Com areia tranquila, tartaruga marinha desova em praia da Barra

salvador
17.06.2020, 15:08:30
Atualizado: 17.06.2020, 15:39:48

Com areia tranquila, tartaruga marinha desova em praia da Barra

Gepa estima que animal adulto deixou entre 150 e 180 ovos enterrados

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Vazia, sem 'um pé de banhista', a areia da praia da Barra, em Salvador, atraiu outro tipo de visitante: uma tartaruga marinha. Com o esvaziamento das praias em decorrência do isolamento social necessário para combater o novo coronavírus, alguns animais têm aproveitando o espaço que ganharam nas areias. Para as tartarugas marinhas, esse período tem sido providencial. Na noite desta terça-feira (16), uma tartaruuga atravessou a areia e depositou ovos próximo ao paredão, junto à balaustrada. A cena foi registrada na altura do Barra Center.

De acordo com informações do Grupo Especial de Proteção Ambiental (Gepa) da Guarda Civil Municipal (GCM), a desova na Barra é atípica, já que o local, em dias normais, costuma ter intenso movimento, inclusive à noite. Em Salvador, é comum que os animais deixem seus ovos nas praias de Itapuã, Stella Maris e do Flamengo, tidos como mais desertas. 

De acordo com o engenheiro agrônomo e Comandante do Gepa, Robson Pires, além da ausência de pessoas, as praias também estão livres de outras ameaças para as tartarugas, como resíduos plásticos e até mesmo as luzes noturnas – que confundem filhotes no retorno ao mar. 

Segundo ele, a espécie que desovou na Barra nesta terça-feira deve ser um animal adulto, com mais de 30 anos, e possivelmente enterrou uma quantidade de ovos que pode variar de 120 a 180.

“Aqui em nosso litoral desovam três tipos. A cabeçuda, a tartaruga de pente e a oliva ou tartaruga verde”, explica.

Equipes do Gepa e do Projeto Tamar pretendem visitar o local na tarde desta quarta-feira (17) para tentar localizar os ovos. Assim que forem encontrados, serão encaminhados para o projeto Tamar e colocados em local apropriado e seguro. Em caso de ocorrências ambientais, é possível acionar o Gepa, através do telefone (71) 3202-5312.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas