Comerciante que matou servidora no Detran premeditou crime, diz polícia

salvador
26.12.2017, 21:23:00
(Fotos: Reprodução)

Comerciante que matou servidora no Detran premeditou crime, diz polícia

Familiares afirmam que Maridalva da Silva Mendonça estava sendo ameaçada pelo ex-companheiro, mas se negou a registrar ocorrência

O comerciante Jailson Santos Mendonça, de 46 anos, planejou a morte da ex-companheira, a serventuária do Departamento de Trânsito da Bahia (Detran), Maridalva da Silva Mendonça, 46, esfaqueada nesta terça-feira (26), na escadaria que dá acesso à sede principal do órgão de trânsito, em Pernambués, segundo informou a Polícia Civil. Jaílson, que está custodiado no Hospital Geral do Estado (HGE), ingeriu veneno para ratos depois de cometer o crime. A conclusão é do delegado Guilherme Machado, coordenador da 2ª Delegacia de Homicídios (DH/Central), baseada em decisões tomadas por Jailson antes de cometer o crime. 

Apesar do criminoso não confirmar, o delegado os indícios de que a morte foi planejada estão no fato dele ter feito um bilhete (leia abaixo) e de providenciar veneno para ingerir logo depois de esfaqueá-la. Jailson foi autuado por feminicídio e será encaminhado para o sistema prisional assim que receber alta médica do HGE.

Funcionária foi morta na escadaria do Detran-BA, quando chegava para trabalhar 
(Foto: Júlia Vigné / CORREIO)

Em depoimento prestado no hospital, Jailson alegou que morou com a vítima durante dois anos em Muritiba, mas que há dois meses estavam separados. O motivo do fim do relacionamento seriam as brigas motivadas por ciúmes de ambas as partes. “Eles subiram a ladeira juntos. Em determinado ponto Jaílson abriu uma maleta, tirou uma faca, e passou a desferir golpes contra a vítima na região toráxica”, explicou o delegado Guilherme Machado.

Seguranças do Detran levaram o comerciante para a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV), onde os policiais o encaminharam para o HGE. Ainda em depoimento, Jaílson afirma que levou a maleta porque estava fazendo reparos em um imóvel que o casal teria alugado e seria devolvido ao proprietário. 

Com ele, foi encontrado também um bilhete, escrito em um pedaço de folha de caderno, que dizia:

“Veja o que vocês fizeram no Natal. Mudou. Tudo era diferente. Estava tudo bem [entre] eu e Mari”.

A mensagem foi destinada para Davi, Antônio, Gegeu e Andreia, nomes que não foram identificados ou confirmados com os familiares.

Foto: Reprodução

(Reprodução: Almiro Lopes/CORREIO)

O bilhete foi apreendido pouco depois da prisão em flagrante de Jailson, que tomou veneno após esfaquear Marivalda no tórax, no pescoço e nas costas. O homem foi encaminhado ao Hospital Geral do Estado (HGE). O estado de saúde não foi divulgado.

Familiares estiveram na manhã desta terça-feira (26) no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR) para liberação do corpo. No local, o irmão de Maridalva, o cobrador Raimundo Santos, 56, lamentou a morte e afirmou que havia conversado com Jailson na última terça-feira (19).

“Eu disse a ele que ele tinha dado sorte porque estava ameaçando uma pessoa que a família não tem maldade no coração. Ele disse ‘eu só ameacei ela porque eu perdi a cabeça, jamais vou tocar nela’”, afirmou Raimundo. O irmão ainda contou que seu ex-cunhado teria pedido que a família confiasse nele. “Eu respondi que só com o tempo”, lamentou.

Entenda o caso
Maridalva foi assassinada às 8h30 desta terça-feira (26) na principal escadaria de acesso ao prédio do Detran-BA, que fica na Avenida Antonio Carlos Magalhães. De acordo com a delegada Cristina Portugal, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o casal estava junto há cerca de um ano, mas a família da servidora não aprovava a união. O irmão de Marivalda contou que o casal se separou há um mês, quando diversas ameaças foram proferidas por Jailson à servidora.

Apesar dos alertas feitos pela família e amigos para que Maridalva denunciasse as ameaças à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), ela não prestou queixa. Maridalva, de acordo com Raimundo, comprou um HB20 para que Jailson trabalhasse como Uber. Procurada pelo CORREIO, a Uber disse que não foi localizado nenhum motorista com este nome vinculdo ao aplicativo.

Em nota, o Detran-BA lamentou a morte da servidora que trabalhava no setor de defesa prévia. "O clima no Detran é de tristeza e consternação. O órgão está prestando solidariedade à família da vítima e informa que os serviços oferecidos à população não foram suspensos", diz o texto. A família ainda não divulgou informações sobre o sepultamento. Maridalva deixa uma filha.

Veja onde buscar ajuda em casos de violência doméstica:
Cedap (Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa) – Atendimento médico, odontológico, farmacêutico e psicossocial a pessoas vivendo com HIV/AIDS. Endereço: Rua Comendador José Alves Ferreira, nº240 – Fazenda Garcia. Telefone: 3116-8888. 

Cedeca (Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan) – Oferece atendimento jurídico e psicossocial a crianças e adolescentes vítimas de violência. Endereço: Rua Gregório de Matos, nº 51, 2º andar – Pelourinho. Telefone: 3321-1543/5196. 

Cras (Centro de Referência de Assistência Social) – Atende famílias em situação de vulnerabilidade social. Telefone: 3115-9917 (Coordenação estadual) e 3202-2300 (Coordenação municipal) 

Creas (Centro de Referência Especializada de Assistência Social) – Atende pessoas em situação de violência ou de violação de direitos. Telefone: 3115-1568 (Coordenação Estadual) e 3176-4754 (Coordenação Municipal) 

Creasi (Centro de Referência Estadual de Atenção à Saúde do Idoso) – Oferece atendimento psicoterapêutico e de reabilitação a idosos. Endereço: Avenida ACM, s/n, Centro de Atenção à Saúde (Cas), Edifício Professor Doutor José Maria de Magalhães Neto – Iguatemi. Telefone: 3270-5730/5750. 

CRLV (Centro de Referência Loreta Valadares) – Promove atenção à mulher em situação de violenta, com atendimento jurídico, psicológico e social. Endereço: Praça Almirante Coelho Neto, nº1 – Barris, em frente a Delegacia do Idoso. Telefone: 3235-4268. 

Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) – Em Salvador, são duas: uma em Brotas, outra em Periperi. São delegacias que recebem denúncias de violência contra a mulher, a partir da Lei Marinha da Penha. 

Deam Brotas – Rua Padre José Filgueiras, s/n – Engenho Velho de Brotas. Telefone: 3116-7000. 

Deam Periperi – Rua Doutor José de Almeida, Praça do Sol, s/n – Periperi. Telefone: 3117-8217. 

Deati (Delegacia Especializada no Atendimento ao Idoso) – Responsável por apurar denúncias de violência contra pessoas idosas. Endereço: Rua do Salete, nº 19 – Barris. Telefone: 3117-6080. 

Derca (Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente) Endereço: Rua Agripino Dórea, nº26 – Pitangueiras de Brotas. Telefone: 3116-2153. 

Delegacias Territoriais – São as delegacias de cada Área Integrada de Segurança Pública. Segundo a Polícia Civil, os estupros que não são cometidos em contextos domésticos devem ser registrados nessas unidades. Em Salvador, existem 16 (http://www.policiacivil.ba.gov.br/capital.html). 

Disque Denúncia – Serviços de denúncia que funcionam 24 horas por dia. No caso de crianças e adolescentes, o Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos oferece o Disque 100. Já as mulheres são atendidas pelo Disque 180, da Secretaria de Políticas Para Mulheres da Presidência da República. Fundação Cidade Mãe – Órgão municipal, presta assistência a crianças em situação de risco. Endereço: Rua Prof. Aloísio de Carvalho – Engenho Velho de Brotas. 

Gedem (Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher do Ministério Público do Estado da Bahia) – Atua na proteção e na defesa dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Endereço: Avenida Joana Angélica, nº 1312, sala 309 – Nazaré. Telefone: 3103-6407/6406/6424. 

Iperba (Instituto de Perinatologia da Bahia) – Maternidade localizada em Salvador que é referência no serviço de aborto legal no estado. Endereço: Rua Teixeira Barros, nº 72 – Brotas. Telefone: 3116-5215/5216. 

Nudem (Núcleo Especializado na Defesa das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar da Defensoria Pública do Estado) – Atendimento especializado para orientação jurídica, interposição e acompanhamento de medidas de proteção à mulher. Endereço: Rua Pedro Lessa, nº123 – Canela. Telefone: 3117-6935. 

Secretaria Estadual de Políticas Para Mulheres Endereço: Alameda dos Eucaliptos, nº 137 – Caminho das Árvores. Telefone: 3117-2815/2816. 

SPM (Superintendência Especial de Políticas para as Mulheres de Salvador) – Endereço: Avenida Sete de Setembro, Edifício Adolpho Basbaum, nº 202, 4º andar, Ladeira de São Bento. Telefone: 2108-7300. 

Serviço Viver – Serviço de atenção a pessoas em situação de violência sexual. Oferece atendimento social, médico, psicológico e acompanhamento jurídico às vítimas de violência sexual e às famílias. Endereço: Avenida Centenário, s/n, térreo do prédio do Instituto Médico Legal (IML) Telefone: 3117-6700. 

1ª Vara de Violência Doméstica e Familiar – Unidade judiciária especializada no julgamento dos processos envolvendo situações de violência doméstica e familiar contra a mulher, de acordo com a Lei Maria da Penha. Endereço: Rua Conselheiro Spínola, nº 77 – Barris. Telefone: 3328-1195/3329-5038.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas