência energética significa dinheiro no bolso”.  

O especialista em energia Alberto Fossa falou sobre oportunidade de economia com gestão energética 

Além da redução de custos, o especialista destacou durante a sua apresentação que uma gestão energética eficiente apresenta benefícios como o aumento na confiabilidade nas operações, efeito positivo na produtividade e competitividade da empresa, ganhos atrativos na realização de investimentos e mitigação de impactos ambientais.

“Eu acho que posicionamento de sustentabilidade vai ser cobrado de alguma forma cada vez mais para o futuro. Já está se discutindo qual é esta moeda de sustentabilidade. As pessoas precisam entender qual este jogo, o valor desta moeda. Você fazer ações de eficiência energética começa a ser interpretado como um elemento importante para se mostrar perante o mundo”, comentou Alberto Fossa.

No campo
O especialista em energia e mudanças climáticas, José Henrique Zloccowick, encerrou a programação com a palestra “Eficiência Energética na Irrigação e no Agronegócio”, na qual apresentou possibilidades de redução de custos e consumo de eletricidade no campo. Ele chamou atenção para o fato de nenhum projeto da área rural ter acessado recursos do PEE da Coelba. “Enquanto outras regiões já têm projeto, aqui na região de Barreiras nenhum foi apresentado. Na Bahia, nenhuma proposta acessou o recurso disponível. Ou seja, tem o dinheiro, mas ainda não teve um projeto de qualidade para acessá-lo”, alertou.

Especialista em energia e mudanças climáticas, José Henrique Zloccowick, encerrou a programação do evento 

José Henrique acredita que a falta de informação é um dos principais motivos para esta falta de projetos na área rural e que o Workshop Eficiência Energética ajuda nesta questão. “Por outro lado, existe também a dificuldade em encontrar uma empresa especializada em eficiência energética na irrigação e no agronegócio. Isso porque além do profissional especializado em energia elétrica, precisa do especialista na agronomia em caso de plantio ou da pecuária, dependendo da área de atuação”, encerrou o especialista.

O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas