Com surto de covid-19, prefeitura de Ibicoara decide reabrir para turismo

bahia
01.12.2020, 05:30:00
Cachoeira do Buracão é o principal atrativo turístico da cidade (Arquivo pessoal)

Com surto de covid-19, prefeitura de Ibicoara decide reabrir para turismo

Aumento de 350% em casos foi registrado num intervalo de 15 dias; Hospital Regional da Chapada segue com 100% de ocupação nos leitos de UTI

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A cidade de Ibicoara, na Chapada Diamantina, vive um surto de covid-19. Entre os dias 5 e 20 de novembro, segundo os boletins epidemiológicos divulgados pelo município de 20 mil habitantes, o número de casos saltou de 34 para 153, o que corresponde a um aumento de 350%. Até esse domingo, o número de casos já tinha atingido 238, sendo 139 ativos e 5 mortes.

Mesmo  assim, Ibicoara reabre hoje o Parque Natural Municipal do Espalhado, para exercício do turismo. É nesse parque que fica localizada a Cachoeira do Buracão, considerado o principal atrativo turístico do município. Segundo a secretária de Saúde, Luciara Aguiar Caires, o local não é o foco da doença no município e sim outro distrito, chamado Cascavel, que concentra 60% dos novos casos. 

Ela também disse que não era favorável à reabertura do turismo, mas foi convencida da necessidade econômica vivida pelo setor.  “Ouvimos relatos de guias que estavam mesmo passando necessidades financeiras. Eles foram a classe mais afetada e esse aumento de casos não é de responsabilidade deles e sim das aglomerações políticas”, explica Luciara.  

Assim como diversas cidades baianas, Ibicoara viveu um processo eleitoral marcado pelo desrespeito às medidas de segurança que evitam o contágio. “Aqui estava super tranquilo, mas as eleições geraram muita aglomeração e estamos agora colhendo. Eu mesma só saí de casa para votar e estou deixando claro essa realidade para os clientes, de que temos um protocolo a seguir”, explica uma guia turística, que é a favor da reabertura.

Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara (Divulgação/Ascom Ibicoara)
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara (Divulgação/Ascom Ibicoara)
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara (Divulgação/Ascom Ibicoara)
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara
Passe para o lado e confira a evolução de casos de covid-19 em Ibicoara (Divulgação/Ascom Ibicoara)

Medida
Segundo o secretário de turismo Luiz Pimenta, o protocolo de reabertura já vinha sendo trabalho há cinco meses: “Hoje não existe na Chapada um protocolo tão bem elaborado como o nosso. Então, apesar do aumento, não vimos a necessidade do trade turístico pagar por isso”. Dentre as medidas adotadas no protocolo estão redução para cinco no número de turistas para cada guia; limitação de 70 visitantes por dia; agendamento prévio e obrigatório da visita; além das medidas básicas de distanciamento, uso de máscara, higienização das mãos e sem aglomerações.  

Essa reabertura tem um prazo de 15 dias, podendo ser estendida de acordo com o cenário epidemiológico do município. “Essa foi uma decisão conjunta da prefeitura com o setor, assumindo a responsabilidade de que, se tiver aumento de casos, vamos dar uma freada na reabertura”, explicou a secretária da Saúde. Se depender do guia Sebastião Reis Aguiar, 57, a expectativa para essa retomada é boa: “De dezembro até março, minha equipe já tá muito bem agendada, graças a Deus”.  
 

Guias turísticos de Ibicoara receberam treinamento para retomarem atividades (Foto: Divulgação/Ascom Ibicoara)

Chapada 
O Parque Natural Municipal do Espalhado (PNME) é uma Unidade de Conservação da Chapada Diamantina que tem uma área de 611 hectares e está localizado a 30 quilômetros do estacionamento da sede de Ibicoara. Após sair do carro, o grupo percorre uma trilhe de três quilômetros até a Cachoeira do Buracão, que tem 85 metros de altura. Embora próximo, o local não faz parte do Parque Nacional da Chapada Diamantina, que possui atrativos turísticos em Ibicoara ainda fechados.  

No entanto, a partir de 20 de novembro, atrativos do Parque Nacional foram reabertos em Lençóis, que também vive um aumento de casos de covid-19. Do dia 15 de novembro, quando foi realizado o primeiro turno das eleições, até esse domingo (29), o número de casos saltou de 176 para 236, em um crescimento de 34%. Em Lençóis, ao contrário de Ibicoara, nenhuma morte foi registrada.  

Em nota, a prefeitura de Lençóis recordou que uma medida judicial suspendeu o poder do município em exigir teste de covid-19 e reserva antecipada para os turistas que desejam visitar a cidade. Lá, a reabertura ao turismo nos atrativos municipais aconteceu em outubro e no dia 3 de novembro a decisão judicial foi acatada. “Discordamos do entendimento do juiz e também dos empresários, representados pela Associação Comercial de Lençóis, que promoveram esta ação”, lembrou a prefeitura.  

Já em Mucugê os atrativos municipais foram reabertos em setembro e, nos atrativos do Parque Nacional, essa retomada ocorreu no último sábado (28) - Permanecem fechados o Vale do Pati, mirante do Pati e Cachoeirão -. Em Mucugê, 83 casos de covid-19 foram confirmados. Destes, 10 permanecem ativos e dois evoluíram para óbitos. Em Andaraí, Itaetê e Palmeiras, os atrativos do Parque Nacional permanecem fechados.  

O CORREIO não conseguiu contato ou não obteve retorno das prefeituras dessas cidades para comentarem como anda o processo de reabertura dos atrativos municipais. Em nota, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) disse que está dialogando com todas as seis cidades do entorno do Parque Nacional para definir em que momento e de que forma as trilhas e atrativos serão reabertos, procurando conciliar a estratégia de combate à covid-19 dos municípios com as demandas de visitação. 

Saúde 
Há duas semanas, os cinco leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital Regional da Chapada, em Seabra, beiram a lotação máxima. Outros hospitais do interior baiano também têm registrado alta taxa de ocupação nos leitos de UTI, o que fez o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, fazer um alerta sobre a pressão que o sistema de saúde do estado tem sofrido com a alta no número de infectados pelo coronavírus.  

Segundo o titular da pasta, os hospitais estão mais cheios do que o observado no início da pandemia. "Estamos com números que remontam ao início da pandemia. Essa elevação era previsível, estávamos enxergando diariamente uma flexibilização fora de controle em todo o país, com festas, carreatas. A população não se mobilizou", disse em entrevista à TV Bahia, ao apontar que as pessoas estão retomando uma vida normal e negligenciando os cuidados básicos, como distanciamento social e uso de máscaras. 

De acordo com o secretário, os leitos de UTI estão ainda mais cheios porque, ao retomar uma vida normal, a população volta a sofrer com problemas que haviam sido reduzidos, como os acidentes de trânsito, que voltaram a crescer. 

"O sistema de saúde está duplamente pressionado pela volta da quase normalidade que as pessoas estão encarando. Estamos mais pressionados do que no começo do ano. Estamos em plena pandemia, a coisa não acabou, de forma alguma. Estamos vivendo uma retomada clara de tudo e temos uma elevação do número de casos, de pessoas internadas em todas as regiões do estado, e de forma mais grave do que ocorreu no começo. E estamos vendo a necessidade de UTI aumentando tanto pra covid, quanto pra casos como doenças de infarto, AVC, acidentes, o que aumenta essa sobrecarga"

De acordo com Vilas-Boas, o cenário tem obrigado a secretaria a se mobilizar. Leitos que foram abertos no começo da pandemia, para dar conta do alto número de casos, e que já havia sido fechado, serão reabertos em todo o estado. "Vários hospitais que tinham leito temporário para covid, na capital e no interior, precisão reabrir. As UTIs covid e não covid estão cada vez mais cheias", concluiu. 

Lista das 10 cidades que tiveram mais crescimento de casos de covid-19 nas últimas 24h, segundo a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab):

- Brejolândia (crescimento de 112,5%);
-  Serra Dourada (crescimento de 110,29%);
- Barra do Mendes (crescimento de 1069%);
- Brotas de Macaúbas (crescimento de 75%);
- Boninal (crescimento de 68%);
- Gavião (crescimento de 63,93%);
- Piritiba (crescimento de 62,16%);
- Cravolândia (crescimento de 57,89%);
- Andaraí (crescimento de 54,90%);
- Baixa Grande (crescimento de 51,24%).

* Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas