Conheça os negócios que começaram em casa e ganharam grandes proporções

empregos
20.04.2020, 06:00:00
Inúmeros negócios começam nos lares brasileiros, mas é preciso cuidado para não misturar a vida pessoal e a empresarial (shutterstock/reprodução)

Conheça os negócios que começaram em casa e ganharam grandes proporções

Rede Mundo Verde é um dos exemplos de que este tipo de negócio pode prosperar

Preocupada com a alimentação das filhas, Isabel Maria Antunes Joffe começou a pesquisar sobre alimentação natural. Cada achado mostrava que não era apenas a alimentação que precisava mudar, mas a própria compreensão da vida e dos muitos elementos que formam a vida humana. Então juntou as economias que tinha com o marido e chamou dois cunhados para criar um espaço de comercialização de produtos naturais. Nascia há 30 anos e dentro de casa o Mundo Verde.

"O Mundo Verde nasceu de um sonho de levar qualidade para a alimentação e para a vida das pessoas, promover a cultura do bem-estar, divulgar e fortalecer o respeito ao meio ambiente, o consumo consciente, a responsabilidade social e a cidadania", ressalta Isabel, que também é diretora de Marketing e ombudsman da rede, que está presente  nos 25 estados do Brasil com mais de 400 lojas.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 98% das empresas com CNPJs abertos são empresas que começaram em casa. Quando a motivação não diz respeito a uma situação como a quarentena, que tem obrigado as pessoas a permanecerem em casa, ela diz respeito diretamente à necessidade de empreender, adaptando às rotinas domésticas e com um investimento mais baixo.

Investimento doméstico
De acordo com o gestor de atendimento e analista técnico do Sebrae-Bahia Wagner Gomes, executar um negócio dentro da própria casa tem vantagens significativas, que vão desde a possibilidade de adaptar as horas disponíveis para o trabalho até não ter custos adicionais como pagamento de aluguel, mobiliário e deslocamento.

“No, entanto, é preciso se organizar com a boa divisão das atividades do negócio e das coisas pessoais; manter a disciplina com o cumprimento de horários e se residir com outras pessoas, fazê-los entender que, no momento do trabalho, o empreendedor em questão  não deverá estar disponível para outras necessidades de familiares ou da casa”, salienta.

O fundador do Centro Brasileiro de Cursos (CEBRAC) Wilson Giustino abriu sua primeira escola em 1995, dentro de casa. “Na década de 90, o ensino profissionalizante começou a ganhar força, e por isso fiz a união dos recursos que tinha: a minha casa, a compra de alguns equipamentos usados (computadores, mesas, e cadeiras) e conhecimento que tinha em fazer matrículas nas aulas de computação, secretariado, contabilidade”, conta. Hoje, o Centro tem mais de 90 unidades em todo o Brasil. 

Wilson Giustino reconhece o desafio de começar em casa, mas reforça as vantagens de iniciar um negócio no espaço doméstico (foto: divulgação)

Como empreendedor, ele diz que, entro de casa, a administração do tempo é otimizada, é possível economizar e manter um controle maior do fluxo de caixa e a gestão de pessoas fica facilitada. “Com certeza separar a vida profissional da pessoal é o maior desafio para quem decide começar em casa, pois é preciso muita organização para não trabalhar 24 horas por dia”, reconhece.

Para começar 
Wagner Gomes lembra que antes de começar qualquer negócio, é fundamental planejar. “Identifique se há demanda para seu produto ou serviço, conheça os potenciais clientes, defina as estratégias de comunicação e divulgação do negócio, defina bem o preço a ser praticado, organizar-se com materiais, matéria-prima, estoques ou instrumentos e demais recursos necessários e verificar sua capacidade produtiva ou operacional para não frustrar seu cliente”, ensina.

Outro aspecto importante destacado pelo representante do Sebrae é a logística, em caso de produtos. “Tem algumas de negócios eminentemente que podem ser operados de casa como fabricação ou venda de alimentos prontos ou congelados, produção de máscaras de pano, fabricação de embalagens, videoaulas, consultorias, atendimentos psicológicos, terapia”, afirma, lembrando que para designers, web designers e publicitários, criação de peças de divulgação publicitárias para redes sociais e na internet em geral o trabalho em casa pode ser feito com muita tranquilidade. 

“Cabeleireiros, barbeiros e esteticistas podem agendar atendimentos em residências, tomando os devidos cuidados que o isolamento social pede”, sugere.

Gomes lembra que, em tempos de distanciamento social , há uma grande tendência também em aluguéis de equipamentos de ginásticas e musculação, por exemplo, jogos para famílias e crianças, brinquedos, máquinas e equipamentos de uso doméstico, como lavadoras e micro-ondas, computadores, impressoras. “Depende do negócio. Os que não têm atividade em casa e estão em isolamento social, podem utilizar este tempo para aprender mais, fazer cursos, aprimoramento, informa-se sobre mudanças, tendências no seu tipo de negócio”, sugere.

O representante do Sebrae destaca que outra forma de trabalhar em casa  é buscar os negócios que podem ser realizados pela internet, como serviços. “O empreendedor pode aproveitar para atender a mais clientes, utilizar parte do tempo para divulgar seus negócios em redes sociais e aplicativos de relacionamentos, aprimorar e promover a comunicação e divulgação de seu negócio”, conclui.


Raimundo Junior, franqueado da Minds Idiomas de Salvador

"Conseguimos inaugurar a escola Minds em Salvador, em 2005, e como não tínhamos dinheiro para arcar com o aluguel da escola e aluguel da nossa casa, eu e a minha esposa morávamos na escola. A nossa casa literalmente era a extensão do nosso negócio. Unimos as duas coisas para economizar e também estruturar o caixa da escola. Usávamos a mesma cozinhados funcionários, era a nossa cozinha a noite. Dormíamos na sala - De dia era a sala do administrativo, a noite a sala que víamos TV e onde dormíamos. A principal vantagem é o capital que você consegue levantar ao unir a sua casa ao negócio.

Após se estruturar e já ter um bom fluxo de caixa conseguir dissociar uma coisa da outra.
Não ter o próprio espaço para descansar é complicado. Porém, é fato que será apenas por um período. No nossa caso durou seis meses  e eu faria tudo novamente. Hoje, a nossa escola, atende mais de 1000 alunos. Na pandemia, a Minds Idiomas Salvador não perdeu nenhum aluno. Todos continuam a fazer as suas aulas online. A próxima meta é após a pandemia passar no nosso país inaugurar mais uma unidade da Minds English School no Nordeste.

Para quem quer abrir um negócio em casa, minha sugestão é ter tudo organizado e lembre-se menos é mais. Ter menos itens no espaço físico que será dividido entre trabalho e casa é importante para tudo fluir neste período da melhor forma".

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas