Com pressão por todos os lados, Vitória tenta vencer a primeira fora, contra o Operário

e.c. vitória
04.09.2021, 05:01:00
Elenco do Vitória reunido no gramado da Toca do Leão (Pietro Carpi/EC Vitória)

Com pressão por todos os lados, Vitória tenta vencer a primeira fora, contra o Operário

Presidente afastado, time na zona de rebaixamento; única chance de alívio na semana está no jogo que começa às 11h

Blindar o time da instabilidade política pela qual o Vitória atravessa e vencer a primeira partida como visitante são os desafios do técnico Wagner Lopes contra o Operário, neste sábado (4), às 11h, no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, no Paraná. O confronto é válido pela 22ª rodada da Série B, e o rubro-negro precisa se reabilitar no campeonato. 

Fora de campo, o clube ferve. O presidente Paulo Carneiro foi afastado da presidência por 60 dias, na quinta-feira (2), após o Conselho Deliberativo aprovar parecer da Comissão de Ética que apontou indícios de gestão temerária. Dentro, a situação também é ruim. O Leão está em 18º lugar, na zona de rebaixamento.

No meio desse clima ficam o treinador e os atletas, talvez os únicos que mantiveram o foco da bola durante a semana. “Nosso ambiente é muito positivo, jogadores muito focados, muito empenhados em fazer o que estou pedindo, o que estamos treinando. Apesar das dificuldades internas, apesar dos problemas que temos, a gente está focado no futebol, em dar resultado para tirar o Vitória dessa situação”, comentou Wagner Lopes na sexta-feira.

No entanto, ele admitiu que o cenário conturbado extracampo pode impactar no time. “Não vou ser hipócrita para falar que não interfere. Cada jogador tem um sentimento, cada ser humano faz uma leitura diferente da situação. Por mais que a gente tente blindar os jogadores, por mais que o nosso executivo de futebol tente isolar todo mundo da parte política, claro que todo mundo volta para casa, todo mundo lê a internet, rede social, mídia”, ponderou o técnico.

Com 20 pontos, o Leão ainda não tem chance de sair da zona de rebaixamento nesta rodada porque o Vila Nova, em 16º, empatou na noite de sexta-feira (1x1 com o CSA) e foi a 23. Se o rubro-negro ganhar a primeira partida como visitante, subirá para 17º lugar e igualará a pontuação, mas ficará com uma vitória a menos.

“A gente vem construindo esse caminho para vencer fora de casa. Já conseguiu resultados importantes, empates, porque, fora de casa, somar é muito importante. Agora falta a gente mostrar essa robustez, essa consistência. Você errar menos na fase defensiva, aproveitar melhor a fase ofensiva, fazer os gols e jogar com equilíbrio. Saber acelerar, cadenciar, fora de casa é muito importante. A gente sabe que a Série B é um campeonato duríssimo, muito disputado. Então precisa ter consciência destes momentos e ter um pouquinho mais de tranquilidade”, afirmou Wagner Lopes.

O adversário vive situação inversa. É o 9º colocado, com 32 pontos e, se vencer o Vitória, poderá encostar no G4, que tem o Botafogo em 4º lugar com 35 pontos. “É uma rodada muito importante. A gente respeita muito o adversário. Sabemos que não existe jogo fácil na Série B. Mas, tomando alguns cuidados, a gente se comunicando melhor entre os setores, para que não tenha espaço entre as linhas, acho que já é um passo importante. Ter equilíbrio entre atacar e defender, as transições sendo bem feitas e caprichar na bola parada, acredito que a gente consiga sustentar o resultado fora de casa”, projeta o treinador rubro-negro.

Prováveis escalações
O time terá uma baixa importante. Sem Roberto, suspenso, e Pedrinho, negociado com o Athletico-PR, Wagner Lopes terá que colocar uma peça nova na lateral esquerda. Jogador de ofício há apenas uma opção: Elivelton, de 21 anos, que disputou o Brasileiro de Aspirantes até o início de agosto. Ele nunca foi relacionado para uma partida da equipe principal.

O mais provável de acontecer, no entanto, é o improviso. Três jogadores são as opções: os zagueiros Mateus Moraes e Thalisson Kelven, além de Cedric, que é lateral direito de origem e atua também como volante.

Wagner Lopes não deu pistas. “Infelizmente, nós não temos uma reposição imediata para Roberto. Pedrinho está com problema de negociação. Então a gente está pensando em encaixar essa marcação da melhor maneira para dar construção ofensiva. Peço desculpas, mas vou deixar para a hora do jogo”, disse. 

O ataque também pode sofrer mudança. Wesley Pionteck se destacou negativamente na rodada passada e deve ser substituído. David é a principal opção. Ronan tem mais chance de ser aproveitado no decorrer do jogo.

O Vitória deve entrar em campo com Lucas Arcanjo, Van, Wallace, Thalisson Kelven e Mateus Moraes; Pablo Siles, Fernando Neto e Soares; David (Wesley Pionteck), Samuel e Marcinho.

Uma provável escalação do Operário tem: Simão; Alex Silva, Rodolfo Filemon, Reniê e Djalma Silva; Fábio Alemão, Leandro Vilela e Alan (Marcelo); Felipe Garcia, Paulo Sérgio e Thomaz (Fabiano).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas