Coreia do Sul instala estátuas de 'mulheres conforto' em ônibus

mundo
14.08.2017, 14:51:18
Atualizado: 14.08.2017, 15:03:31

Coreia do Sul instala estátuas de 'mulheres conforto' em ônibus

As peças foram instaladas para lembrar as mulheres do país feitas de escravas sexuais por soldados japoneses durante a Segunda Guerra Mundial.

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quem entrar em um ônibus em Seul, capital sul-coreana, pode se assustar com a presença de estátuas femininas sentadas nos bancos do transporte público. As peças foram instaladas para lembrar as mulheres do país feitas de escravas sexuais por soldados japoneses durante a Segunda Guerra Mundial.

As estátuas foram colocadas em cinco veículos nesta segunda-feira, 14, para comemorar o Dia Internacional dedicado às 'mulheres conforto', como as vítimas ficaram popularmente conhecidas.

Segundo ativistas sul-coreanas, mais de 200 mil mulheres foram escravizadas sexualmente no período. A prática também aconteceu em países como China, Taiwan e Filipinas.

    

Foto: Ahn Young-joon/AP

Em 2015, o Japão emitiu uma desculpa formal e fez um acordo para pagar US$ 8,3 milhões (aproximadamente R$ 30 milhões) em indenizações às vítimas e suas famílias.

Esta não é a primeira vez que estátuas neste estilo são instaladas no país. No ano passado, uma 'mulher conforto' de 1,5 m de altura foi instalada por ativistas em frente à embaixada japonesa da cidade sul-coreana de Busan.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas