Daniel vê reação contra Independiente como motivação para Nordestão

e.c. bahia
06.05.2021, 16:20:00
Atualizado: 06.05.2021, 16:20:20
"A gente tem que ter a cabeça bem tranquila, no lugar, focada, confiante no trabalho", disse Daniel (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Daniel vê reação contra Independiente como motivação para Nordestão

Tricolor perdeu do Ceará na ida por 1x0 e precisa reverter vantagem para ficar com o título

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

No duelo contra Independiente, o Bahia saiu atrás por 2x0, mas empatou no segundo tempo e garantiu o 2x2, pela Sul-Americana. Poderia até ter virado, se Gilberto não tivesse desperdiçado cobrança de pênalti. É esse poder de reação que o meia Daniel quer para o duelo contra o Ceará, pela decisão da Copa do Nordeste.

O primeiro encontro da final terminou em 1x0 para o Vozão. Na volta, marcada para sábado (8), às 16h, no Castelão, o Esquadrão precisa vencer por dois gols de diferença para ficar com o título em tempo regulamentar. Se ganhar por um gol de vantagem, a taça será decidida nas cobranças de pênaltis.

"[Os torcedores] viram, nestes últimos 45 minutos [do duelo contra o Independiente], que a gente tem um elenco muito aguerrido, que não vai desistir nunca. Sempre vai buscar o jogo até o final. Muitos devem ter pensado, quando a gente tomou 2x0, que o jogo já estaria perdido, por causa do campo encharcado, a bola sem correr. E não foi bem assim. A gente buscou, correu. Quase conseguimos a virada. A gente tem que levar isso tudo para o jogo contra o Ceará, porque a gente já está começando atrás no placar", comentou o meia.

Diante do Ceará, o Bahia tentará ainda quebrar um tabu. Desde novembro de 2018 que o tricolor não ganha do adversário. De lá para cá, foram oito duelos, com seis vitórias do Vozão e dois empates. Para Daniel, é preciso acreditar no trabalho da equipe - e se manter calmo, sem pressa ou afobação.

"A gente tem que ter a cabeça bem tranquila, no lugar, focada, confiante no trabalho que a gente vem fazendo. Eles têm uma vantagem, mas é uma vantagem mínima. Então a gente tem que ter consciência de que, com 1x0, já está indefinido, vai para os pênaltis. Então a gente tem que entrar bem tranquilo, confiando no que a gente veio fazendo, 11 contra 11, que a gente estava jogando muito bem. E sabendo que a gente tem condições de trazer o título para Salvador", afirmou.

"O grupo vai chegar, fisicamente, muito bem. A gente teve quarta, hoje e ainda vai ter amanhã. Tratando-se de uma final, a gente poderia jogar na sexta e, depois, já jogar no sábado, que a gente não sentiria aquele cansaço todo. Só por ser um jogo desse tipo, você ganha um algo a mais. Então acho que nosso time vai chegar bem, inteiro, para esse jogo. Tomara que dê tudo certo", continuou.

Daniel vem mostrando boas atuações, mas ainda não marcou pelo Bahia neste ano. O meia, no entanto, confia que o gol chegará na hora certa.

"Fico feliz de estar podendo ajudar o time dentro de campo. Infelizmente, não marquei ainda. Todo jogador gosta de fazer gol. O principal é sempre ajudar o time, a gente conseguir sair com o triunfo. Mas, lógico, se sair esse gol agora na final, eu vou ficar muito feliz. O gol vai ter saído na hora certa. Eu sempre digo que o importante é o gol sair na hora certa. Nada melhor do que se sair nesta final. Mas, se não sair, o importante é o título", disse.

Confira outros trechos da entrevista do meia Daniel

Se sente confortável no esquema tático?
Me sinto bastante confortável na posição em que estou jogando. É a posição em que mais gosto de jogar. Tendo liberdade de flutuar para os dois lados, voltar, pegar a bola atrás, tentar levar a bola para frente. Quanto à falta de compactação, não concordo. Acho que o nosso time faz grandes jogadas, bastante triangulação. Lógico que, em alguns jogos, mais, em outros, menos. Mas a gente vem trabalhando para isso ser uma constante em todos os jogos, independente do adversário. Acho que a gente está evoluindo a cada jogo nisso.

Busca pelo título
A gente se apega ao grupo, na nossa união, nosso comprometimento, amizade. No dia a dia de trabalho, a gente vê o empenho de todo mundo, e não é aquela coisa clichê. A gente vê que o grupo esse ano está querendo colocar o nome na história do Bahia. Até pelo ano passado, que foi bastante sofrido para a gente. A gente foi vice-campeão da Copa do Nordeste, o mesmo time. Mas o final do ano foi bastante conturbado para a gente. Então, neste ano, a gente está querendo muito um ano diferente. E nada melhor do que começar com esse título para dar um ânimo a mais, uma confiança a mais, para ser um grande ano a temporada inteira.

Como preparar o emocional?
A gente tem que sempre estar preparado. A cabeça do jogador. Acabou o jogo na terça-feira, e a gente já estava falando, no vestiário, do jogo de sábado. É muito dinâmico o futebol. Eu procuro me preparar. Tento relaxar o máximo possível até a hora de entrar em campo. Gosto de ficar brincando com meu filho. Na concentração, até o último momento, eu fico vendo ele em chamada de vídeo. Para ficar relaxado e poder entrar em campo e desempenhar o melhor possível.

Espera um time intenso na final?
Espero e tenho quase certeza de que a gente vai ser bastante intenso no sábado. A gente já está começando atrás do placar. Nosso time gosta de ter a bola, gosta de impor o jogo. Então a gente tem que tentar fazer isso os 90 minutos no jogo contra o Ceará. Não pode, em nenhum momento, querer ficar lá atrás. Ainda mais pela desvantagem. A gente tem que ir em buscar do resultado. Espero que a gente consiga dar alegria para o nosso torcedor.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas