Corpo de adolescente que sumiu após banho de mar é encontrado na Pituba

salvador
22.08.2020, 09:06:00
Atualizado: 22.08.2020, 15:19:26
(Arisson Marinho/CORREIO)

Corpo de adolescente que sumiu após banho de mar é encontrado na Pituba

Iran Oliveira, de 14 anos, estava desaparecido desde quinta-feira (20)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O corpo do adolescente de 14 anos que desapareceu na Praia dos Artistas, na Boca do Rio, foi encontrado na manhã deste sábado (22). Iran Oliveira jogava bola com os amigos na quinta-feira (20), quando resolveu ir até o mar para limpar o corpo que estava sujo de areia e não voltou mais.

De acordo com equipes do Corpo de Bombeiros, o corpo do adolescente foi encontrado por volta das 6h da manhã e reconhecido por familiares. Uma equipe do Departamento de Polícia Técnica foi acionada para realizar a necrópsia do corpo, que será levado para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues.

Segundo Iure Carlton, coordenador da Salvamar, que também participou das buscas no dia do afogamento e nesta sexta (21), um popular foi o responsável por informar sobre o aparecimento do corpo de Iran. O sucomandante do G-Mar, capitão Luciano Alves, explica que foi um banhista quem ligou logo no início da manhã informando aos bombeiros que havia um corpo próximo à praia.

“Foram mandadas equipes da polícia e dos bombeiros. Familiares foram ao local e reconheceram o corpo, que foi achado na região do Jardim dos Namorados”, diz. Segundo ele, foi solicitado ao DPT a remoção do corpo, que foi encaminhado ao IML para a causa da morte ser identificada, “porque independente de saber que foi por nítido afogamento, tem que atestar o motivo”, explica. O capitão afirma que depois, o corpo de Iran será liberado para a família realizar o sepultamento.

De acordo com Jefferson Carvalho, 18 anos, amigo do adolescente, o corpo de Iran foi encontrado por um pescador na região da Pituba, em frente ao Colégio Integral. "A família e os amigos ainda não acreditam no que aconteceu. O pai está sem chão e a mãe dele está sobrevivendo à base de remédios", lamentou o jovem.

Segundo Jefferson, que jogava bola com Iran no dia do afogamento, o adolescente não sabia nadar e a maré estava forte quando o jovem que sonhava em ser dançarino foi levado. Os amigos do menino ainda tentaram entrar no mar para procurá-lo e contaram com a ajuda de alguns pescadores que estavam no local, em vão.

"Os pescadores entraram para tentar ajudar meu amigo, mas tiveram que ser resgatados com uma rede de pesca. É a pior sensação do mundo. Não ter como fazer nada, não ter como ajudar", diz o jovem que é amigo de infância de Iran.

Também amigo de Iran, Lucas Souza, 25, foi um dos que tentaram salvar o adolescente. As ondas estavam tão fortes no local que Lucas teve que ser puxado por uma amiga pra não ser levado pela correnteza. 

“Do nada, veio uma onda forte e levou ele. Eu entrei no mar para tentar pegar meu amigo, mas comecei a ser puxado. Uma menina que estava na praia com a gente me segurou e eu nem consegui chegar perto de Iran. Só vi ele desesperado pedindo ajuda”, relembrou.

Lucas conta ter pedido para Iran mergulhar mais no raso pouco antes dele ter desaparecido no mar. “A gente tinha decidido não tomar banho porque o mar estava muito revolto. De repente, ele entrou no mar para tirar a areia”, disse.

* Com supervisão da subeditora Fernanda Varela


(Foto: Reprodução)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas