Comprovado: trecho da BR-163 foi asfaltado no governo Bolsonaro

brasil
20.10.2020, 09:30:00

Comprovado: trecho da BR-163 foi asfaltado no governo Bolsonaro

Trecho que aparece em montagem compartilhada nas redes sociais foi de fato asfaltado no governo Bolsonaro, mas operação para pavimentar a BR-163 teve início ainda na gestão de Temer

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

  • Conteúdo verificado: Meme publicado no Twitter e no Facebook compara o estado de conservação de um trecho da BR-163 durante os governos Lula, Dilma e Temer com o governo Bolsonaro. O meme usa duas imagens. Em uma delas aparecem os ex-presidentes Lula, Dilma e Temer juntos com a estrada ao fundo e a legenda “16 anos”; a outra imagem mostra o trecho já pavimentado e nela está aplicada a foto de Jair Bolsonaro com a legenda “8 meses”.

O Comprova confirmou que um trecho da BR-163 entre Novo Progresso e Moraes de Almeida, no Pará, que aparece em um meme que viralizou nas redes sociais foi asfaltado durante o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Apesar de a publicação verificada não indicar a exata localização do trecho, o Comprova conseguiu identificar a rodovia a partir de vídeos no YouTube e confirmou com moradores e empresários da região que se trata do km 376 da BR-163 na região entre Novo Progresso e Moraes de Almeida (PA).

A partir da identificação do trecho exato da rodovia, o Comprova entrou em contato com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), que informou que o trecho foi pavimentado em julho de 2019. As informações batem com outras notícias publicadas no site do Dnit no ano passado e, além disso, diversos vídeos de caminhoneiros que trafegaram na região entre julho e agosto do ano passado mostraram as obras realizadas.

Apesar de ter sido concluída e totalmente atribuída ao governo Bolsonaro pela montagem, a obra chamada de “Operação Xingu” teve início com um Termo de Execução Descentralizada entre o Dnit e o Exército, em agosto de 2017, quando o chefe do Executivo ainda era Michel Temer. Reportagens também revelam que, com exceção do trecho, grande parte da BR-163 já estava asfaltada em 2018.

O Comprova encontrou versões desse mesmo meme publicadas desde agosto de 2019. A página “Eu Sou de Direita” e o perfil que compartilhou a publicação no “Grupo da Página Jair Bolsonaro Presidente 2018”, que republicaram o meme recentemente, não responderam as tentativas de contato do Comprova.

Como verificamos?
A publicação investigada não deixa claro qual estrada está retratada na montagem feita com duas fotografias diferentes. Por isso, começamos por uma busca reversa no Google Imagens, que nos levou a publicações semelhantes e que haviam sido postadas anteriormente. Entre as encontradas, destacamos uma em que um internauta indicava ser a BR-319; e outra em que uma página afirmava ser a BR-163.

Em nova busca reversa realizada no Yandex, um buscador de informações russo, chegamos a frames de dois vídeos que mostravam trechos de estrada muito semelhantes aos da publicação verificada. É possível vê-los aqui e aqui. As filmagens são de julho e agosto de 2019, e indicam ser a BR-163, especificamente entre a cidade de Novo Progresso e o distrito de Moraes Almeida, no Pará.

Assim, entramos em contato com o Ministério da Infraestrutura e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), responsáveis pelas rodovias federais e com o Exército Brasileiro, que realizou obras no trecho ao longo dos últimos anos. Também procuramos proprietários de estabelecimentos comerciais e moradores da região retratada no vídeo. A partir destes últimos contatos, conseguimos identificar a quilometragem exata do trecho. Com isso, voltamos a entrar em contato com o Dnit.

Além disso, fizemos diversas consultas a reportagens publicadas na imprensa e em órgãos oficiais sobre a pavimentação da BR-163.

Verificação
Identificando a rodovia

Embora não haja qualquer menção à rodovia que está sendo retratada na montagem e os autores das publicações não tenham respondido às tentativas de contato, o Comprova conseguiu confirmar que ambas as imagens são da BR-163 – especificamente no trecho entre o município de Novo Progresso e o distrito de Moraes Almeida, em Itaituba, no Pará.

Por meio de uma busca reversa no Yandex, a equipe encontrou um vídeo cujo título faz menção à BR-163. A 1min58, o vídeo mostra uma imagem muito parecida com a da estrada asfaltada utilizada no meme verificado. Na montagem abaixo, feita pelo Comprova, é possível ver o trecho do vídeo à esquerda e a imagem investigada à direita.

No final do mesmo vídeo, durante uma conversa, os motoristas relatam passar perto do restaurante Altas Horas. Já outro vídeo publicado no mesmo perfil faz referência à pavimentação da BR-163, especificando o trecho entre Novo Progresso e Moraes Almeida. Durante a gravação também é citado o Posto Sitras.

Percorrendo o trecho entre Novo Progresso e Moraes Almeida pelo Google Maps, localizamos alguns estabelecimentos comerciais, incluindo os dois citados. Pelos telefones indicados, conseguimos contato com os proprietários da Fazenda Manguaba e da Voltrucks, uma oficina mecânica de veículos pesados, localizados à margem da BR-163.

Por WhatsApp, o fazendeiro Thiago Galhardo confirmou que as duas imagens utilizadas na montagem verificada são do mesmo trecho da rodovia, a cerca de 1 km de onde mora. “Na medição antiga é o quilômetro 1151, de Cuiabá a Santarém. Ou o 624 km, de Santarém a Cuiabá. Depois que passou o asfalto, eu não sei”, afirmou.

Por meio de Galhardo, o Comprova conseguiu o telefone de Adirceu Rodrigues, proprietário do restaurante Altas Horas, localizado na BR-163 e citado no vídeo. Morador da região há 35 anos, ele confirmou que as duas imagens são do mesmo trecho da BR-163, que fica a aproximadamente 7 km do estabelecimento, sendo a de terra “do ano passado”.

Proprietário da oficina, Vanderson Lautert da Cruz indicou que a subida nas fotos é conhecida como “Morro da Santa, pelos caminhoneiros, porque em frente à árvore grande tem a casinha de uma santa”. Ele também enviou ao Comprova uma foto de dezembro de 2018 (abaixo) que mostra o mesmo local, mas de um ângulo mais distante. Na época, a estrada estava sem asfalto.

Confirmações semelhantes foram buscadas junto a órgãos oficiais. Porém, tanto o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes quanto o Ministério da Infraestrutura responderam que não seria possível identificar qual era a rodovia ou o trecho em questão, mesmo após consultados com detalhes sobre a identificação da região.

Uma das fotografias publicadas na página do restaurante Altas Horas no Google Maps mostra um carro do Dnit estacionado no local. O Comprova pediu ajuda do órgão para localizar o fotógrafo ou os ocupantes do automóvel, mas também recebeu uma negativa.

Alguns dias depois, Vanderson Lautert da Cruz, o proprietário da oficina, enviou uma nova fotografia (abaixo) mostrando o trecho da rodovia ao Comprova indicando se tratar do km 376.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Pará, o Exército e a Prefeitura de Novo Progresso não responderam os contatos feitos pelo Comprova até o fechamento desta reportagem.

O andamento da obra
Como a montagem verificada indica que a pavimentação da rodovia teria acontecido ainda nos primeiros oito meses do governo Bolsonaro, pesquisamos reportagens que tratavam do andamento das obras na BR-163 no Pará, tanto na imprensa, quanto em órgãos oficiais, a fim de confirmar a data do asfaltamento no trecho específico das fotos.

De acordo com uma notícia publicada no site oficial do Dnit, a rodovia federal se tornou completamente pavimentada no final de novembro de 2019, justamente com a conclusão das obras nos 51 km entre Moraes Almeida e Novo Progresso (ao sul). Porém, alguns trechos foram concluídos antes disso.

Em agosto, por exemplo, o trecho que interliga Moraes Almeida ao distrito de Miritiuba (ao norte) já havia sido pavimentado, conforme divulgado pelo Dnit, em outra notícia. Depois, na primeira quinzena de setembro (9º mês da gestão Bolsonaro), outros 35 km já haviam sido finalizados – incluindo um trecho entre Moraes Almeida e Novo Progresso.

Sem as informações detalhadas solicitadas ao Dnit e ao Exército, cujo 8º Batalhão de Engenharia e Construção (BEC) foi o responsável pela execução de tais obras na BR 163, o Comprova não conseguiu verificar exatamente a data em que o trecho mostrado na montagem foi asfaltado.

No entanto, o fazendeiro e os dois empresários locais consultados pela equipe confirmaram que a pavimentação ocorreu durante o ano passado, ainda que sem precisarem o mês. Além disso, vídeos de caminhoneiros publicados no final de julho, como os já citados nesta verificação, mostravam o trecho já coberto com asfalto.

Vale ressaltar que, embora o crédito da obra seja todo atribuído a Jair Bolsonaro pela montagem, a “Operação Xingu” começou em agosto de 2017, por meio da assinatura de Termo de Execução Descentralizada entre o Exército e o Dnit. Nessa época, o Executivo ainda era chefiado por Michel Temer, que permaneceu como presidente do país até o final de 2018.

Em janeiro de 2018, por exemplo, uma reportagem do G1 revelou que a maior parte da BR-163 estava pavimentada “desde Mato Grosso até Pará, restando poucos trechos em obras”, conforme informado pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil à época. Os governos de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul também informaram que a rodovia, nos respectivos trechos estaduais, já era asfaltada desde antes de 2018.

entrega oficial da BR-163 asfaltada aconteceu em 14 de fevereiro deste ano. A rodovia possui cerca de 3.500 km e corta o Brasil de norte a sul: passando por Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Pará. A BR-163 é um importante corredor de escoamento de grãos e dá acesso ao Porto de Miritituba (PA), que faz parte da rota para exportação do centro-norte do país.

Por que investigamos?
Na terceira fase, o Comprova verifica conteúdos sobre a pandemia da covid-19 e as políticas públicas do governo federal. Uma publicação falsa ou enganosa sobre essas realizações resulta em interpretações equivocadas sobre a realidade e a efetividade dos representantes políticos, os quais são escolhidos por meio das eleições.

Até o dia 15 de outubro, a publicação original tinha 41 mil compartilhamentos. Só um deles, feito no Facebook, registrou mais 2.200 reproduções e mais de 6 mil interações. Durante o ano passado, dezenas de posts semelhantes, com as mesmas imagens, também circularam pelas redes sociais.

No ano passado, a BR-163 já havia sido alvo de uma verificação do Comprova, por causa de uma publicação que atribuia, equivocadamente, melhorias na rodovia ao Governo Bolsonaro. Neste ano, o Comprova verificou diversas publicações envolvendo estradas, entre elas: alegações de que o Exército teria arrumado a rodovia Transamazônica e imagens de obras de governos petistas sendo atribuídas a Bolsonaro. Mais recentemente, um tuíte enganoso também foi investigado, por dizer que a Ferrovia do Sol estava prestes a ser implementada.

Comprovado, para o Comprova, é um fato verdadeiro; evento confirmado; localização comprovada.

*Esta checagem foi postada originalmente pelo Projeto Comprova, uma coalizão formada por 29 veículos de mídia, incluindo o CORREIO, a fim de identificar e enfraquecer as sofisticadas técnicas de manipulação e disseminação de conteúdo enganoso que surgem em sites, aplicativos de mensagens e redes sociais. Esta investigação foi conduzida por jornalistas de A Gazeta, Poder 360 e piauí, e validada, através do processo de crosscheck, por oito veículos: Jornal do Commércio, Estadão, Folha, UOL, O Povo, CORREIO, Gaúcha ZH e NSC.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas