De blogueirinha a turista: todo mundo atrás do Pipoco

salvador
26.02.2019, 22:58:00
Léo Santana carrega multidão na noite desta terça(26) na Barra-Ondina (Arisson Marinho/CORREIO)

De blogueirinha a turista: todo mundo atrás do Pipoco

Léo Santana arrastou uma multidão com um trio sem cordas nesta terça-feira (26)

A terça-feira (26) foi um dia normal para a maioria dos soteropolitanos. Mas a minoria curtiu por todos aqueles que não foram pro Pipoco ver o trio de Léo Santana sem cordas no contrafluxo, saindo do Clube Espanhol em direção à Barra. “Eu até brinquei: esse povo não tem o que fazer não? Na folia às 19h?”, brincou Léo, antes de começar a cantar. “É uma honra estar no Pipoco pela segunda vez seguida. Me sinto um grande artista fazendo parte disso”, disse.

A farra começou no início da noite e o clima já era de Carnaval. Ou melhor, de Carnavais. Dava pra contar fantasia d’As Muquiranas de uns três anos diferentes, mulher vestida de polícia escoltando o homem ladrão, incrível Hulk... todo mundo com o ‘life’ cheio de energia. “Vou triplicar essa energia, deixar todo mundo pronto para os outros dias”, garantiu Léo. 

O Prefeito de Salvador, ACM Neto, estava na mesma pegada. Subiu até no trio para gravar um vídeo. “Estamos aqui na terça-feira, no Pipoco, com Leo Santana fazendo uma festa enorme para a galera. Carnaval de Salvador, energia máxima, tamo junto! Você que não conhece Salvador, venha para cá conhecer o maior carnaval de todos os tempos”, disse.

Prefeito ACM Neto curte o Pipoco, na Barra, em cima do trio de Léo Santana (Foto: Max Haack/Secom)

Lá embaixo, tinha gente que nem parecia que tava numa festa. Uma dupla, de camisa de botão, calça social e com direito  a sapato de couro, não quis nem dar entrevista. “Estamos escondidos, não posso falar não”, avisou um deles, sem nem querer se identificar, obviamente.

Mas o sucesso mesmo eram as plaquinhas com frases de duplo sentido que os foliões carregavam penduradas no pescoço (‘Virei Uber, te pego onde?’, ‘Prazer, amiga’, ‘Respeita esse mulherão’ ou ‘Pinto de graça’ - com o dono vestindo um avental sujo de tinta) e as tiaras escrito ‘blogueirinha’, fazendo menção à música Crush Blogueirinha, uma das apostas do cantor para a festa que começa - oficialmente - só amanhã.

Com uma dessas na cabeça, a estudante de técnica de enfermagem Isadora Sales, de 22 anos, teve que fazer todo um esquema para seguir o ídolo Leo. Acordou, foi pra aula até às 10h, voltou pra casa, em Cosme de Farias, e estudou até 15h30, antes de se arrumar para o Pipoco. “Amanhã tenho prova de Materna II. Estudei rapidinho, mas tá tudo certo”, revelou.

A tiara foi presente de aniversário, que aconteceu na última quinta, 21. Vai acompanhá-la atrás de Léo aonde o ‘Gigante’ for. “Eu sofro atrás daquelas Muquiranas...”, disse, dando risada.

Se ela tá nesse pique todo, Léo está mais comedido. Ninguém mandou jogar bola às vésperas do Carnaval. Se machucou e acabou rompendo quatro ligamentos do tornozelo direito. “Vou ter que fazer a quebrança de ladinho”, avisou, de bota ortopédica. “Mas a voz tá 100%”.

Se dependesse dele, já saía largando os pancadões para a galera quebrar. “Sou taurino, ansioso, mas minha produção me segura. Estamos apostando na Crush Blogueirinha mas também em O Dono da Zorra Toda, que lancei aos 40 do segundo tempo”, contou.

E não é que ele tava certo? Depois de um esquente com direito a pout-pourri de pagodes, mandou a sequência com O Dono da Zorra Toda e Vidro Fumê, as duas na boca - e nos quadris - da galera.

Quem estava bastante empolgado era o casal de japoneses Takumi, 21, e Eri, 24, que estreavam nas ruas de Salvador. “Chegamos hoje (terça, 26) e ficamos até sexta (1º). Depois, vamos pro Rio”, explicou Takumi. Apaixonados por dança, eles conheceram o Carnaval por vídeos no YouTube. “Queríamos ir para o Rio, mas diversos amigos brasileiros nos disseram para vir para a Bahia”, contou o japonês. “Queremos ver gente diferente. Ainda vamos no Centro e fazer um tour pelas praias”, adiantou.

Mais para frente um trio de amigas baianas que moram em estados diferentes não viam a hora do Pipoco chegar. Lane Barbosa, 25, é vendedora em São Paulo. A xará Lane Silva, 26, realiza a mesma atividade no Rio e sua prima, Rafaela Macedo, 17, é estudante em Salvador.

Sotaques diferentes, mas energia em comum. “As expectativas pro Carnaval são as melhores possíveis: beber, brincar, curtir... já vim do aeroporto quase direto pra cá”, diz Lane Barbosa, puxando o paulistês de leve. “Queremos ver a Baiana System, pegar a pipoca de Saulo...estamos definindo a programação”, diz Lane Silva, com um ‘carioquês’ acentuado. O Carnaval tem tempo e espaço pra todos os gostos. É só se soltar.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas