Crise no Inep e a insegurança do estudante à beira do Enem

entrelinhas
20.11.2021, 05:00:00

Crise no Inep e a insegurança do estudante à beira do Enem

Notícias que marcaram a semana

A primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 acontece neste domingo (21) e atualidades é um assunto bastante importante nesse primeiro dia de avaliação. Ou seja, o estudante precisa ficar atento ao que acontece no Brasil e  no mundo. Ao se informar, é impossível não ficar inseguro. 

Já não basta o nervosismo usual - que não é pequeno - de uma prova que dará acesso a ele a uma carreira que, muitas vezes, ele não tem nem certeza se é aquilo mesmo que quer, agora os jovens estão preocupados se a prova realmente vai valer. Afinal, em meio à exoneração de 37 servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela organização do Enem, muitas dúvidas foram criadas.

Os funcionários acusam o presidente do órgão, Danilo Dupas, de interferência, perseguição e imposição ideológica, entre outras acusações. Em entrevista ao Fantástico do último domingo (14), relataram diversos problemas, incluindo a presença de um policial federal na chamada sala segura, onde as provas são desenvolvidas. 

O presidente Jair Bolsonaro declarou que o Enem tinha ‘a cara’ de seu governo e suscitou mais dúvidas ainda (e gerou memes, claro). Dupas e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, tiveram que se explicar na Câmara dos Deputados e no Senado Federal e, de certa forma, tergiversaram sobre a declaração de Bolsonaro. 

“Não houve interferência alguma do Palácio do Planalto, não houve. A cara do nosso governo - no caso da nossa gestão, no caso do senhor ministro Milton Ribeiro -, é seriedade e transparência. Não houve interferência alguma do Palácio do Planalto em decidir ou escolher qualquer item da prova ou tema da redação”, garantiu Dupas, ao Senado.

Entidades estudantis, partidos e até a Defensoria Pública da União entraram na briga e pediram afastamento de Dupas do Inep, investigação sobre sua atuação e garantia de segurança sobre a prova - por conta de possíveis vazamentos, por exemplo. O Judiciário, até sexta-feira (19), havia negado provimento nas ações, mas há, evidentemente, um clima de insegurança jurídica em relação ao Enem 2021. Já o Tribunal de Contas da União (TCU) abriu investigação.

Obviamente, quanto mais o assunto fica em evidência, mais a imprensa corre atrás e mais pessoas decidem falar, dando a entender, na maioria dos depoimentos, que não será supresa uma prova completamente fora dos padrões no exame.

E nesse fogo cruzado quem é o maior prejudicado? O estudante, claro. É ele que, em plena pandemia, se virou para adquirir conteúdo, tirar dúvidas, pegar macetes, dormir, comer (quando consegue) e, ufa, também se divertir. E agora nem sabe se isso tudo vai valer a pena.

Segue a indefinição sobre ter ou não Carnaval
O Verão se aproxima e as pessoas, já vendo a vida quase normal (mera impressão) começam a pensar em festas e, claro, Carnaval. Mas a discussão não é tão simples e tem se intensificado nos últimos dias. O presidente do Comcar, Flávio Emanoel, afirmou durante a semana que o conselho não quer realizar o Carnaval 2022 a todo custo, mas os turistas, patrocinadores e trabalhadores que fazem o evento acontecer precisam se planejar com antecedência.  O Comcar é um órgão colegiado do qual fazem parte entidades representativas do Carnaval e órgãos públicos para deliberar e fiscalizar as ações relacionadas à festa. O conselho realizou uma reunião na quinta-feira (19).

O governador Rui Costa tem batido na tecla de que ainda não é o momento de pensar em uma festa do tamanho do Carnaval. ”Repito: não colocarei a população baiana em risco dando uma definição sobre o Carnaval agora, quando estamos com 2,5 mil casos ativos na Bahia e com o coronavírus voltando com força em diversos países. O Carnaval não pode estar acima da vida das pessoas”, afirmou. Rui disse também que quem desrespeitar o decreto que proíbe atividade de rua  não terá apoio da Polícia Militar. “Quero avisar a toda a população que não se coloque em risco”, avisou.

Auxílio Brasil  Ainda com muitas incertezas, o Auxílio Brasil começou a ser pago na última quarta-feira. Centenas de pessoas seguem buscando atendimento para regularizar a situação do CadÚnico para receber os valores do novo programa social do governo federal, que substitui o Bolsa Família. Em Salvador, para ser atendido é necessário agendamento junto à  Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre) pelo WhatsApp (71) 98392-3927.

Mais vacina  O Ministério da Saúde anunciou na terça-feira, dia 16,  que todos os brasileiros com mais de 18 anos poderão tomar uma terceira dose da vacina contra a covid-19 cinco meses após a aplicação a segunda. Até então, o reforço só era indicado para idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde, com seis meses de intervalo. Segundo o MS, quem tomou a vacina de dose única da Janssen receberá uma segunda dose e, então, a terceira após cinco meses.

População  O IBGE divulgou na quinta-feira que 1,5 milhão de brasileiros morreram em 2020. É um aumento de 14,9% em relação a 2019 e o maior número desde 1984. Principal causa foi a pandemia de covid-19, que alavancou as mortes por causas naturais (doenças).  A alta na Bahia foi de 13,3%, com 102.189 mortes em 2020, e 24,7% em Salvador (21.139). Já a taxa de natalidade caiu 4,7% no país e foi a menor desde 1974. Bahia e Salvador acompanharam.

***

"O que eu considero muito também: começam agora a ter a cara do governo as questões da prova do Enem. Ninguém precisa ficar preocupado. Aquelas questões absurdas do passado, que caíam tema de redação que não tinha nada a ver com nada" Jair Bolsonaro, presidente, sobre o Enem

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas