Criança de dois anos presencia avó sendo morta e se agarra ao corpo

brasil
26.04.2022, 21:44:00
(Foto: Via Whatsapp O Povo)

Criança de dois anos presencia avó sendo morta e se agarra ao corpo

Mulher e homem, ambos de 41 anos, tiveram a casa invadida e foram mortos a tiros de fuzil

Um casal foi morto a tiros de fuzil na localidade de Coaçu, em Cascavel, a 62 quilômetros de Fortaleza. O caso foi registrado na madrugada desta terça-feira, 26. A neta da mulher, uma criança de dois anos de idade, permaneceu o tempo todo agarrada à avó até que o corpo fosse retirado.

Segundo o Conselho Tutelar do município, a menina será encaminhada aos órgãos da rede de proteção. Dessa forma, também será enfatizada a necessidade de acompanhamento psicossocial. A criança passava uma temporada com a avó.

A mulher tinha 41 anos e tem o nome preservado para que a criança não seja identificada, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A cena de violência abalou a vizinhança e os policiais que foram ao local.  A vítima ficou do lado de fora da casa, caída ao solo, depois de ser atingida com, aproximadamente, dez disparos de fuzil.

O homem, também de 41 anos, executado dentro de casa, teve o crânio praticamente destruído pelo disparo de arma de fogo. O portão da casa foi arrombado pelos criminosos.

Apenas a criança não foi alvo dos tiros e teria ficado correndo no quintal quando tudo aconteceu. Em seguida, agarrou-se à avó até que a vítima fosse retirada. Não há informações sobre a motivação do crime. 

Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou o duplo homicídio em Cascavel e informou que os dois foram mortos dentro de um imóvel.

De acordo com o órgão, o homem possuía antecedentes criminais por integrar organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico, receptação e posse ou porte ilegal de arma de fogo.

A mulher possuía antecedentes por associação para o tráfico. A Perícia Forense do Ceará esteve no local e colheu indícios que auxiliarão nas investigações. O caso é investigado pela Delegacia de Cascavel. Até o momento, ninguém foi preso pelo crime.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas