Coronavírus é encontrado em esgoto por cientistas da Fiocruz

coronavírus
28.04.2020, 15:45:00
Atualizado: 28.04.2020, 15:47:37
Marize Pereira Miagostovich, responsável pela pesquisa na Fiocruz, com Camille Mannarino, engenheira sanitarista (Josué Damacena/IOC/Fiocruz)

Coronavírus é encontrado em esgoto por cientistas da Fiocruz

Isso não significa que o coronavírus possa ser transmitido por lá, mas a presença do vírus é indica alto espalhamento na população

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Cientistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciaram nesta terça-feira (28) que encontram o coronavírus em um esgoto do estado do Rio de Janeiro. O vírus Sars-CoV-2, que causa a covid-19, foi detectado em Niterói, cuja prefeitura colaborou com o estudo. De acordo com os especialistas, a descoberta é importante porque a presença do vírus no esgoto indica o elevado espalhamento do causador da doença na população.

A análise do esgoto pode ser usada como instrumento para monitorar o nível de contaminação da população. Só foi possível fazer a análise em Niterói porque a cidade é uma das raras do Brasil que conta com saneamento básico adequado e trata mais de 90% de seus efluentes. Nas demais cidades, como o município do Rio de Janeiro, por exemplo, o excesso de contaminantes inviabiliza a precisão dos testes.

O achado não significa que o causador da covid 19 possa ser transmitido pelo esgoto, afirmam os cientistas. Isso não foi ainda investigado e é considerado pouco provável porque o coronavírus é um vírus respiratório sensível a certas condições ambientais presentes no esgoto. Provavelmente, não seria viável para se replicar ao ponto de causar infecção.

Já se sabia que o coronavírus pode estar presente nas fezes de alguns pacientes com covid 19, mas não se sabe o potencial infeccioso desses vírus nos excrementos. Estudos de pesquisadores chineses e alemães já haviam detectado o vírus nas fezes. E em março cientistas holandeses alertaram na revista Lancet sobre o risco de contaminação e o uso do monitoramento do esgoto para o controle da pandemia.

Leia mais: Coronavírus é detectado no ar em ruas e prédios próximos a hospitais

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas