Conheça a creche parental, onde os pais administram e racham as despesas

salvador
10.04.2022, 16:00:00
(Paula Fróes)

Conheça a creche parental, onde os pais administram e racham as despesas

A Casa do Canela é sem fins lucrativos, onde as crianças passam a tarde sob cuidados de educadores e dos próprios pais. Eles estão à procura de novas famílias

Imagine uma creche onde a gestão é feita pelas famílias das crianças, dividindo as tarefas e despesas, focada apenas no processo educacional mais afetivo e uma educação pensada por todos os envolvidos. Sem lucro, apenas educação, convívio e brincadeira. Um jeito mais afetuoso do filho iniciar o processo de socialização, com a presença frequente dos pais e profissionais. Imaginou? Ela existe. Num país onde menos da metade das crianças entre 0 e 3 anos está na creche, um grupo de pais decidiu fundar a Casa do Canela, um conceito de creche parental pouco conhecido em Salvador. O melhor: eles estão à procura de novas famílias para o projeto.

O conceito é tão simples quanto brincar, mas não significa que seja fácil. Seis famílias fazem parte da Casa do Canela, que funciona como uma creche não convencional. Não existe uma mensalidade, mas um rateio de todas as despesas. Quanto mais famílias, menor o valor. Além do aluguel do espaço, tem o salário do educador, despesas gerais como material paradidático e limpeza, entre outros. O que for gasto é dividido por todos. Os pais também possuem outras funções. Um é responsável pelo setor financeiro, outro pela limpeza, cada um com seu combinado. Uma família também fica responsável em auxiliar a educadora durante a semana. 

A ideia surgiu em plena pandemia, após um dos pais conhecer uma creche parental no Rio de Janeiro e sugerir a um grupo de amigos que tinham filhos pequenos em casa, mas por questões financeiras e pessoais, não podiam colocá-las numa creche convencional. Em agosto do ano passado, após meses de planejamento, a Casa do Canela foi inaugurada e está na segunda turma, com crianças fora da faixa etária escolar. Como o nome indica, o espaço fica no bairro do Canela, numa área ampla, com jardins, uma sala grande, quarto da soneca, tudo que uma creche tem, com um diferencial: os próprios pais decidem sobre a rotina do lugar. 

“Foi uma escolha nova que decidimos seguir. Fugimos daquela creche convencional, mercadológica. Buscamos o livre brincar e não temos a intenção de ser uma escola, mas temos autonomia e liberdade de direcionar o que pensamos sobre a infância. Escolhemos inclusive educadores que estivessem alinhadas com isso. Este momento da criança é fundamental, pois é o início de seu pensamento sobre o mundo. Por isso temos o maior cuidado de discutirmos sobre a metodologia pedagógica”, disse Beatriz Viana, psicóloga e uma das idealizadoras do projeto. Sua filha Iara está na creche. 

O lugar está abrindo vaga para duas famílias bolsistas. Atualmente são seis crianças, e a ideia é chegar a 10. Oito seriam pagantes e duas isentas, direcionadas a famílias negras e de baixa renda. A média dos gastos mensais gira em torno dos R$ 4 mil, o que daria R$ 500 para cada família pagante. “É algo novo aqui em Salvador. Na Europa faz parte de ações públicas de educação. Na Alemanha, o governo dá o subsídio para os gastos da creche parental e os pais administram, também sem fins lucrativos”, conta Beatriz. 

No último estudo feito pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal (Fmcsv), em 2019, entre as famílias mais pobres do país, 46% das crianças com até 3 anos precisavam de creches. O último estudo foi feito antes da pandemia e a projeção pode ser maior nestes últimos três anos. O curioso é que, segundo a lei do Plano Nacional de Educação (PNE), o Brasil precisa alcançar o índice de pelo menos 50% de crianças de até 3 anos matriculadas em creches até 2024. A última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), também de 2019, aponta que 35,6% de crianças com até 3 anos estão matriculadas em creches. Salvador tem um índice maior que o nacional:  43,6%. Este índice é global, contando famílias de todas as classes sociais. 

A creche parental é tão afetiva que a relação pula os muros da Casa do Canela, tornando-se uma grande rede de apoio. “A gente acaba conhecendo as particularidades de cada criança. As famílias passaram a fazer encontros no próprio lugar, curtimos a casa, criando uma relação mais próxima entre os pais que uma escola convencional não proporciona. É uma rede de apoio, posso deixar minha filha na casa de outra família, pois nos conhecemos. Nem todos têm a vó para deixar a criança quando precisa, né?”, completa Bia.

Pedagoga há mais de 30 anos e especializada em crianças da primeira infância, Rosana Moreira vê com otimismo a chegada da creche parental em Salvador. Ela possui um projeto semelhante, conhecido como Quintal Itinerante, mas numa experiência de convivência voltada ao contato direto com a natureza. 

“Este tipo de experiência resgata a afetividade tão importante para a criança da primeira infância. Estamos num jeito em que a educação da criança está terceirizada. Tem pais que levam as crianças dormindo [creches convencionais] e pegam as crianças também dormindo.   É fundamental para uma criança pequena estar em convívio com os pais, com a família. Este conceito parental valida a cultura familiar. É muito interessante, mas também é preciso ter um preparo para estas pessoas que estão validando esta proposta, que tenha conhecimento do desenvolvimento infantil”, disse Rosana.

Arte-educadora, Ani Cerqueira é a responsável pela criançada. A rotina delas é voltada para a socialização e impressões sobre o mundo. Os alimentos, por exemplo, são de forma coletiva, mas respeitando as particularidades de cada uma, como intolerâncias alimentares, tudo anotadinho na cozinha.  “Estas crianças nasceram praticamente nesta pandemia. Na creche parental eles aprendem a convivência através do brincar, com a participação dos pais. É a diferença de outros espaços educacionais”, comenta Ani. 

Se interessou? Ainda há vagas. A creche parental funciona de segunda a sexta, no período vespertino  (13h30 - 18h). É possível entrar em contato através do Instagram da Casa do Canela (@creche.casadocanela), mas é bom ficar atento aos critérios, que serão conversados na entrevista para ingressar na creche, como a obrigatoriedade da vacina e protocolos contra a covid. O local também faz questão de deixar bem claro uma condição preliminar: “O primeiro critério é não votar/gostar do atual governo federal, tá ok?”, diz a cartilha da creche parental. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas