Covid-19: sistema funerário entra em colapso no Equador e corpos ficam nas ruas

coronavírus
02.04.2020, 07:10:00
Atualizado: 02.04.2020, 23:27:18
(AFP)

Covid-19: sistema funerário entra em colapso no Equador e corpos ficam nas ruas

Maior parte das funerárias fechou as portas por falta de caixões e medo de contaminação

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A pandemia do coronavírus atingiu de forma brusca o Equador. O sistema funerário do país entrou em colapso e muitos corpos não estão sendo recolhidos das ruas e das casas. Vídeos no Twitter mostram corpos sendo queimados nas ruas e outros sendo abandonados em via pública pelas famílias.

A cidade mais atingida pela Covid-19 é Guayaquil. Por isso, a população da cidade começou a compartilhar os vídeos nas redes sociais, alertando para a situação de colapso do sistema funerário do país.

O governo do Equador informou que removeu 150 corpos que estavam em várias casas, nos últimos três dias, mas não confirmou quantas vítimas da Covid-19 estão entre os mortos. 

A província de Guayas cuja capital é Guayaquil, concentra 70% dos casos da Covid-19 no Equador, que tem 2.758 infectados e 98 vítimas fatais desde 29 de fevereiro.

Além do volume de cadáveres ter aumentado, há o medo de contaminação por parte dos trabalhadores das casas funerárias, relata o jornal El Comercio. A maioria das casas funerárias fechou suas portas. Apenas 20 dos 120 da cidade estão funcionando.

As buscas por caixões na cidade podem durar até três dias. Ainda de acordo com o jornal, a escassez de caixões também acontece porque os fabricantes não podem comprar madeira, tecidos e tintas, suprimentos necessários para fazê-los.

O governo informou, na quarta-feira, 01, que o número de cadáveres subiu de 30 por dia para 150 em Guayaquil. A polícia recolheu 419, entre 23 e 31 de março.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas