Com Guarani em jejum, Vitória busca vencer primeira fora de casa

e.c. vitória
13.05.2019, 06:00:00
No sábado (4) o Leão encerrou o seu jejum; agora a marga negativa é do Guarani (EC Vitória / Divulgação)

Com Guarani em jejum, Vitória busca vencer primeira fora de casa

Time de Campinas não vence ninguém desde fevereiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Vitória conhece muito bem a dificuldade a qual está passando o Guarani, adversário desta segunda-feira (13), às 20h, em Campinas, pela 3ª rodada da Série B. Por isso mesmo, quer tirar o proveito possível.

Até o sábado, dia 4 de março, o Leão era o time da Série B com o maior jejum de vitórias, já que não vencia desde 6 de fevereiro. Porém, 87 dias depois, bateu o Vila Nova por 2x1, de virada, no Barradão.

Agora, essa marca negativa  é do Bugre. O time campineiro venceu pela última vez no dia 23 de fevereiro, 2x1 sobre o São Caetano pelo Campeonato Paulista. São 79 dias.

Assim como aqui o jejum fez Marcelo Chamusca perder o emprego e ser substituído por Claudio Tencati, lá Osmar Loss foi demitido e Vinícius Eutrópio ser contratado. Em quatro jogos, teve dois empates e duas derrotas.

As temporadas de Vitória e Guarani têm mais semelhanças. Ao bater o Vila Nova o Leão chegou ao quarto triunfo em 2019. Igualou, assim, o Bugre em jogos oficiais. Entre os 20 times da Série B, apenas o São Bento é pior, tendo vencido apenas uma partida.

O Brinco de Ouro, estádio do Bugre, no entanto, ainda merece ser temido. Dos quatro triunfos que o time teve no ano, três foram na sua casa. Aí vem outra coincidência, pois para o Leão, que venceu três no Barradão, vale o mesmo.

Por tantas semelhanças, o lateral-esquerdo Capa, que mais uma vez será titular, prega cautela. Ele teme que o Guarani, pressionado e jogando em casa, repita o feito do Leão diante do Vila Nova.

“Nesses jogos, quando o time vem em má fase e joga em casa, há uma responsabilidade maior para eles. Então eles vêm com sangue no olho e algo a mais para reverter a situação. Sabemos que jogar lá vai ser muito difícil”, disse.

O clima no Barradão na última semana, porém, é bem diferente do vivido pelo seu adversário. Após bater o Vila Nova, o time recebeu reforços e vai mais encorpado buscar a primeira vitória fora de casa.

Em relação à última partida, Tencati terá mais dois atacantes à disposição: Matheus Augusto e Ítalo foram relacionados e já podem estrear. O treinador recebeu como reforços o zagueiro Dedé e o volante Romisson, que foram regularizados a tempo, mas não foram relacionados.

Os desfalques, no entanto, preocupam. O atacante Caíque Souza, o meia Ruy e o lateral-direito Van ainda não se recuperaram de lesão.

Um, pelo menos escapou. O atacante Neto Baiano, que não treinou no último sábado (11) por conta de uma faringite, se recuperou a tempo e foi relacionado. Ele deve continuar como centroavante titular de Claudio Tencati.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas